Programas a custo zero (6)

Desta vez vamos levantar voo.

FlightGear

O FlightGear é um simulador de voo, atenção, eu disse simulador de voo, não disse jogo. São coisas muito diferentes. O FlightGear não é para os pilotos de fim-de-semana que só pegam no joystick muito de vez em quando (ah sim, para um simulador de voo ou até para um “jogo de aviões” é essencial usar um bom joystick). Embora não seja absolutamente necessário, é conveniente ter algumas noções mesmo que básicas do ato de voar em aviões. Ou seja, convém saber o que são os flaps, ailerons, trem de aterragem, velocidade de sustentação, ser capaz de ler mapas, etc.

Como é comum nos simuladores de voo há um grande conjunto de teclas de atalho que é preciso usar.

Se se sentem com coragem para tentar pegar num avião o mais próximo da realidade que se consegue sentado numa cadeira, podem usar o FlightGear à vontade, pois é open source. Bons voos.

Programas a custo zero (5)

Hoje vamos fazer uma visita por alguns navegadores de internet (vulgarmente conhecidos como browsers).

Mozilla Firefox

O Mozilla Firefox (ou só Firefox para os amigos) é um navegador open source bastante rápido e com muita aceitação, principalmente na Europa. É um navegador altamente extensível (ou seja, aceita a instalação de muitas extensões que lhe acrescentam funcionalidades). Entre algumas das extensões mais úteis para o Firefox podemos destacar uma para bloquear os anúncios das páginas de internet, ou várias extensões que previnem a instalação de “vírus” no computador. Está disponível e português de Portugal em http://www.mozilla.com/pt-PT/firefox/.

Google Chrome

O Google Chrome é um projeto gratuito, mas não open source (embora haja uma versão open source chamada Chromium Browser).

É desenvolvido pela Google e além de ser muito rápido e suportar a instalação de extensões (como o Firefox), está especialmente preparado para trabalhar mais eficientemente com as aplicações Google: GMail, Google Docs, Google Maps, etc.

Convém não confundir com o novo sistema operativo da Google, chamado ChromeOS.

Pode ser obtido em http://www.google.com/chrome/.

Opera

O Opera é também gratuito, mas não open source.

Apesar de não ser muito conhecido é um excelente navegador, muito rápido e leve. É o navegador usado em muitos smartphones e na consola Wii, mas também está disponível para PC. O Opera tem o hábito de ter características que só irão aparecer nos produtos concorrentes vários meses (ou anos) depois, ou seja, é muito inovador. Pode ser encontrado aqui http://www.opera.com/.

Internet Explorer

Apesar de já vir pré-instalado nos computadores com Windows, normalmente não é boa ideia usar o IE para navegar pela internet. Apesar dos esforços da Microsoft continua a ser um navegador pouco seguro e sobretudo pouco amigo do utilizador, porque tem o mau hábito de mudar completamente o aspeto de algumas páginas. Só está aqui referido para dizer que se mantenham afastado dele…

Programas a custo zero (4)

Desta vez vamos falar de uns jogos, o Battle for Wesnoth e o Crimson Fields. Ambos requerem conhecimentos de inglês, pois não estão traduzidos para português.

Battle for Wesnoth

Battle for Wesnoth é um jogo de estratégia baseado em turnos, o que se costuma chamar na gíria dos jogos um TBS (Turn Based Strategy).

O jogo passa-se num ambiente de estilo medieval, parecido ao mundo de O Senhor dos Anéis, com cavaleiros, dragões, elfos, orcs, etc. Como é costume nos jogos por turnos, há um momento em que nós movimentamos as nossas personagens, num tabuleiro hexagonal e depois é a vez do(s) adversário(s).  Permite jogar sozinho ou contra o computador ou contra outros adversários humanos.

Crimson Fields

Crimson Fields é também um jogo de estratégia baseado por turnos com um tabuleiro hexagonal, mas o funcionamento é ligeiramente diferente. Há um momento inicial em que se movimentam as peças e só depois se passa para a fase de combate.

O ambiente do Crimson Fields é mais bélico, retratando o conflito entre duas potencias imaginárias.

LyX

O LyX é um processador de documentos que encoraja uma abordagem à escrita baseada na estrutura dos teus documentos (WYSIWYM) e não simplesmente na sua aparência (WYSIWYG).

O LyX combina o poder e a flexibilidade do TeX/LaTeX  com a facilidade de utilização duma interface gráfica.  Isto resulta na criação de conteúdos matemáticos (através dum editor de equações perfeitamente integrado) e em documentos estruturados como artigos académicos, teses e livros  de primeiro plano.  Adicionalmente, o apoio para a criação de referências bibliográficas e criação de índices está incluído na versão standard. Podes também usar o LyX para criar uma carta, um romance, uma peça de teatro ou o guião para um filme. Uma vasta gama de modelos de documentos, prontos a usar, já estão também incluídos.

O LyX é ideal para pessoas que querem que os seus documentos tenham uma aparência espectacular logo à partida. Não é necessário mais trabalho com pormenores de formatação como o tipo de letra ou acertos de margens. Tu só tens de escrever. No ecrã o LyX parece um processador de texto comum; o seu resultado impresso — ou o seu PDF rico em referências cruzadas, que se pode prontamente criar —  é inigualável.

O LyX é disponibilizado sob a licença Free Software/Open Source License, corre em Linux/Unix, Windows e Mac OS X, e está disponível em várias línguas.

Texto adaptado de LyX pelo professor João Pinheiro

IBM Lotus Symphony

IBM Lotus Symphony é o nome de um conjunto de aplicativos para criar, editar e compartilhar arquivos de processador de texto, folha de cálculo e outros documentos. Lançado em julho de 1984 pela Lotus Software como um pacote integrado de aplicativos paraDOS, a IBM recuperou o nome Symphony para uma nova suíte de escritório que foi lançada gratuitamente em 2007.
Disponível inicialmente para Linux e Windows, a partir da versão 1.2 passou também a estar disponível para Mac OS X.

Texto adaptado da Wikipédia pelo professor João Pinheiro

LibreOffice

O LibreOffice é um pacote de aplicações de produtividade destinado tanto para utilizações profissionais como pessoais. É compatível com as principais aplicações de produtividade no mercado. Oferece todas as funções esperadas de um pacote profissional: processador de textos (Writer), folhas de cálculo (Calc), apresentações (Impress), editor de desenhos (Draw), bases de dados (Base) e criação de fórmulas (Math). Também permite a programação na linguagem simples BASIC.

O LibreOffice é a alternativa grátis às aplicações tradicionais do Microsoft Office. É praticamente 100% compatível com os ficheiros criados no Word, Excel, Impress, etc. Converte documentos criados no Microsoft Office para o LibreOffice, e vice-versa. A sua interface também já está adaptada ao Acordo Ortográfico de 1990.

Inclui ainda muitas outras funções integradas, tais como a exportação direta para PDF, extensões, dicionários, impressão em série, e muito mais.

O LibreOffice está disponível para todos os principais sistemas operativos: MS-Windows (Xp, Vista, 7), Linux (32 e 64 bits com pacotes .deb e .rpm) e MacOS-X (processadores Intel e PowerPC).

Texto e imagem retirados de http://pt.libreoffice.org/

AbiWord

O programa que vos apresento hoje, o AbiWord, é um processador de texto, de código livre, grátis e disponível para várias plataformas.

A sua vantagem, relativamente a outros mais potentes, é o facto de ser extremamente leve e potente ao mesmo tempo. Permite fazer tudo o que a maioria das pessoas necessita de um processador de texto e não sobrecarrega a máquina, sendo de fácil utilização, mesmo em PCs mais antigos.

O facto de estar disponível para Windows e para Linux faz com que seja muito fácil trabalhar com os mesmos ficheiros em computadores com estes sistemas instalados.

Experimenta!

Texto: professor João Pinheiro

Programas a custo zero (3)

Desta vez vamos entrar no mundo do áudio.

Audacity

Em primeiro lugar o excelente Audacity, que é um software open source de edição de áudio que permite capturar a partir de diversas fontes e formatos, editar usando uma grande variedade de filtros e efeitos e exportar novamente para uma grande quantidade de formatos.

Free Audio Converter

Mas às vezes não precisamos de um programa tão completo quando queremos fazer algo mais simples, como converter áudio de um formato para outro. Para isso podemos usar o Free Audio Converter que faz exatamente o que diz no nome: é gratuito e converte entre formatos de áudio.

MuseScore

Mas se o que queremos é compor uma obra prima, precisamos de um programa que nos permita criar partituras de música e depois tocá-las. É isso o que faz o MuseScore, além de também poder ser ligado a um teclado MIDI e importar diretamente a música tocada no teclado para a partitura. Constitui aquilo a que se chama no mundo da música um “sequenciador”.

Programas a custo zero (2)

Continuando a ronda pelo mundo do software gratuito e open source, hoje vamos ver alguns utilitários “úteis”, tanto em tempo de férias como em tempo de aulas.

Segurança

Em termos de segurança informática a primeira palavra que vem à cabeça é “vírus”. É essencial ter um bom anti-vírus instalado e atualizado (isto se forem utilizadores de Windows, os utilizadores de outros sistemas operativos não precisam de se preocupar muito). Existem muitos anti-vírus gratuitos mais ou menos bons, como o AVG, AVira, Comodo, etc, mas pela sua simplicidade e eficácia vamos destacar o Microsoft Security Essentials. É produzido pela Microsoft e gratuito para uso pessoal. É bastante leve e atualiza-se frequentemente. É uma ajuda preciosa para manter aqueles irritantes vírus de pen USB fora do nosso computador.

Compressão

Podem não saber o que é “compressão”, mas se disser “ficheiros zip” ou “ficheiros rar” já sabem do que estou a falar. Existem muitos métodos de compressão de ficheiros, o ZIP e o RAR são apenas dois dos mais conhecidos e usados (pelo menos no mundo Windows, os utilizadores linux costumamos usar outros formatos). A aplicação 7-Zip foi originalmente criada para lidar com 7 tipos de compressão (daí o nome), mas atualmente suporta bastante mais. Além de ter tamanho muito pequeno (e portanto é rápido a descarregar e executar) existe uma versão “portable” que pode ser corrida diretamente da pen, sem haver necessidade de instalar nada no computador. Um verdadeiro “must have”. Ah e ainda por cima é open source.

Cópias de segurança

Em relação a cópias de segurança vamos falar de duas aplicações.

Em primeiro lugar o DriveImage XML (existe uma versão free e uma paga). Esta aplicação não é para meros “utilizadores”, é para “power users” que já compreendem algo mais sobre o funcionamento dos PCs. O DriveImage permite fazer uma cópia completa de uma partição (por exemplo a do Windows) mesmo enquanto está a ser usada. Essa cópia pode mais tarde ser usada para fazer a reposição completa do sistema ou para recuperar ficheiros individuais que tenham ficado corrompidos.

A outra aplicação é o Cobian Backup que faz cópias de segurança dos documentos do utilizador, comprimindo-os para ocupar menos espaço. As cópia podem ser enviadas para um disco externo, disco de rede ou CD/DVD.

Programas a custo zero – VDrift

Vamos começar por esclarecer uma coisa: nem todo o software que se “puxa” da Internet é gratuito. Os programas são feitos por pessoas (programadores) que geralmente gostam que lhes paguem pelo seu trabalho. O ato de puxar um programa da Internet sem pagar tem um nome: pirataria informática.

Felizmente, nem todos os programas são pagos, há alguns que são gratuitos e até há alguns que são melhor que gratuitos, porque são open source.

A expressão open source pode ser traduzida para português por “código livre” ou “código aberto” e significa que além do programa ser completamente gratuito o código usado para criar o programa também pode ser visto e modificado (desde que se dê o devido crédito aos programadores originais).

Parece uma ideia estranha, ter o trabalho de criar um programa e depois dá-lo assim gratuitamente, mas na verdade há alternativas open source para *quase* tudo.

É sobre este mundo open source que vamos falar nesta série de artigos. E vamos começar por um jogo.

VDrift
VDrift

VDrift

O VDrift é um simulador de corridas de automóveis. Como é comum nos projetos open source, ainda não é um jogo “acabado”, está sempre em desenvolvimento.

O VDrift, como o nome indica, está pensado para fazer drift racing, que são as corridas em que o piloto faz derrapar propositadamente as rodas traseiras do carro nas curvas.

O download inicial tem apenas 2 carros e 2 pistas, mas pode fazer-se o download de mais carros e pistas no site do jogo, até 40 carros e 40 pistas.

É utilizado um motor de física (é o que determina como se comporta o carro nas curvas, saltos, acelerações, colisões, resistência do ar, etc) que tenta ser o mais realista possível, pelo que é capaz de ser um pouco difícil demais para vocês, condutores virtuais de fim-de-semana… mas se estiverem interessados em experimentar podem dirigir-se ao site oficial em http://vdrift.net/.

Boas corridas.

Professor Ilídio Vicente