Opinião

A Idade Média e o fascínio que exerce na atualidade

 

Atualmente, as pessoas têm um grande fascínio pela Idade Média.

A Idade Média foi um período de grandes mudanças. Como o próprio nome indica, foi o período de tempo entre a antiguidade e os tempos atuais.

Sim, houve grandes mudanças, mas, na minha opinião, nada que pudesse causar assim tanto fascínio pela parte das pessoas na atualidade.

Eu penso que as maiores mudanças foram na língua, que teve uma enorme evolução, e continua a evoluir, e na cultura, que, não tanto como a língua, também evoluiu bastante.

Hoje em dia, em Portugal, fazem-se as chamadas feiras medievais, onde as pessoas se vestem a rigor, como antigamente e se divertem como antigamente. Considero que é bom “reviver” o passado, e mostrar, principalmente aos mais novos, como era viver naquela época, sem tecnologia como a de hoje em dia, sem liberdade como a de hoje em dia.

Atualmente, nós, os adolescentes, temos demasiada liberdade, comparada à que os nossos avós deram aos nossos pais, ou até mesmo à que os nossos bisavós deram aos nossos avós, e mesmo assim continuamos a reclamar do que temos.

Eu julgo que consigo entender o gosto pela Idade Média, mas o fascínio não.

 

Maria João Matos, 10ºA

 

 

Anúncios

Reportagem

 

Turistas a mais em Lisboa?

                O turismo em Portugal, e especialmente em Lisboa, tem vindo a aumentar exponencialmente assim como todos os tipos de negócio ligados, direta ou indiretamente ao turismo.

Segundo o “lobal Destinations Cities Index”, da Mastercard, entre 2009 e 2016 houve um crescimento de 7,4% no número de visitantes internacionais que pernoitam na cidade, colocando assim Lisboa no “top” 5 das cidades europeias com o crescimento mais rápido.

Um outro estudo afirma que a grande maioria dos lisboetas, 90%, está satisfeita ao ver o número de turistas na cidade aumentar de dia para dia. Contudo, ainda existem 10% dos lisboetas inquiridos que se mostram insatisfeitos com o aumento de visitantes internacionais na cidade.

O ponto de vista destes 10% de pessoas inquiridas é completamente compreensível e visível por toda a cidade.

Por exemplo, devido à grande ocupação da capital portuguesa por parte de cosmopolitas e não só, a inflação de preços no setor da habitação subiu bastante nestes últimos anos e consequentemente o número de antigos habitantes da cidade que ficaram sem a sua casa, devido à grande procura de grandes empresas de construção e de hotelaria aumentou. Outro grande problema que estes inquiridos apontam é a “Invasão dos Tuk- Tuks”.

O trânsito na cidade tem ficado cada vez mais caótico, devido aos Tuk-Tuks– veículos de três rodas que, consoante os modelos, podem transportar até seis pessoas em visitas guiadas-que circulam por toda a metrópole, especialmente, nos bairros históricos, provocando incómodos na vida das populações ali residentes e originando várias queixas, como, por exemplo, o ruído e a poluição produzida por estes veículos, por parte dos moradores de várias freguesias da cidade. Em 2015, a freguesia de Santa Maria Maior juntou-se aos subscritores de uma petição que visava o controlo de Tuk-Tuks em Alfama. O presidente da junta reivindicava ainda o controlo da circulação destes veículos noutras zonas da freguesia.  Acabaram por conseguir a proibição da circulação destes veículos em algumas ruas da zona do Castelo. Foram ainda aplicadas regras a este meio de transporte, como, por exemplo, a proibição de transporte de bagagens.

Devido a este crescente interesse, por parte de estrangeiros no nosso país, o investimento em Portugal tornou-se mais atrativo. Segundo o relatório do Fórum Económico Mundial, Portugal encontra-se na 14º posição mundial, num ranking sobre os mercados mais atrativos para negócios no setor das viagens e turismo. Existem até países, como é exemplo a Turquia, que anunciaram investimentos no mercado nacional, neste caso um conjunto de investimentos no valor de 300 milhões de euros, em turismo, habitação, entrada no capital de um estaleiro naval do Norte e no terminal do Barreiro.

Contudo, a maioria dos nossos compatriotas lisboetas está bastante contente com a acessão de turistas que visitam a cidade.

Lisboa, assim como muitas outras cidades, aplica uma taxa turística de 1 euro por noite até ao valor máximo de 7 euros (7 noites seguidas por dormida e por hóspede). Esta medida entrou em vigor no dia 1 de janeiro de 2016.

Segundo um relatório do Instituto Nacional de Estatística a atividade de alojamento turístico em Portugal (hotelaria, turismo no espaço rural e alojamento local) registou 21,3 milhões de hóspedes e 59,4 milhões de dormidas, portanto pode concluir-se que os proveitos totais e os de aposento do setor de alojamento turístico ascenderam, respetivamente, a 3,1 mil milhões de euros e 2,3 mil milhões de euros. Sendo o turismo, atualmente, um grande setor que contribui bastante para a economia do país, estes grandes números pressupõem um crescimento na economia nacional que irá criar novos projetos, estudos, equipamentos ou infraestruturas que produzam impacto direto ou indireto na promoção e qualidade do turismo na cidade de Lisboa numa perspetiva de crescimento sustentável a longo prazo.

O turismo contribui também para a diminuição da taxa de desemprego, o que apenas traz benefícios para o nosso país. Por exemplo, se caminharmos pela Rua Augusta, é quase incontável o número de pequenas lojas de comércio local e de performances de rua, que penso contribuírem tanto para a imagem da cidade de Lisboa como para o aumento do rendimento de inúmeras famílias e indivíduos.

De acordo com um estudo realizado pela “Intercampus” revela que 91% dos residentes e para 80% dos que trabalham em Lisboa a cidade “tem hoje mais vida”. Há ainda 73% da população lisboeta que concorda com a afirmação “o turismo tem-me ajudado a sentir mais orgulhoso em relação a Lisboa“.

 

 

 Mónica Silva, 10ºA

Reportagem

Web Summit

A nona edição da Web Summit ocorreu entre os dias 6 e 9 de novembro de 2017, em Lisboa. Contou com 150 empresas portuguesas, onde muitas destas tornaram a estar presentes neste que é um dos maiores eventos de tecnologia, inovação e empreendedorismo do mundo.

Os bilhetes de entrada rondaram de mil a vinte e cinco mil euros.

Uma das empresas destacadas foi a que apresentou um programa para diagnosticar doenças do cérebro, a partir de ressonâncias magnéticas, analisando as características das diferentes doenças que afetam o cérebro. Esta empresa procura identificar padrões para ajudar os médicos a traçar um diagnóstico mais preciso e precoce.

A vencedora do concurso pitch do Web Summit 2017 foi a francesa Lifeina, ao apresentar o “frigorífico mais pequeno do mundo” que conserva a medicação, bem como relembra o paciente de a tomar. Esta afirma que este produto não é só um frigorífico. É uma ferramenta para o coração e para a liberdade”.

 

 

Maria Beatriz, 10ºA

 

 

InforMação

 

Incêndio em Mação

   No dia 23 de setembro de 2017 a região entre as localidades Pereiro, Chão  de Codes e Castelo pertencentes às freguesias de Mação  e Aboboreira  foi surpreendida por um grande incêndio.

   Os habitantes das três  aldeias com muita preocupação, por volta das três  da tarde, veem  subir uma grande coluna de fumo muito rapidamente e com barulho de camiões  de bombeiros  mais preocupados ficaram ainda.

   Neste início de outono a população das aldeias teve que lidar com mais um incêndio, pois ambas já teriam sido atacadas por várias  vezes por diversos incêndios no verão. Apesar de muitos incêndios que as aldeias com sucesso conseguiram defender.

   Os populares afirmam que os incêndios “vinham de mão humana”,  pois neste verão  mais ou menos  80% do concelho  teria ardido, e que os locais mais importantes como, por exemplo, a Câmara  Municipal  e a Junta de Freguesias teriam recebido cartas a dizer que Mação iria arder todo.

   Contudo, a população de Pereiro não sofreu grandes danos, apenas na parte inferior na estrada que encaminha para a aldeia de Castelo, que foi gravemente atingida por este incêndio tal como Chão  de Codes.

 

 

 

Daniel Rei, 10°A

 

 

InforMação

MAÇÃO SOLIDÁRIO

 

 

   Zumba solidário contra cancro da mama

No passado dia 21 de outubro de 2017, pelas 17:00 horas, no Largo dos Combatentes, foi promovida uma sessão de zumba solidário dado pela professora Tânia Pires.

 

 

O mês de outubro é caracterizado pelo mês da prevenção do cancro da mama e nada melhor que um desporto para chamar a atenção das pessoas em relação a este assunto, que, em si, já é de extrema importância, pois uma das principais causas do cancro da mama é a obesidade.

Este evento contou com cerca de 20 pessoas das mais variadas idades, não sendo necessário inscrição, apenas que trouxessem uma peça cor de rosa. Todos os participantes gostaram da atividade, tendo a participante Marta Mousaco referido que “o zumba foi ótimo, é uma excelente maneira de as pessoas apelarem a esta causa e as coreografias eram fáceis”.

O objetivo desta aula de zumba em relação à sua causa foi cumprido e espera-se que no próximo evento participem mais pessoas.

 

Marta Matos, 10º A

Reportagens

INAUGURAÇÃO DO NOVO SHOPPING

 

 

No dia 30 de outubro 2017, pudemos presenciar a inauguração do Mar Shopping, no Algarve, mais especificamente em Faro.

Devido ao aumento das necessidades da população, foi necessário criar um novo edifício de compras para a cidade corresponder à solicitação da população. A inauguração teve palhaços para divertimento dos mais novos, empregadas das lojas dando balões, homens com penas de gigantes e muitas promoções.

Concluindo, este novo meio vai dinamizar mais o trabalho e temos uma citação da D. Carlota acerca deste evento: “Foi espectacular e já estava a ser preciso um shopping nesta região e estou muito agradecida para com o presidente da câmara de Faro”.

 

Tomás Borges, 10ºA

Reportagem

Lisboa Games Week

 

A Worten volta a realizar, pela terceira vez, no Parque das Nações, a Lisboa Games week que desta vez ocupou dois pavilhões (pavilhões 3 e 4 da FIL [feira internacional de Lisboa]) diferente das três primeiras convenções que decorreram apenas num.

 

Em primeiro lugar, a meu ver, e como frequente observação de alguns entrevistados, a maior mudança desta edição da convenção foi, de certeza, o aumento do espaço para dois pavilhões. Desde o primeiro evento que um dos grandes problemas era o “pequeno” espaço de apenas um pavilhão em relação à quantidade de pessoas. O acréscimo de um pavilhão ajudou não só na movimentação das pessoas, mas também deu lugar a mais atividades.

No evento, estiveram representadas algumas marcas conceituadas no mundo dos jogos: Playstation (Sony), Xbox (Microsoft), Nintendo, Omen (HP) , Republico of Gamers (ASUS), Lenovo, LG, algumas lojas de informática: PCDiga, a própria Worten, AlienTech , GlobalData e outras marcas que não fazem parte da categoria de informática nem de jogos mas que também patrocinaram o evento: CTT, Moche, Cigala e Blue.

As marcas presentes tinham stands com jogos para demonstração, as lojas tinham, cada uma, os seus “minimercados” onde vendiam principalmente Jogos e componentes “Gamer” e as restantes patrocinadoras tinham os seus próprios espaços de publicidade, e no caso da Cigala e Blue, que são marcas de culinária e de refrigerantes, respetivamente, também tinham a venda dos seus produtos. Para além disso, também havia à venda outro tipo de produtos do universo dos vídeo-jogos e de cultura Pop Japonesa com posters, T-Shirts, etc., realizaram-se torneios de E-Sports: FIFA 18, Counter Strike Global Offensive, Overwatch, etc. e estiveram presentes bastantes Youtubers a dar autógrafos e a tirar fotografias com os seus fãs.

Para finalizar, esta terceira edição foi a melhor, muito devido ao aumento do espaço e á adição de mais espaços com consolas para testar os novos lançamentos de vídeo-jogos. Se este evento continuar a melhorar, cada vez mais irá atrair mais gente e, quem sabe, no futuro, aumentar mais um pavilhão.

 

João Garcia, 10º A