“Os Caminhos são para ir…” – Projeto de Cidadania e Desenvolvimento – 11ºA

Os Caminhos que trilhamos…

Os nossos Caminhos são muito mais do que apenas caminhos.

São aprendizagens que se alcançam e concretizam. Experiências que se vivem. Crescimento e conhecimento que queremos adquirir.

Acompanha-nos nesta caminhada. Faz o caminho connosco… E aprende também!

Dia da Lógica 2022, Parque Arqueo Social Andakatu, Mação

Cidadania e Desenvolvimento – Turma 11ºA

“Os Caminhos são para ir…” – Projeto de Cidadania e Desenvolvimento – 11ºA

A turma continua a desenvolver o projeto da Cidadania e Desenvolvimento em articulação direta com o projeto do Parque Arqueo Social “Andakatu”. O projeto contemplou no ano letivo 2021/22, deslocações mensais em que a equipa do Museu de Arte Rupestre de Mação veio à escola ou a escola foi ao Museu.

Pretendeu-se que os alunos saíssem para fora dos muros da escola e que desenvolvessem atividades no parque, no museu ou no ITM em estreita articulação com as disciplinas do currículo (Curso de Ciências e Tecnologias) ou ainda que pudessem, em contexto escolar receber os colaboradores do Museu de Mação.

Quanto às atividades já desenvolvidas, os alunos tiveram a primeira abordagem ao projeto no dia 13 de dezembro: no espaço do ITM, fazendo um curto workshop sobre Geologia, dinamizado pela Prof. Dra. Sara Garcês e participaram numa conversa o Prof. Dr. Hugo Gomes sobre a importância e o impacto da Geologia nas nossas vidas no século XXI.

Depois fizeram voluntariado ao serem colaboradores construtores da cabana do neolítico (transportando molhos de centeio e aprendendo a fazer cordas com ráfia no espaço do Arqueo Parque Social) para a cobertura da cabana. Os alunos tiveram ainda a oportunidade de assistir a uma pequena explicação sobre a importância da arqueologia e do estudo das ossadas dos humanos deste período da pré-história. Os alunos estiveram acompanhados pelas professoras de FQ, Biologia e Geologia, Matemática e pela DT, Coordenadora do projeto.

No dia 13 de janeiro assinalaram o “Dia da Lógica” na segunda deslocação ao Arqueo Parque Social, onde tiveram o privilégio de participar na atividade “Conversas sobre o que é a lógica”, com o Prof. Doutor Luíz Oosterbeek, o Dr. José António Almeida, Diretor do AEVH, Mação, o Dr. Vasco Estrela, Presidente da Câmara Municipal de Mação em articulação com as disciplinas de Filosofia e Português e na presença das docentes destas disciplinas e da DT.

A terceira deslocação, aconteceu no dia 21 de fevereiro e envolveu as disciplinas de FQ (reações químicas) e Biologia e Geologia (fermentação), pois os alunos fizeram e viram fazer a moagem do cereal e a cozedura do pão de há 7 mil anos atrás. Também viram fazer queijo com coalho de cardo. Depois, piquenicaram no parque – pão e queijo que levaram de casa, antes do regresso à escola.

No dia 7 de abril, assistiram às “Conferências Internacionais” em língua Inglesa, no Auditório Elvino Pereira, “Arts and Sociocultural Transformation, participando no workshop Bifrost Case Studies in Short Film 2 Arts Activism, Storying Change apresentado pelo Dr. Steven Hartman. Os alunos tiveram a oportunidade de partilhar as suas histórias sobre os problemas que afetam o nosso planeta a nível do clima numa plataforma global que pretende chamar a atenção e educar nas escolas a partir dos currículos disciplinares.

Numa ótica de articulação de saberes, no dia 30 de maio, os alunos participaram numa visita de estudo a três laboratórios do departamento de Geociências, no Pólo II, da Universidade de Coimbra. Através da explicação dos colaboradores e da Prof. Doutora Maria Helena Henriques, os alunos ficaram a perceber melhor a função da Geologia e das Geociências,  na evolução e na interpretação da vida da Terra e as possibilidades de sua aplicabilidade na vida humana.

No âmbito da disciplina de Ed. Física praticaram atividades desportivas que estimularam a velocidade, a força e a agilidade, fazendo caminhada, etc, e, por fim, em junho dinamizaram a atividade “Visita Guiada”, simulando dois grupos de turistas de nacionaidade espanhola e inglesa e respetivos guias turísticos, numa exploração do Parque Arqueo Social “Andakatu”. Assim, concluiu-se o passado ano letivo, com a participação das disciplinas de Espanhol e de Inglês. A Coordenadora do projeto, a DT Sílvia Ramadas participou em algumas reuniões informais com as colaboradoras dos Museu, Dras. Anabela Borralheiro e Sandra Alexandre, no AEVH e no Museu no sentido de orientar os trabalhos.

Este ano o projeto continua…

Assim, no passado dia 2 de dezembro, a turma deslocou-se ao Parque Arqueo Social Andakatu para mais uma ação de voluntariado… As imagens falam por si.

Cidadania e Desenvolvimento – Turma 11ºA

Projeto – Unir os Pontos – Connecting the Dots – 2019/2020 – DAC – Inglês e Biologia

O projeto que uniu os alunos dos cursos de Ciências e Tecnologias e de Línguas e Humanidades da turma A, do 11º ano numa logística e simbiose perfeitas! Uma sequência lógica de intervenção de cada um dos quatro grupos de alunos da turma A, do 11º ano que fez a conexão dos pontos, cada um com uma missão.

Na primeira missão, os investigadores/historiadores fizeram a pesquisa das quatro pandemias escolhidas e negociadas pelos líderes dos grupos – The Black Death, The Yellow Fever, The Spanish Flu, e, por fim, The Covid 19; na missão seguinte, foi a vez dos geógrafos traçarem em mapas a distribuição dos vírus, em termos de países de origem e populações infetadas; seguidamente, os biólogos indicaram os nomes científicos dos vírus, sintomatologias, meios de contágio, e formas de tratamento, e por último, os matemáticos fizeram o tratamento estatístico dos dados em termos de mortes, número de infetados, número de recuperados e impactos da vacinação, quando existente. Uma forma de simular comunidade científica a funcionar em torno de um problema comum e global. Um desafio muito motivador!

O projeto teve início no terceiro período do ano letivo 2019/2020 e envolveu 12 alunos do 11º ano ano regular e as professoras Sílvia Ramadas e Helena Antunes das disciplinas de Inglês e de Biologia e pretende ter continuidade neste ano letivo de 2020/2021 e assim ir unindo os pontos sequencialmente dos anos letivos, das aprendizagens, das nossa VIDAS!

The Triumph of Death by Bruegel, Prado Museum

Through this work, we the historians, aim to make other pandemics known like the one we’re living with now, The Covid-19, that emerged in Wuhan, Hubei in China. Another pandemic that we will address is The Black Plague, which was the most devastating pandemic in the history of mankind, which most resembled the end of the world in the first decade of the 14th century, it appeared in Central Asia. The third pandemic that we are going to study is The Spanish Flu, which, although it is called the Spanish flu, did not actually appear in Spain, and the most accepted theory is that it appeared in a military training camp in the United States.

Last but not least, we will study The Yellow Flu, caused by the yellow fever virus, transmitted by a specific mosquito, which appeared in Philadelphia in 1918.

With this work we intend not only to disclose the pandemics that we will talk about, but also to present the new American dream which is finding a cure for this great pandemic (coronavirus) that has been affecting everyone around us.

We intend to make a difference and sensitize our listeners as Steve Jobs in all his speeches does, show everyone that this is serious and that if we all protect ourselves (using a mask, washing our hands, keeping a safe distance from each other) in the end we will be alright.

Connecting the Dots is a project which emerged under module 3 – The World of Work of the English subject, based on the main concepts addressed in Steve Jobs’ speech with the same name.

It is by looking back that we can understand the present and look into the future. Thus, given the current pandemic situation that the modern world has been witnessing in recent months caused by the COVID19 virus, we were offered the challenge of studying and presenting the statistical results of 4 pandemics that have ravaged the planet throughout history. We have a mission, as researchers and mathematicians, we work as a team at a CO-LAB, collaborative work lab where ideas arise, our ideas to better understand and help us understand what’s happening and its impact on various sectors of society.

In times of pandemic crisis we feel FEAR! Fear of imminent contamination, but we also put our HOPE into a humble that is currently being discovered buy a vaccine or group immunity.

We would like to make here a bridge with the movie The Island that we saw in English classes and that brings us to these two concepts – FEAR and HOPE and to make parallel with the current situation.

Never had the world passed through such a situation!

Carrega nos links que se seguem para veres os resultados finais deste projeto

Textos da Professora Sílvia Ramadas e dos alunos de Inglês do 11º A