A importância do conhecimento histórico

A importância do conhecimento histórico

         Num determinado povo ou região é muito importante o conhecimento da sua história para a preservação dos valores culturais e éticos desse povo em específico.

A história serve para relembrar algo que aconteceu anteriormente, seja há muito ou pouco tempo. Por isso é que se diz qua “a história é testemunha do passado…”. Esta é algo que vai ficar para sempre, vai passar de geração em geração, acrescentando-se novos acontecimentos à medida que o tempo passa. A história é algo que deve ser preservado e devidamente aprofundado, com o objetivo de preservar os valores culturais e éticos de um povo.

Um povo, como por exemplo, os Índios têm uma religião específica, têm uma determinada cultura e costumes. O que os faz, atualmente, ter esses valores culturais e éticos é a história, ou seja, o passado, pois foi este que os fez ser como são hoje em dia, dando, assim seguimento às gerações anteriores.

Em suma, deve existir uma grande importância do conhecimento histórico, de modo a preservar os valores culturais e ético de um povo.

 

 

Daniel Patrício, 11ºA

 

Anúncios

A História: memórias e antepassados

 

A História: memórias e antepassados

A história do mundo, do planeta, da vida terrestre, da vida humana teve um início, bem lá no fundo dos nossos antepassados. E é graças a essa história e ao facto de se perpetuar no tempo e na memória humana que sabemos o que aconteceu nos tempos antigos, sabemos quais os factos e vivências que nos antecederam e que nos trouxeram até aqui, ao presente.

É-nos verdadeiramente importante e pertinente possuir os conhecimentos históricos, principalmente aqueles que remetem para a nossa cultura e para o nosso povo. É com este conhecimento que podemos continuar com as “nossas” tradições, com os “nossos” hábitos e com os “nossos” próprios valores: tudo aquilo que na Antiguidade se foi criando, evoluindo, até chegar a nós. E somos nós, orgulhosamente, que temos de dar continuidade a tudo isto para que não fique perdido no tempo.

Suponhamos que os nossos familiares não nos tinham ensinado nada sobre valores culturais e éticos, e que não havia livro nem texto que restasse para contar a história dos povos, quais iriam ser as nossas inclinações culturais e éticas? Pois, provavelmente não sabemos responder, até porque, muito provavelmente, sem a preservação dos valores que nos constituem enquanto povo, hoje não seriamos nós mesmos, não seríamos uma só nação, unida pela língua materna e pelos costumes.

Para concluir, podemos afirmar que a história é o que nos enuncia o passado e nos ensina a ser quem somos! A história são memórias e antepassados…

 

 

Clara Minhoto, 11ºA

Sorteio de EUROcabaz de Natal – Clube Europeu

Este slideshow necessita de JavaScript.

No último dia de aulas do 1º período cumpriu-se a tradição e foi sorteado mais um Euro cabaz de Natal!

A atividade dinamizada pelo Clube Europeu contou com a ajuda de alguns dos seus membros mais antigos para presentear um felizardo com um especial cabaz recheado de iguarias europeias que farão as delícias à mesa da consoada de 2016.

A feliz contemplada pertence à freguesia de Mouriscas… Parabéns! Um Santo Natal e Um Próspero Ano de 2017!

A Equipa do Clube Europeu

Agrupamento de Inglês – Dia de Ação de Graças

IMG_8378

Dia de Ação de Graças

         No âmbito da disciplina de Inglês, no dia 26 de novembro, na Escola Básica 2,3/Secundária de Mação foram realizadas várias atividades para celebrar o dia de Ação de Graças, tradição americana.

            É um feriado nacional celebrado na quarta quinta-feira do mês de novembro para agradecer todos os bons acontecimentos que ocorreram durante o ano. Tem como principal objectivo juntar todos os membros da família em torno de uma mesa recheada de pratos típicos deste dia, tais como, peru assado, puré de batata e tarte de abóbora.

            As atividades acima mencionadas basearam-se na confeção de cupcakes pelos alunos com decorações alusivas a este dia e uma exposição no átrio junto à secretaria com inúmeros cartazes, folhetos e power points elaborados pelos alunos para informar a comunidade escolar.

Foto de Prof. José Gonçalves

Texto de Inês Pereirinha e Leonor Bento

11º A

 

CLUBE DE FRANCÊS – O REINÍCIO DAS ATIVIDADES

Este slideshow necessita de JavaScript.

À semelhança dos anos letivos anteriores, o Clube de Francês festejou novamente a quadra festiva La Toussaint (Dia de todos os Santos), também ela comemorada em Portugal no dia 1 de novembro, marcando, assim, o início de mais um ano recheado de atividades.

Desta feita, no final da semana que antecedeu esta festividade, esteve patente a toda a comunidade escolar, no átrio do Pavilhão B, uma exposição de trabalhos elaborados pelos alunos, em homenagem aos Santos e a outras pessoas que, através do seu testemunho de vida, se tornaram um exemplo de altruísmo, humanidade e santidade. Foram igualmente expostos diversos provérbios franceses alusivos à época. Esta foi uma atividade que muito entusiasmou todos os discentes participantes, tendo os mesmos pesquisado informações sobre Santos de nacionalidade francesa, padroeiros da sua localidade ou, ainda, sobre aqueles cujo nome era igual ao seu. Feitas as pesquisas, foi relembrado, descoberto e aplicado vocabulário e estruturas linguísticas para a elaboração, em francês, dos textos alusivos a cada Santo.

As turmas do 9º ano debruçaram-se ainda sobre as diferenças entre La Toussaint e outras tradições que ocorrem em datas muito próximas – Hallowen e La Fête des Morts – que, não sendo de origem francesa, são igualmente comemoradas em França e um pouco por toda a Europa, tendo os alunos de espanhol se juntado a nós, expondo trabalhos alusivos ao “Dia de los Muertos”.

Também a turma do 12ºB, no âmbito da disciplina Comunicar em Francês, redigiu em francês algumas receitas dos deliciosos bolinhos e broas que, em Portugal, se confecionam tradicionalmente, por esta altura.

No dia 1 de novembro, como já vem sendo tradição, o Clube de Francês marcou novamente presença na Feira dos Santos de Mação, tendo sido vendidos diversos produtos regionais fornecidos pelos seus Encarregados de Educação, cuja receita angariada contribuirá para a realização de mais uma viagem a França no próximo ano letivo. Foi um dia bastante divertido que proporcionou o contacto direto com a comunidade local e um convívio mais próximo entre alunos e professoras.

A comemoração de La Toussaint não teria o mesmo sabor sem os deliciosos crepes tão apreciados por todos. Deste modo, no dia 3 de novembro, toda a comunidade escolar se deliciou com esta iguaria confecionada na escola pelos alunos e professoras do Clube de Francês.

Ao longo do ano letivo, muitas outras atividades irão ser dinamizadas, no sentido de promover o gosto pela língua e cultura francesa, de forma lúdica e aprazível!

Participa e diverte-te!

À bientôt!

Clube de Francês – Profª Clara Neves

Clube Europeu dinamiza atividade com a turma MAC6 do 1ºCEB de Mação

IMG_8919 Foto de Margarida Cardoso

Como em algumas coisas a tradição ainda é o que era, os alunos da turma MAC6 da Escola Básica de Mação cumpriram a habitual Caça ao Ovinho da Páscoa, procurando os pequenos tesouros de chocolate nos jardins da escola sede. No final, todos os caçadores exibiram os seus troféus doces que fizeram as delícias dos mais gulosos! Viva a tradição!

A equipa do Clube Europeu

 

 

 

1er Avril: Poisson d’Avril

Este slideshow necessita de JavaScript.

No passado dia um de abril, o Clube de Francês celebrou mais uma tradição francesa: o famoso Poisson d’avril.

Como é do conhecimento geral,  o dia um de abril é o dia das mentiras e das partidas. Em França, esta efeméride é conhecida por Poisson d’avril (peixe de Abril).

Tudo começou quando o rei francês, Carlos IX, após a implantação do calendário gregoriano, instituiu o dia um de Janeiro como início do ano. Naquela época, as notícias demoravam muito a chegar à população, facto que dificultou o conhecimento desta alteração.

Anteriormente, a festa de Ano Novo era comemorada durante uma semana, do dia 25 de Março até ao dia um de Abril. Algumas pessoas, mais tradicionalistas, não gostaram da mudança e continuaram a fazer a tal comemoração nesta data, tornando-se alvo de chacota por parte das pessoas que adotaram a nova data. Deste modo, surgiu a ideia pregar partidas, enviando-lhes presentes estranhos ou convites para festas que não existiam. Também era hábito pregar partidas aos pescadores, dado que era a época da desova e estava proibida a pesca. Eram, então lançados arenques aos rios e gritava-se “poisson d’avril”.

Atualmente, nas escolas francesas, os alunos penduram sorrateiramente peixes de papel nas costas dos colegas e dos professores.

Esta brincadeira também chegou à nossa escola no dia 1 de abril e muitos professores e alunos foram apanhados pelo Poisson d’Avril.

               Foi divertido e ninguém levou a mal!

Alunos do Clube de Francês e profª Clara Neves