Ilha Terceira

A Terceira é uma das nove ilhas dos Açores, integrante do chamado “Grupo Central”, tem de área 402,2 Km² e tem uma população 56.062 habitantes (2011). A geomorfologia da ilha faz com que ela apresente paisagens muito variadas e de grande beleza, que se repartem entre planícies e serras tais como: a serra de Santa Bárbara e a planície da Achada.

A ilha é atravessada pelo rifte da Terceira, uma estrutura geológica associada ao encontro de 3 placas tectónicas (a euroasiática, a africana e a americana). Esta condição geológica justifica a natureza sísmica e vulcânica da ilha. A ilha Terceira tem vários vulcões, mas os considerados principais são: Vulcão de Santa Bárbara, Vulcão do Pico Alto e uma zona fissural. O vulcão de Santa Bárbara tem duas caldeiras:   a caldeira externa tem um diâmetro de 2,5 por 2 km e terá resultado de um fenómeno de colapso ocorrido entre os 30.000 e os 25.000 anos. A formação da caldeira interna, mais recente, terá tido lugar há menos de 10.000 anos. Posteriormente caldeira interior foi palco de diversas erupções que causaram o seu preenchimento parcial.

A nível de sismos a ilha Terceira também já teve algumas catástrofes, os principais sismos sentidos na ilha Terceira foram a: 22 de Outubro de 1522, que afetou sobretudo a ilha de São Miguel, destruiu Vila Franca tendo morrido quase todos os seus habitantes a magnitude deste sismo foi de 6,8 na escala de Ritcher; 9 de Julho de 1998 que atingiu principalmente o Faial e Pico, neste sismo houve 8 mortos e 150 feridos a magnitude deste sismo foi de 7,4 o e o último que causou grandes consequências foi o sismo de 1 de Janeiro de 1980 que também foi sentido na Graciosa e em São Jorge que teve uma magnitude 7,2.

http://www.ceg.ul.pt/finisterra/numeros/2005-79/79_09.pdf

http://pt.wikipedia.org/wiki/Geomorfologia_da_Ilha_Terceira

 

Mónica Maia nº17 10ºA

Rodrigo Brisida nº19 10ºA

Orientação pedagógica e científica: professora Helena Antunes

Serreta – Vulcão submarino

O vulcão submarino “Serreta” está localizado a cerca de 10Km a noroeste da ilha Terceira, este terá entrado em erupção emitindo blocos escuros de lava cujo seu interior estava repleto de gases que faziam com que a lava surgisse à superfície das águas do mar, sendo que as autoridades açorianas terão sido avisadas por pescadores dia 18 de Dezembro de 1998. Existem relatos de anterior atividade vulcânica no ano de 1867. A erupção vulcânica submarina de 1998 ter-se-á prolongado até ao mês de Março do ano 2000.

Este fenómeno vulcânico, até a este momento desconhecido devido à invulgaridade da sua manifestação, terá ocorrido devido a fraturas associadas ao rifte da Terceira.

A lava emitida naquele local era bastante fluida, emitindo apenas os blocos de lava já anteriormente referidos que após libertarem os gases do seu interior, afundavam. Após a análise deste acontecimento, concluiu-se que este tipo de atividade vulcânica era pouco vulgar, sendo que o vulcanólogo Vítor Hugo Forjaz (coordenador de uma das missões realizadas ao vulcão Serreta) propôs que este tipo de atividade se designasse por tipo serretiano.

Mediante as últimas missões realizadas ao vulcão submarino Serreta, os vulcanólogos destacam a sua fraca atividade dado que não foi detetado nenhum tipo de manifestações à superfície e apenas foram observadas, através das imagens recolhidas a cerca de 300 metros de profundidade, pequenas emissões de cinzas e focos de fumarolas e água quente. Os vulcanólogos concluem então que este vulcão submarino se encontra na sua fase terminal.

Fontes: http://www.geopor.pt/GPnov/serreta1.html

http://www.cvarg.azores.gov.pt

Autoras:

Cláudia Cristina Matos Branco, nº 6, 10ºA

Lívia Sofia Mendes Dias, nº 15, 10ºA

Orientação cientifica e pedgógica:

professora Helena Antunes