Leituras livres…

Este slideshow necessita de JavaScript.

A massificação da utilização dos computadores pessoais, tablets e smartphones é um fenómeno que tem possibilitado o acesso livre e gratuito à informação e à cultura como nunca antes tinha acontecido.

O livro, enquanto meio de transmissão de conhecimento, cultura e como forma de recreação, é um elemento marcante das sociedades modernas, sendo inquestionável a sua relevância para a evolução da humanidade.

Da união entre o mundo da tecnologia e a tradição da escrita sob a forma de livro nasceu o ebook, em 1940, segundo uns, em 1971, segundo outros, pela mão de Michael Hart, fundador do Projeto Gutenberg, o mais antigo produtor de livros electrónicos do mundo.   Esta segunda data é mais consensualmente aceite como sendo a data de nascimento deste tipo de media.

Hoje podes encontrar, facilmente, milhares de ebooks gratuitos (e legais) na Internet. Para tirares partido dessas enormes bibliotecas disponíveis on-line, podes usar um organizador de bibliotecas como o Calibre (disponível para Linux, OS X e Windows) ou o FBReader, entre muitos outros, para Android. Com estes programas poderás navegar por estas bibliotecas e fazer o download dos livros que mais gostas. Podes encontrar mais informação sobre como ler estes livros aqui.

Se quiseres pesquisar diretamente em algumas das maiores bibliotecas digitais da Internet, segue os links que se seguem:

Project Gutenberg

Free-eBooks

Feedbooks

Biblioteca Digital Camões

Ler eBooks – 50 sites com ebooks gratuitos

Texto: professor João Pinheiro

Fotos: capturas de ecrã dos respetivos sites

iPad

Após vários meses de boatos e especulações, que a Apple não confirmou nem desmentiu, mantendo o suspense, finalmente foi revelado um novo produto Apple: o iPad.
O iPad encaixa na categoria dos TabletPC e possui

  • 24 cm x 19 cm x 1,3 cm (um pouco maior que um caderno A5);
  • bateria até 10 horas de autonomia;
  • 680 g ou 730 g de peso (dependendo do modelo);
  • ecrã sensível ao toque de 9.7″ (sensivelmente o mesmo tamanho do ecrã do Magalhães);
  • resolução de 1024×768 pixel;
  • espaço em “disco” flash de 16 GB, 32 GB ou 64 GB;
  • acelerómetro;
  • sensor de luminosidade;
  • microfone e colunas incluídos;
  • wi-fi, 3G, Bluetooth e GPS disponível apenas em alguns modelos.

No entanto revela-se um dispositivo decepcionante, pois faltam-lhe algumas características “essenciais”, como por exemplo uma câmara (os rumores pré-lançamento chegaram a falar em duas câmaras, uma para fotos e outra para video-conferência) e a capacidade de executar várias aplicações em simultâneo.
Esta é, na verdade, a principal falha do iPad. Permite executar todos os programas do iPhone, mas tal como o iPhone, apenas um de cada vez, não permite fazer a alternância de tarefas a que estamos habituados nos desktop e portáteis.
Basicamente, podemos dizer que o iPad é um iPhone grande, mas que não dá para fazer chamadas telefónicas.

Texto: Ilídio Vicente
Foto:Apple