Amnistia Internacional

 

 

 

Os alunos do 10ºC, turma do Curso Profissional Técnico de Turismo, em conjunto com alguns dos seus professores, estão a dinamizar a atividade Maratona de Cartas no âmbito da área curricular de Cidadania e Desenvolvimento, inserida no Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular que visa dar a conhecer, sensibilizar e alertar para casos de violação dos Direitos Humanos. Estes alunos irão junto dos seus pares, solicitar a sua participação nesta atividade, e exortar a comunidade escolar a fazer o mesmo. O grande objetivo é chegar a um número cada vez maior de pessoas, e consequentemente recolher mais assinaturas.

 

  1. O que é a Maratona de Cartas?

É o maior evento de ativismo da Amnistia Internacional e decorre todos os anos perto do último trimestre. Com a Maratona de Cartas pretendemos sensibilizar para um conjunto de casos selecionados e para os quais mobilizamos milhares de pessoas através da escrita de cartas e assinatura de apelos. Ações simples, mas poderosas, e que tendem a resultar numa melhoria das condições de vida para os defensores de direitos humanos em risco.

 

  1. Quais as datas da Maratona de Cartas 2018/19?

Começa a 1 de novembro de 2019 e termina a 31 de janeiro de 2020.

 

  1. Como participar?

Para participar na Maratona é muito simples. Basta:

Assinar os casos da Maratona de Cartas em www.amnistia.pt/maratona

Divulgar a maratona de cartas a toda a sua rede de amigos e familiares!

Participar no nosso concurso de ativismo online!

Podem ainda:

Escrever cartas de solidariedade para os casos selecionados. Sugerimos que as entreguem aos diretores de turma, e que estes as façam chegar à Professora Augusta Estrela ou aos alunos do 10ºC. Serão posteriormente enviadas para a sede da Amnistia, que garante que as mesmas chegarão ao seu destino.

 

  1. Quem pode participar? Qualquer pessoa pode participar na Maratona de Cartas, tendo em consideração:

Qualquer pessoa poderá assinar em www.amnistia.pt/maratona

 

A assinatura dos apelos em papel, disponíveis apenas junto das estruturas da Amnistia Internacional, pode ser feita por qualquer pessoa com idade igual ou superior a 14 anos (com conhecimento prévio dos seus representantes legais quando menor de idade). É essa a idade mínima estabelecida nos Estatutos da Amnistia Internacional para um apoiante, ativista e membro juvenil da organização. Somam-se ainda as boas práticas e sugestões que nos chegam, aconselhando os 14 anos como idade mínima para a participação.

 

  1. Jogo do Ativismo online

A dinâmica de jogo foi criada para incentivar os ativistas mais jovens a tornarem-se verdadeiros agentes de mudança, capazes de envolverem ainda mais pessoas dentro e fora da comunidade escolar

Link de acesso:  www.amnistia.pt/concursomaratona

 

  1. Código de Escola

Código atribuído à nossa escola: CC43

Todas as participações que forem feitas com esse código contarão para a contagem da sua recolha de assinaturas.

(Sugestão: podem fotografá-lo para tê-lo sempre consigo.)

Quantas mais participações fizermos usando este código, maior será a probabilidade de trazermos um evento da Amnistia à nossa escola.

 

  1. Dia 10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos – os alunos do 10ºC irão recolher assinaturas junto da comunidade escolar.

 

  1. Dia 13 de dezembro – os alunos do 10ºC irão recolher assinaturas junto da comunidade escolar na Noite de Excelência.

 Professoras Augusta Estrela (Diretora de Turma) e Ana Lúcia Pina (Coordenadora de Curso)

Solidariedade no Agrupamento

 

Caminhada Solidária Noturna – 15 de junho 2019

Logo após o término de mais um ano letivo (2018-2019) a Escola Básica 2,3 c/ Ensino Secundário de Mação concretizou, no dia 15 de junho de 2019, uma Caminhada Solidária Noturna, em Ortiga. Contou com a participação de quase uma centena de pessoas e um total de 103, pois houve quem não tivesse participado na caminhada, mas ainda assim contribuiu para ajudar quem mais precisa.

A todos, em especial aos patrocinadores e entidades que apoiaram esta iniciativa, e aos mais pequenos participantes e aos avós presentes que, com toda a resiliência e determinação cumpriram mais de 8 km, deixamos o nosso apreço. No espírito maior da humanidade fizemos juntos SOLIDARIEDADE e entregámos ao Lar de Infância e Juventude, Lar Dr. Armando Moura Neves, sediado em Abrantes, 330 euros.

Obrigada a todos!

Professora Cláudia Olhicas de Jesus

Ação Turma Solidária

 

 Recolha de Tampinhas/Caricas “VAMOS JUNTOS AJUDAR A ÁUREA

No Desafio lançado às turmas, já quase no final do ano letivo transato 2018/2019, os alunos da Escola E. B. 2,3 c/ Ensino Secundário de Mação foram desafiados a juntar Tampinhas/Caricas com destino a uma bebé de 18 meses, que nasceu com um problema grave no cérebro, uma doença que a limita e atrasa o seu desenvolvimento psicomotor.

 

A Áurea reside com os pais no concelho do Sardoal. E hoje, segundo os pais, Bruno Campos e Adriana Oliveira, a Áurea já apresenta alguns progressos ao nível da motricidade e da locomoção. A Áurea faz fisioterapia quatro vezes por semana. Nesse desafio, cada turma PARTICIPANTE, deveria ser capaz de encher, POR SEMANA, um garrafão com tampinhas e/ou caricas. Foram três semanas de recolha. Foram mais de 200 garrafões que entregámos.

Obrigada a todos!

 

Professora Cláudia Olhicas de Jesus

Agrupamento Solidário

 

 

 

 

“Mochilas Solidárias: Achas que a tua Turma podia incluir mais um aluno?”

 

A Educação não é a preparação para a vida, é a própria vida…” (Raquel Parente, 12º A). E, na intenção de contribuir, um pouco, para que algumas crianças em Cabo Verde possam sonhar e condignamente crescer na sua Vida Escolar, a turma do 12º A, a convite da Diretora de Turma, desafiou todas as turmas da escola a colaborar com a iniciativa “Mochilas Solidárias: Achas que a tua Turma podia incluir mais um aluno?”, campanha do projeto Cabo Verde, Associação juvenil dos Álamos, em Lisboa – projectocaboverde.wixsite.com. Nesta campanha era pedido a cada turma, interessada, a composição de uma mochila com materiais escolares e afins, para crianças dos 5 aos 17 anos. O desafio lançado pela turma do 12º A foi garantidamente um sucesso pois superaram-se as expectativas, conseguindo-se a composição, na sua maioria com materiais novos, de 29 mochilas, número acima das turmas existentes na escola Básica 2,3 Ciclos c/ Ensino Seundário de Mação. Angariaram-se ainda 20 estojos, alguns brinquedos, bonecas e várias mochilas vazias. A entrega das Mochilas Solidárias, à Associação Juvenil dos Álamos, realizou-se na semana de término das aulas para o 12º Ano, na nossa Escola, a uma representante da Associação. A entrega em Cabo Verde poderá posteriormente ser acompanhada no site da Associação, por altura do verão! Está atento!

 

A Turma do 12º A agradece o envolvimento das turmas 5.º A (4 mochilas), 5.º B (1 mochila), 6.º A (2 mochilas), 6.º B (2 mochilas), 6.º C (1 mochila), 7.º B (1 mochila), 8.º A (1 mochila), 8.º B (1 mochila), 9.º A (1 mochila), 9.º B (1 mochila), 10.º A (1 mochila), 10.º B (2 mochilas), 10.º C (2 mochilas), 11.º A (2 mochilas), 11.º B (1 mochila), 12º A (2 mochilas) e 12º C (1 mochila). Agradece ainda ao Agrupamento de Educação Física (1 mochila), à Professora Graça Dias (1 mochila) e ao Clube Europeu e Agrupamento de Educação Física (1 mochila). Agradece igualmente ao Professor José Gonçalves, à Professora Ana Montargil, às Assistentes Operacionais, Rosário Casola e Ana Alves pelos materiais oferecidos e ainda a todos os Diretores de Turma, Professores e Assistentes Operacionais envolvidas que, de coração, se envolveram nesta iniciativa.

“E que o mundo mágico da infância…  acompanhe, SEMPRE, os meninos de Cabo Verde!” (Ana Vicente, 12º A)

 

A professora Cláudia Olhicas

InforMação

MAÇÃO SOLIDÁRIO

 

 

   Zumba solidário contra cancro da mama

No passado dia 21 de outubro de 2017, pelas 17:00 horas, no Largo dos Combatentes, foi promovida uma sessão de zumba solidário dado pela professora Tânia Pires.

 

 

O mês de outubro é caracterizado pelo mês da prevenção do cancro da mama e nada melhor que um desporto para chamar a atenção das pessoas em relação a este assunto, que, em si, já é de extrema importância, pois uma das principais causas do cancro da mama é a obesidade.

Este evento contou com cerca de 20 pessoas das mais variadas idades, não sendo necessário inscrição, apenas que trouxessem uma peça cor de rosa. Todos os participantes gostaram da atividade, tendo a participante Marta Mousaco referido que “o zumba foi ótimo, é uma excelente maneira de as pessoas apelarem a esta causa e as coreografias eram fáceis”.

O objetivo desta aula de zumba em relação à sua causa foi cumprido e espera-se que no próximo evento participem mais pessoas.

 

Marta Matos, 10º A

Almoço Solidário

Almoço Solidário – Corações Maiores – Por Mação e Pedrógão Grande – 8 de outubro 2017

 

No passado mês de outubro, o Agrupamento de Escolas Verde Horizonte mostrou, mais uma vez, a sua total disponibilidade para apoiar causas onde a solidariedade é o mote. E, como tal, juntou-se à equipa CORAÇÕES MAIORES através da professora Cláudia Olhicas, mentora da equipa do almoço Solidário Por Mação e Pedrógão Grande e ainda diretora de turma do 12º A.

No almoço, alguns alunos da referida turma, assim como das turmas de Hotelaria e Restauração, 10º, 11º e 12º Anos e Turma de Cef, apoiaram e representaram a escola com a maior das dedicações. Este encontro contou ainda com a presença de 270 pessoas de vários pontos do país, que passo a enumerar: São Martinho do Porto, Mealhada, Leiria, Barreiro, Torres Novas, Constância, Abrantes, Pucariça, Rio de Moinhos, Alferrarede, Tramagal, Abrançalha, Chainça, Rossio ao Sul do Tejo, São Miguel do Rio Torto, Bemposta, Mação, Envendos, Carvoeiro, Cardigos, Ortiga e Pedrógão Grande. E, surpreendentemente, estiveram presentes grandes corações que, fisicamente, apresentam grandes debilidades.

Este almoço, pensado pouco depois da catástrofe de Pedrógão Grande, e inicialmente previsto apenas para Pedrógão estendeu-se também a Mação. Felizmente em Mação não se registaram vítimas mortais, contudo a área ardida do concelho, as habitações destruídas pelo fogo e os equipamentos de trabalho de muitas famílias motivaram a que o almoço acontecesse também por Mação.

A equipa Corações Maiores tem ido ao terreno reconfortar as famílias com bens materiais, alimentares e com mensagens de esperança e, em conjunto com cidadãos conscientes da realidade da dor da perda e que entendem o verdadeiro significado de “hoje eles, amanhã nós”, tem vindo assim a minimizar algumas necessidades. E foi precisamente nesta linha de ações que o almoço surgiu, para dar continuidade a este incrível trabalho.

Este almoço marcou um dia onde o altruísmo falou mais alto, um encontro de convívio e degustação, mas sempre orientado para um objetivo, contribuir para minimizar a dor de quem tudo ou quase tudo perdeu nos incêndios de Mação e Pedrógão Grande. Decorreu ao som do piano de Nelson Bugalho e contou com a extração de 3 lotos, o que permitiu a obtenção adicional de 390€, usados para auxiliar a recuperação de um residente de Pedrógão Grande que sofreu graves queimaduras e que acordou há pouco tempo de um coma.

E se é verdade que este almoço irá ajudar imensas pessoas, também é um facto que a sua realização não teria sido possível sem a ajuda de algumas pessoas e patrocinadores, pelo que, em nome da Equipa Corações Maiores e do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte, deixo um último agradecimento a todos os que estiveram presentes, especialmente àqueles que viveram a catástrofe; ao Diogo Lindo e Fábio Ferreira pelos vários contributos; às professoras Camila Fernandes e Margarida Castanho pela ornamentação das mesas; ao professor José Gonçalves pela partilha de algumas fotos do concelho de Mação; ao ex-aluno da Escola Secundária de Mação, Miguel Lourenço, pela disponibilidade para a organização dos registos fotográficos e vídeos; ao Pianista Nelson Bugalho pela inegável dedicação; aos corações maiores que ajudaram na venda dos bilhetes; assim como aos proprietários dos estabelecimentos de venda dos mesmos, Dom Papito, Dunas de Saber e BeaKid; ao grupo que dinamizou o loto, especialmente à Olga Alves, ao Daniel Pereira e ao Pedro Santos; assim como aos patrocinadores do loto; à AMS, à Quinta das Oliveiras, e, por último, ao alunos das turmas de Hotelaria e Restauração e às técnicas que os acompanharam, Bárbara António, Raquel Rosa e Carla Martins, que com rigor e sabor abrilhantaram ainda mais este evento Solidário.

A união entre todas estas entidades possibilitou a obtenção de 1680€, que serão repartidos em partes iguais por Mação e Pedrógão Grande através de bens a entregar a algumas famílias afetadas, em época Natalícia.

Ninguém ficou indiferente a este significativo gesto e, pessoalmente, como partilho da opinião de que a solidariedade é contagiante, penso que nos devemos deixar contagiar e contagiar o próximo, pois solidariedade é nada mais, nada menos, que amor em ação, e é precisamente disso que o mundo necessita!

 

Raquel Parente, 12º A

“A LEONOR VEIO ENSINAR-NOS A SERMOS PESSOAS MELHORES” (NEUZA DIAS E BRUNO OLIVEIRA)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em 5 de janeiro de 2017, este jornal deu conta da morte da pequena Leonor. Tinha 5 anos quando lhe detetaram a doença, uma doença grave, daquelas que nunca nos apraz pronunciar. Lutou veemente até ao dia em que as suas forças sucumbiram. A sua luta teve início a 22 de abril de 2016 e terminou na manhã de 10 de dezembro de 2016. Durou pouco mais de 7 meses. Em agosto não lhe davam tempo de vida, e ela, Leonor, uma grande Guerreira, foi-se mantendo entre nós! Como costumo dizer, permaneceu connosco como que, para preparar os seus mais queridos amigos, os Pais, Neuza Dias e Bruno Oliveira, para a despedida. E se eles lutaram! Lutaram com todas as suas forças!

Os alunos do 12º A, movidos por uma vontade enorme de ajudar a Leonor com os tratamentos, organizaram o CONCERTO SOLIDÁRIO POR TI LEONOR, realizado a 15 de Outubro de 2016, no Cineteatro de Abrantes, com o qual se angariou 5265 euros, depositados na conta da princesa Leonor no dia 19 de novembro de 2016. Esta iniciativa sensibilizou centenas de CORAÇÕES MAIORES.

LUTÁMOS ao lado de quem mais a amou, com toda a determinação e com todo o nosso acreditar, mas não fomos capazes… E hoje, passados quase 8 meses da sua morte, agrada-me partilhar publicamente que os seus Pais, Neuza Dias e Bruno Oliveira, são hoje PESSOAS MELHORES. Tenho-os acompanhado!

Pouco tempo depois da morte da Princesa Guerreira, em 18 de janeiro de 2017, os pais da Leonor doaram ao CRIA a cama articulada e elétrica e a respetiva cadeira de rodas da Leonor. A cama tinha sido uma oferta do Sr. Domingos Chambel da TRM (empresa de Tratamento de Revestimentos de Metais LDA) e a cadeira uma oferta do Sr. Paulo Neto (Companhia de Seguros Fidelidade). A mãe da Leonor, pouco tempo antes da doação, questionou-me se haveria de doar esses equipamentos a um particular ou ao CRIA e optou-se pelo CRIA já que os mesmos poderiam servir para dar apoio a mais do que uma pessoa. Depois disso fizeram uma doação de livros ao IPO, que lhe tinham sido oferecidos pelo grupo Leya, que lhos oferecera por intermédio de um pedido em nome dos alunos do 12º A. Desde aí têm acompanhado casos de doentes com problemas oncológicos. Deste acompanhamento, o mais recente é feito a uma menina que, com 21 anos, luta há mais de 15 meses contra a doença. Esta menina, de seu nome Beatriz Estoira Coelho, do distrito de Santarém, precisa hoje de muita ajuda. Os pais da Leonor têm acompanhado a situação, agora mais de perto, e fizeram no corrente mês uma transferência de 750 euros para a conta da Beatriz que, por mês gasta mais de 3000 euros em medicação. (Se pretender contribuir para ajudar a Beatriz poderá fazê-lo através do NIB: 0045 5152 40290055179 86 / IBAN: PT50-0045 5152 4029 0055 1798 6).

Não me esqueço nunca da conversa que tive com a mãe da Leonor no dia do velório. Apesar de estarmos ali no ambiente mais terrível de todos, de grande dor, a mãe da Leonor só dizia: “nós queremos ajudar pessoas aqui da zona, do distrito de Santarém, que tenham problemas semelhantes”. Hoje, a mãe da Leonor faz parte também de um grupo solidário, por Pedrógão Grande. Os pais da Leonor contribuíram para a 1ª entrega de bens feita no dia 29 de junho de 2017, em Pedrógão Grande. A mãe da Leonor esteve no terreno, nesse dia a entregar os bens recolhidos em Mação e em Abrantes e a confortar todos aqueles que perderam tudo ou quase tudo: terrenos, casas, familiares e amigos… A próxima ação solidária por Pedrógão Grande é no próximo dia 28 de julho de 2017 e também desta vez iremos contar com o contributo destes maravilhosos seres.

Aprender a amar os outros, acredito eu, foi a mensagem que a pequena Leonor lhes veio deixar. Espero puder dar-vos conta de outros atos que nos façam perceber que a Neuza e o Bruno são hoje, mais do que nunca, seres de Corações Maiores.

A professora Cláudia Olhicas de Jesus

CRIA – 2 DE JUNHO DE 2017 – DE CORAÇÃO CHEIO… “Ao Encontro de Mudanças e Desafios, e de Crescimento Pessoal”

IMG_3242.JPG
Clicar na foto para ver a reportagem completa.

 

Alunos do 12º A assumiram papel de tutores na última atividade de um grande projeto onde os afetos foram prioridade!

Eu sou do tempo… dos alunos brilhantes! Tempo esse do AGORA e que o seja para SEMPRE! Tempo de partilha, de ternura, de afetos, sorrisos e encanto, e de muita SOLIDARIEDADE! Mais uma vez tive o privilégio de verificar o entusiasmo e a dedicação dos alunos do 12º A na realização da última atividade concretizada no âmbito do projeto que iniciaram no ano transato e que agora terminou. Alunos brilhantes contagiam alunos brilhantes! E estes, de palmo e meio, aceitaram o desafio, contudo com alguma preocupação e ansiedade. Mas quando a solidariedade é o mote, apesar de alguns senãos, a vontade e a determinação, de grandes corações, sobrepõem-se a tudo o resto! E assim foi! Os meninos de palmo e meio, dezanove alunos da turma do 5º A acompanhados pelos seus Tutores – alunos do 12º A – lá foram ao encontro, também eles, de mudanças e desafios no Centro de Recuperação e Integração de Abrantes. Nesse dia, 2 de junho 2017, as atividades foram ao encontro do que já vem sendo hábito, canto/música, dança, acrobática e atividades quinestésicas. O C.R.I.A. parou para receber esta grande equipa! Esperavam-nos, naquela tarde, cerca 150 utentes e trabalhadores, cheios de entusiasmo, expetativa e brilho no olhar! Os “pequenos” do 5º A foram, aos poucos, percebendo também a sua missão ali! Jamais me esquecerei dos “chefes”, palavra que os “pequenos” do 5º A usaram para identificar os seus Tutores. E nesse papel assumido pelos alunos do 12º A não poderia estar mais satisfeita, desempenharam-no sem reparos, quase na perfeição. Curiosamente foi nesta última atividade que a comoção pelos afetos mais se fez sentir pelos alunos do 12º A. Os sorrisos constantes, os abraços apertados, a soar das palmas, a alegria pelo movimento, a atenção à voz da “nossa” Amélia e ao som da Guitarra do “nosso” João Delgado, tornou este dia especial e diferente para todos! Agradeço por isso ao C.R.I.A., pela oportunidade de tornar estes alunos seres mais capazes e altruístas! Obrigada C.R.I.A. mil vezes por acreditar nos meninos do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação e pela calorosa receção! Um obrigada ao Dr. Nelson de Carvalho, ao Dr. Carlos Veríssimo, um obrigada especial à Dra. Ruth Silva e ao Professor Diogo Rosado. Por fim agradeço à Câmara Municipal de Mação, ao Dr. Vasco Estrela e ao Diretor do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação, Dr. José António Almeida, sem vocês à retaguarda nada disto seria possível! Um obrigada ainda ao fotógrafo de serviço, Professor João Gonçalves, ao Diretor de Turma do 5º A, professor Luís Pereira, e à Assistente Operacional, Rosário Murta.

Para finalizar, acredito eu, que esta última atividade, de conclusão do projeto Solidário do 12º A, vai deixar muitas saudades…Amélia Silva, João Delgado, Carolina Marques, Inês Pereirinha, Miguel Esteves, Rafaela Rei, Daniela Martins, Rodrigo Leitão, Leonor Bento, João Ferreira, Mónica Marques, Gonçalo Martins e Diogo Borracha, a vossa entrega a cada causa é sempre extraordinariamente contagiante! Aprender com novos desafios e pela diferença permitiu a estes alunos, com certeza, a aquisição de novas competências, que ficam para a vida. E assim se motiva, e assim se aprende, e assim se conquistam alunos. Obrigada a todos pelo vosso caráter e demonstração humana! Continuem assim meus queridos e que os vossos sucessores, 5º A, espero eu, possam continuar o que vocês iniciaram, que a mensagem tenha chegado lá! Obrigada também aos “meus” pequenos aprendizes do 5º A, porque estão no bom caminho – Amadeu António, Ana Luísa Rocha, Carolina Loureiro, Francisco Oliveira, Francisco Pereira, Guilherme Matos, Gustavo Marques, João Martins, Lara Godinho, Leonor Pereira, Madalena Durão, Mafalda Parente, Margarida Moleiro, Maria Beatriz Pires, Maria Carolina Rito, Maria João Silva, Martim Matos, Nicole Gonçalves e Rafael Rei.

Texto: professora Cláudia Olhicas de Jesus

Fotos: professor João Gonçalves

NOITE DE NATAL INESQUECÍVEL, Junto dos Sem-abrigo de Lisboa

 

1-1
Clicar na foto para ver a reportagem fotográfica completa.

Foi na noite de 25 para 26 de dezembro de 2016, que nós, alunos do 12.º A – 2016/2017, rumámos até Lisboa, acompanhados de alguns professores do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação, nomeadamente, das professoras Cláudia Olhicas, Margarida Castanho e Alexandra Ribeiro, do nosso Diretor de Agrupamento, José António Almeida e do filho do Diretor, João Almeida, no âmbito do projeto “Ao Encontro de Mudanças e Desafios, e de Crescimento Pessoal”. Neste novo desafio acompanhámos a Comunidade Vida e Paz em três voltas com as equipas de rua e entregámos aos muitos Sem-abrigo, que fomos encontrando, alimentos e agasalhos. Como grupo, achámos que esta missão teve um retorno muito positivo. Entendemos que todos crescemos um bocadinho enquanto alunos e seres humanos. Uma experiência que contribuiu, um pouco, para ajudar quem vive sem teto, mas que acabou por nos ajudar mais a nós alunos, pois no fim da noite apesar de cansados e com frio todos nós regressámos a casa, já de madrugada, com o coração cheio de alegria e paz. Naquela noite fomos realmente felizes! Como nota final não podemos deixar de agradecer àquela que foi a mentora de tudo isto, a nossa Diretora de Turma, Cláudia Olhicas, já que foi ela que nos incentivou e que nos tem feito ser um “exército de corações maiores”! Um grande e sentido obrigado professora! Ao Sr. Carlos Maia que fez a ligação à comunidade Vida e Paz e ao nosso Diretor, José António Almeida, aqui expressamos também os nossos agradecimentos por nos permitirem participar de uma experiência inesquecível!

 

Pela Turma do 12º A,

Rodrigo Leitão e João Delgado