Notícias da L.E.C.A.

 

Uma história inesperada

         Olá, eu sou o Cristiano, e tenho um amigo chamado Felizberto Tintim, ele era de uma família pobre, que passava dificuldades. Ele foi trabalhar para um bosque, mas muitos senhores mais velhos diziam que o bosque era encantado. Era mais conhecido por bosque encantado, mas ele não tinha medo, pois ia fazer aquilo pela família. Fez as malas e lá foi.

Quando lá chegou, ficou surpreendido com a quantidade de crianças que havia. Ele também ficou impressionado com a beleza do lugar, as árvores brilhavam, ouviam-se os pássaros a cantar. Passaram algumas semanas e ele cada vez mais contente com aquele trabalho.

Na noite de Natal, quando os alunos estavam a ler livros, ele reparou que apareceu um animal pequeno, era uma gata, que começou a miar sem parar e virou costas em direção a um caminho de terra batida. Felisberto, curioso, foi atrás da gata, até que ela finalmente parou num lugar maravilhoso, um laguinho azulado a refletir o céu estrelado. Num banco, a gata virou-se para ele e disse:

-Eu não sou um animal pequeno, sou uma gata mágica, que pode fazer tudo o que bem entender, e eu posso-te ajudar!

Ele respondeu :

– Como assim, podes-me ajudar?

– Posso-te dar o dinheiro que precisas para tirar a tua família da dificuldade em que se encontra.- respondeu a gata num tom convincente.

– A sério? Dá-me ! – pediu ele curioso.

A gata olhou meio torto para Felizberto e disse :

– Só se conseguires levar o David, o teu belo gato do acampamento, até mim!

Felizberto exclamou:

– Claro, eu posso tudo!

Então levou o David até à gata e ela deu-lhe o dinheiro.

Felizmente, acabou tudo bem, o Felizberto conseguiu tirar a família das dificuldades e a gata mágica casou com o gatão David.

 

 

Denisa e Eva, 7ºB

Notícias da L.E.C.A.

 

Em Ler, Escrever e Contar com Arte, as turmas do 7º ano desenvolveram, entre outras, a atividade que partiu da realização de cubos e das suas planificações e culminou na elaboração de textos, passando pela revisão das categorias e estrutura do texto narrativo.

Aliando as competências de Matemática e de Português, tentando colmatar dificuldades manifestadas pelos alunos, complementando competências de socialização (trabalho de grupo), passando pelo uso das novas tecnologias e sempre numa perspetiva lúdica, chegou-se a vários textos que aqui se divulgam.

Regista-se o ambiente de trabalho saudável e o empenho dos alunos.

 

As professoras Glória Afonso e Anabela Ferreira

Texto Criativo

O livro viajante

 

Era uma vez um livro, mas não era um livro qualquer! Uma bíblia!

Essa bíblia era utilizada em muitas missas em Fátima (Portugal) até que se fartou daquela vida e decidiu que queria explorar o mundo, especialmente igrejas e bibliotecas.

Um certo dia, à noite e com muito vento, a bíblia saiu do seu local habitual e fez-se à aventura. Começou a bater as suas páginas como um pássaro e lá foi ela!

Viajou muito! Fez vários e vários amigos e amigas! Até que chegou a França! À Catedral de Notre-Dame, onde conheceu um livro especial! Um dicionário francês.

A bíblia e o dicionário andaram muito tempo juntos, visitaram a Torre Eiffel, o museu do Louvre e foram-se apaixonando um pelo outro.

Dez anos depois, já casados e com três filhos, a bíblia e o dicionário estavam em sua casa (Catedral de Notre-Dame) quando um incêndio começou. Eles, aflitos e à procura dos filhos, voaram dali para fora e foram ter ao sítio favorito dos seus pequenotes, perto do rio Sena.

Ao verem que estavam lá todos e bem de saúde voltaram à antiga vida da sua mãe (bíblia) que foi apresentar o mundo a todos eles!

E viveram felizes até à atualidade em que ainda andam à descoberta do Mundo!

 

 

João Durão, 10ºA

eTwinning – galardoados com Selos Nacionais de Qualidade

Selos Nacionais de Qualidade eTwinning

 

No final do passado ano letivo os projetos eTwinning coordenados e desenvolvidos pela professora Ana Sofia Pereira com as turmas dos 7º e 9º anos – The People in Our History, You Can Be a Hero, too! e We Wear What We Sing, respetivamente – foram galardoados com Selos Nacionais de Qualidade eTwinning. Estes selos são concedidos pelos Serviços Nacionais de Apoio (SNA) em cada país a professores com excelentes projetos eTwinning que contribuíram ativamente e visivelmente nas atividades dos projetos, indicando que estes atingiram um determinado nível de qualidade no seu país.

 

Os Selos Nacionais de Qualidade são atribuídos a projetos que se distingam nas seguintes áreas: Inovação pedagógica, Integração curricular, Comunicação e intercâmbio entre escolas parceiras, Colaboração entre escolas parceiras, Utilização das tecnologias e ainda Resultados, impacto e documentação.

Até ao momento, outros países envolvidos nestes projetos também foram reconhecidos pelos seus SNA com Selos Nacionais de Qualidade; nomeadamente: no âmbito do projeto The People in Our History, You Can Be a Hero, too! a escola Lycée Technique de Bonnevoie no Luxemburgo e âmbito do projeto We Wear What We Sing a escola IES Jonqueres em Espanha e ainda a escola OOU Gjorce Petrov na Macedónia do Norte.

 

 

 

Todos os alunos envolvidos nos projetos de forma ativa receberam também um Selo de Aluno de Qualidade, que representa um incentivo para continuarem a participar e a trabalhar em atividades eTwinning e é uma forma concreta de mostrar que os seus esforços foram reconhecidos. Assim, estão de parabéns pela excelente participação!

Durante este ano letivo serão desenvolvidos outros projetos no âmbito do Clube eTwinning, recentemente criado, nos quais todos os alunos estão convidados a participar!

Professora Ana Sofia Pereira

 

Objetivos

 

Mar Português

“Mar Português” é um dos mais belos poemas da Mensagem de Fernando Pessoa, que se engloba na segunda parte: Mar Português, curiosamente o título do poema… É um poema bastante interessante e com uma qualidade inigualável.

Os versos “Valeu a pena? Tudo vale a pena / Se a alma não é pequena” remetem para o sofrimento das mães que choraram a partida dos seus filhos, “quantas mães choraram”; para os filhos que rezaram para que os seus pais regressassem a casa vivos e de saúde, apesar de muitas vezes ser em vão, “Quantos filhos em vão rezaram” e para as futuras noivas, que não tiveram a oportunidade de se casar, devido à morte dos seus amados e futuros maridos, “Quantas noivas ficaram por casar”. Infelizmente, o que foi referido anteriormente foi uma realidade, que provocou um grande sofrimento a todos aqueles que tinham familiares e amigos a bordo.

Será que valeu a pena tanto sofrimento de modo a obter os objetivos? No meu ponto de vista, tudo vale a pena, porque para se alcançar algo de grandioso na vida é necessário sofrimento e espírito de sacrifício e, no final, a recompensa é superior a tudo o resto. Por exemplo, se lutarmos por aquilo que queremos chegaremos sempre ao objetivo final e quando se olhar para trás será possível verificar que valeu a pena todo o sofrimento. A insistência é algo muito positivo porque, por exemplo, se abdicarmos dos objetivos, haverá um arrependimento do que poderia ser feito e não foi.

Em suma, no meu ponto de vista, o esforço e a coragem para obter o que se quer é sempre algo muito positivo. É claro que tudo na vida implica sofrimento e dor, mas a recompensa será muito maior e vantajosa e, no fim, “Tudo vale a pena / Se a alma não é pequena”.

 

Daniel Patrício, 12ºA

Ideais

As crenças em ideais

 

Em pleno século XXI a existência de crença em ideais é bastante importante para qualquer ser humano desde o adolescente a adultos.

Vejamos o facto de existirem adolescentes que têm ideais religiosos e por isso acreditam que o ser superior (dependendo da religião) é um exemplo de vida, é um exemplo do bem. Nesse caso, estes jovens vão querer fazer o mesmo que ele de forma a melhorar o mundo. Por exemplo, na religião católica acredita-se que Deus é o exemplo do bem, logo, os seus seguidores, ou melhor, as pessoas que o têm como ideal, vão querer fazer o bem tal como ele, como, por exemplo, ajudar os mais desfavorecidos. Na minha opinião, ter este ideal é bastante importante e favorável.

Existem milhares de ideais que levam jovens a seguir um certo modelo. Outro grande exemplo é a música, muitos são aqueles que procuram e usam a música como a cura para os problemas da vida, como problemas psicológicos, por exemplo. Se um jovem tem como ideal Mozart, todas as músicas que o mesmo já produziu funcionam como um calmante, no caso deste jovem estar a ter um dia menos positivo, como uma motivação para este também fazer algo para os outros que tenha o mesmo efeito que a música tem para ele.

Para concluir, na minha opinião, os ideais são bastante importantes para qualquer jovem, pois quase que os obriga a ter objetivos claros e definidos.

 

Beatriz Santana, 12ºA

Texto de opinião

 

A sociedade do “eu”

A sociedade atual tem vindo a ser cada vez mais fustigada com atitudes que revelam que o ser humano está cada vez mais egoísta.
O poder e a riqueza influenciam o comportamento e a atitude de muitas pessoas. O “eu” está cada vez mais presente em detrimento do “nós”. E, infelizmente este pensamento egoísta tem vindo a aumentar especialmente nas pessoas que possuem mais poder, basta ligar a televisão ou outro meio que transmita informação para perceber que a corrupção é uma palavra com que a sociedade tem que lidar atualmente.
Parece que o ser humano tem no seu ADN a informação que quanto mais tem, mais quer e este pensamento que tem, cada vez mais, cava um fosso entre os ricos e os pobres e se não se fizer nada em relação a isso esse fosso pode nunca ser fechado.
Felizmente, para a sociedade, atitudes altruísta ainda existem (ações de solidariedade, voluntariado, etc.) porém estas atitudes por vezes são manchadas por quem se aproveita delas para retirar algum benefício para si, como é o caso de algumas fundações que se aproveitam da solidariedade de uns e da necessidade dos outros para tirarem benefícios para seu próprio proveito.
Em suma, toda a sociedade devia repensar as suas atitudes e pensar mais no “nós” do que no “eu”, pois só assim poderá existir um mundo com mais igualdade.

Sara Bento, 10ºA

Poesia Visual

 

Foto do professor António Bento

 

Durante o estudo do texto lírico, as turmas A e B do 8º ano elaboraram poemas visuais.

Destes trabalhos alguns integraram uma pequena exposição que esteve patente na biblioteca da escola sede do Agrupamento.

O gosto dos alunos e a sua criatividade revelaram que os nossos jovens estão despertos para a poesia, os seus significados e para a sua beleza.

 

 

Professora Anabela Ferreira

Opinião

 

 

Influência dos modelos de beleza

 

 

O ideal de beleza feminino é algo antigo, é uma construção social que varia de época para época.

O padrão de beleza já variou imenso, as figuras femininas já foram consideradas perfeitas com um índice de gordura maior do que apresentam agora. Atualmente, as figuras excessivamente magras que dominam os circuitos da moda funcionam como padrão de beleza.

Considero que, no século XXI em que nos encontramos, as principais influências dos modelos de beleza são as redes sociais e as figuras públicas que nelas se expõem, manipulando e seduzindo as figuras femininas que anseiam ficar como elas.

Por vezes pessoas mais débeis e menos estruturadas fomentam comportamentos miméticos que resultam em situações de anorexia e bulimia.

Certas pessoas para ascenderem socialmente sujeitam-se a qualquer tipo de comportamento, mesmo que esse não seja o mais adequado.

Na minha opinião, o ideal de beleza feminino não deveria ser um mero e inútil padrão físico, mas sim um padrão espiritual e de cultura. O nosso corpo não deveria ser algo que usássemos para nos vincarmos no mundo da moda ou para termos uma postura social altiva. O nosso carácter, atitude e bondade é que deveria ser, seguramente, uma arma para nós mulheres nos afirmarmos no mundo.

A anorexia e a bulimia são problemas sérios que afetam a nossa sociedade e as suas vítimas são pessoas que não se conseguem integrar no meio ao seu redor e, por isso, tentam aparentar o ideal feminino imposto pela sociedade.

Os circuitos da moda deveriam ser mais abrangentes e não tipificar e rotular medidas para as figuras masculinas e/ou femininas serem aceites.

Concluindo, o ideal de beleza feminino já se alterou e continua a alterar. No meu ponto de vista, as redes sociais, assim como as figuras públicas, deveriam combater esta tipologia sobre a influência dos modelos de beleza.

 

Maria Margarida, 11ºA