A room with a view I

A room with a view  trata-se de uma atividade proposta pela docente de Inglês aos alunos da turma B, do 7ºano. Inserida na unidade 5 – My World, pretende-se que esta atividade lúdico-pedagógica motive os alunos para que tirem uma fotografia da janela do seu quarto. A foto deve apresentar uma legenda em Inglês e indicar o local que ilustra.

Aqui tens a primeira. Enjoy it!

Nature in bloom after a cold winter!

Cardigos, May 2020

Inês Delgado, 7º B

Poesia

 

 

 

As palavras

São azuis como o céu e as águas brilhantes dos rios, dos lagos e do mar
Voam como as aves que rasgam o céu indo para Sul
Planam como os papagaios de papel dourado
Sopram como o vento nas tempestades
Flutuam como os dentes de leão
Aquecem todos os que as ouvem como o Sol e a fogueira
Com elas escrevo saúde, amor, família, planeta e sonhos.
A minha história num poema…

Texto poético coletivo, 7ºA

Infância

 

Viagem à minha infância

            Queria voltar atrás no tempo e lembrar como vivia na minha infância.

– Então é isso que vou fazer hoje, e tu vens comigo!

Sempre fui uma criança honesta, cuidadosa, preguiçosa e muito teimosa, o que mais me marcou foram os meus primeiros passos, as minhas primeiras palavras e também o nascimento do meu irmãozinho, mas vamos do início.

Quando era criança, sempre gostei de brincar ao faz de conta, às limpezas e aos pais e às mães, mas sempre que jogava isso com o meu pai, ele fazia-me cócegas e acabava assim o jogo.

Da minha boca, saiam muitas coisas, principalmente parvoíces, mas o normal tema entre amigos era a escola “dos grandes”, porque nunca sabíamos o que havia naquela escola. Agora que aqui estou, sinto que é apenas uma escola normal!

Nos meus tempos livres, eu brincava na casa dos meus avós, corria, pulava, dançava, cantava até que o sono viesse ao de cima.

Na minha família, convivíamos muito, marcávamos jantares, almoços, lanches e fazíamos viagens por todo o Portugal.

–  Cuidado , Soldado! A viagem vai ser turbulenta!

 

Inês Jesus Ferreira,  7ºA

Texto expositivo

 

 

Animais em cativeiro em debate

Existem vários animais em cativeiro, pois o ser humano não consegue distinguir animais domésticos, de animais silvestres. Um animal doméstico é aquele animal que se consegue reproduzir e fazer as suas atividades ao lado do ser humano. Já os animais silvestres são aqueles animais que foram retirados da natureza e aos quais a presença do ser humano incomoda, pois eles não se conseguem reproduzir nem realizar outra atividade qualquer, ou dificilmente o conseguem. Alguns exemplos de animais domésticos são o cão, o gato, a galinha, o porco. O papagaio, a arara, o mico e o jabuti são alguns exemplos de animais silvestres.

Alguns argumentos a favor dos animais em cativeiro são os seguintes:

Os animais devem estar em cativeiro para se reproduzir mais, para a espécie não ficar em perigo de extinção, mas também para não serem caçados pelos animais mais fortes, pelos seus predadores ou até pelos caçadores humanos.

Os animais devem estar presos pois eles matam pessoas ou deixam-nas feridas.

Os animais devem estar aprisionados pois eles são treinados para ajudarem pessoas com doenças.

Os animais não devem estar em liberdade, pois a ciência tem a ver com os animais e no zoológico conseguem um estudo mais de perto.

Como argumentos contra referiram-se os seguintes:

Os animais têm direitos, e nós, seres humanos, não temos o direito de tirar os animais do seu habitat, nem que seja para se reproduzirem só para não acabar com a espécie.

Os filhotes de muitos animais trazem visitantes e dinheiro, mas este incentivo leva a produzir novos animais, que leva à superpopulação. Os animais excedentes são vendidos não só para outros zoológicos, mas também para circos, para a caça e até mesmo para abate. No zoológico ensinam muita coisa às crianças, então não devíamos ensinar-lhes a aprisionar animais para nosso próprio entretenimento.

Os animais têm de ser livres, pois, como os seres humanos, eles também são seres vivos, por isso não podem ser fechados em jaulas. Há estudos que demostram que os elefantes ao serem mantidos em cativeiro em zoológicos, não vivem tanto tempo como os elefantes que vivem na selva.

Alguns zoológicos apenas matam alguns animais excedentes. A remoção de indivíduos da natureza possivelmente prejudica ainda mais a população selvagem, porque os indivíduos restantes terão menos diversidade genética e terão mais dificuldade de encontrar companheiros.

Os santuários também reabilitam a vida selvagem e abrigam animais de estimação exóticos, indesejados, sem criação, compra e venda de animais, como os jardins zoológicos fazem. Por vezes, os animais escapam dos seus recintos, colocando em risco a si mesmos, bem como às pessoas. Houve mesmo casos de animais do zoológico que atacaram e comeram outros animais do zoológico.

Os animais não deviam estar em cativeiro, pois ninguém se devia sentir preso. Há um argumento que se deve comentar mais um pouco, dada a sua importância, que é o facto de que os animais ficam em cativeiro para se poder fazer um estudo mais de perto e melhor. Mas porquê tirar os animais da sua casa só para os biólogos estudarem? Porque não vão os biólogos ter com os animais?…pois ninguém gosta de sair da sua casa. Os animais são como os humanos, também têm direitos.

Este assunto ainda tem muito por discutir.

Inês Martins Delgado, 7ºB

Texto de opinião

 

Cativeiro de animais em discussão

Na aula de Português foi realizado um debate no qual o assunto a debater era “Os animais em cativeiro”.

A turma foi dividida em dois grupos que debateram entre si se os animais deveriam ou não estar em cativeiro.

A meu ver, o debate foi muito renhido, e ambos os grupos apresentaram argumentos que levaram ao objetivo de um debate que é “discutir” e apresentar argumentos e contra-argumentos.

Na minha opinião, quer os argumentos de um grupo, quer os do outro estavam corretos e aceitáveis, mas a minha conclusão foi que os animais só devem ficar em cativeiro em casos excecionais, por exemplo se estiverem em vias de extinção e precisarem de condições melhores para se poderem reproduzir, nos outros casos os animais merecem e devem ter uma vida normal no seu habitat natural junto dos seus, pois, se esses animais forem habituados a fazerem-lhes tudo, vão perder as suas capacidades de caça, e instinto selvagem, por exemplo.

                                          Jéssica Moucho, 7ºA

 

 

Receitas do 12ºB

Magret de pato

Ingredientes:

 

250 g cerejas

800 g peito de pato

2 c. chá de sal

1 c. sopa de azeite

80 g chalotas

1 dl vinho branco

qb pimenta

400 g feijão verde

1 c. sobremesa vinagre balsâmico

qb cebolinho

 

Ingrédients:

250 g cerises

200 g magret de canard

2 cuillères à café de sel

1 cuillère à soupe d’huile d’olive

q.b poivre

400 g haricots verts

1 cuillère à dessert au vinaigre balsamique

q.b ciboulett

 

 

Tire o caroço das cerejas e reserve-as. Faça uns golpes em losango na pele dos peitos de pato e coloque-os numa frigideira antiaderente bem quente, dispondo-os com a pele virada para baixo e deixando alourar de todos os lados. Tempere com uma colher de chá de sal e retire.

Rejeite a gordura que ficou na frigideira, adicione uma colher de sopa de azeite e refogue as chalotas picadas. Junte as cerejas, regue com o vinho e tempere com um pouco de pimenta. Envolva bem e deixe cozinhar cerca de quatro minutos.

Lave o feijão verde, tire-lhe as extremidades e fios e coza-o em água com o restante sal.

Sirva os peitos de pato cortados em fatias, acompanhados com as cerejas e as chalotas e o feijão verde temperado com o restante azeite e o vinagre balsâmico. Polvilhe com o cebolinho, finamente cortado com uma tesoura.

 

 

 

Décoller le noyau des cerises et réservez-les.

Faire des coups en losange dans la peau des magrets de canard.

Mettre  les poitrines de poulet dans une poêle antiadhésive très chaude, avec la peau vers le bas et laissant dorer de tous les côtés.

Assaisonner avec une cuillère à café de sel et retirer.

Jeter la graisse laissée dans la casserole.

Ajouter une cuillère à soupe d’huile d’olive.

Faire sauter les échalotes hachées.

Ajouter les cerises.

Arroser de vin et assaisonner de poivre.

Envelopper bien et laissez cuire environ 4 minutes.

Laver les haricots verts, cuire dans l’eau avec le sel restant.

Servir les magrets de canard en tranches, accompagnés de cerises, des échalotes et des haricots verts assaisonnés avec le reste d’huile d’olive et le vinaigre balsamique.

Saupoudre de ciboulette, coupé finement avec des ciseaux.

 

Leonardo Matos, 12ºB

Receitas do 12ºB

 

 

Croissant

Ingrédients

300g de farine sans levure;

140 ml d’eau;

140 ml de lait demi-écrémé;

55 g de sucre en poudre;

40g de beurre non salé;

11 g de levure de boulanger;

12 g de sel;

280 g de beurre non salé;

1 jaune d’oeuf M.

 

Les procédures

(masse)

1 : Sur un large et lisse banc, mettre la farine en tas, puis faire une tombe au milieu.

Ajouter le lait lentement.

2 : Ajouter le beurre et la levure, ajouter tous les ingrédients progressivement.

3 : Engager des mouvements concentriques.

4 : Commencer à travailler la pâte à deux mains jusqu’à ce qu’elle soit homogène.

5: Former une boule et placez-la dans un bol large et profond.

Couvrir avec du film alimentaire. Laisser le bol à la température ambiante et laissez-le lever pendant 15 à 30 minutes.

 

Beurre

6: Couper le beurre en tranches et les placer alignées entre deux feuilles de papier sulfurisé.

7: Rouler la pâte jusqu’à former un rectangle de 1 mm de hauteur.

8: Réserver le beurre entre des feuilles de papier sulfurisé (dans un endroit frais).

 

Mélanger

9: Étendre sur un comptoir fariné.

  1. Mettre le beurre sur la pâte et retirer la feuille de papier sulfurisé.
  2. Plier la pâte en quatre parties.
  3. Étendre et plier la pâte 5 à 6 fois pour créer de fines couches dans la pâte. Sacher que la pâte ne doit pas rétrécir et que le beurre ne doit pas fondre. Si cela se produit, remettre la pâte au réfrigérateur (maximum 30 minutes).
  4. Jeter les côtés de la pâte et observer les fines couches – le succès de la pâte réside dans la fusion parfaite de la pâte avec le beurre.

La forme du croissant

  1. Étaler la pâte parfaite en forme de rectangle. Faire une coupe longitudinale.
  2. Couper les triangles le long de la masse comme dans l’image.
  3. Rouler le croissant:

(1.) Étendre légèrement la pointe du triangle.

(2.) Couper la base du triangle

(3.) Rouler jusqu’à former un croissant

(4.) Tourner légèrement les pointes des croissants vers l’intérieur.

 

Cuisson

  1. Placer les croissants sur une plaque à pâtisserie recouverte de papier sulfurisé et laissez reposer 30 à 40 minutes. Badigeonner de jaune d’oeuf et cuire à 180 ° C pendant 20 minutes ou jusqu’à coloration dorée.
  2. 18. Les croissants sont prêts à manger. Accompagner de confitures ou de pâte à tartiner.

 

Diana Ferreira , Daniel Candido, 12ªB

Assembleia Municipal na Escola

 

 

O sistema educativo tende gradualmente a valorizar a cidadania ativa. Há muito que no Agrupamento de Escolas Verde Horizonte esta se pratica.

No dia 27 de fevereiro, à semelhança do que se passou noutros anos letivos, realizou-se uma Assembleia Municipal da Câmara Municipal de Mação na escola-sede do Agrupamento. Este exercício de cidadania real ficou marcado pelo falecimento de um dos nossos. O aluno do Secundário Daniel Claro, jovem de 17 anos, faleceu na sequência de um acidente de viação. Foram-lhe destinadas algumas breves palavras por parte do Senhor Diretor, expressando o sentimento geral de desolação da comunidade escolar, e foi solicitado e cumprido um minuto de silêncio.

Foi, como habitualmente, José Manuel Saldanha Rocha, Presidente desta Assembleia, que encetou a reunião com um agradecimento formal por esta ser marcada no Agrupamento. Seguidamente, José António Almeida com a explicação habitual do funcionamento, constituição, organização, periodicidade, intervenções, entre outras informações.

Dando-se início ao cumprimento de uma Ordem de Trabalhos extensa, e após a votação de atas de reuniões anteriores, bem como da divulgação de informações veiculadas pelo correio, foi acordada a alteração da ordem das intervenções do público/alunos antecipando-se devido à extensão da referida Ordem de Trabalhos, possibilitando assim a presença e participação dos alunos aquando dessas intervenções, ficando esta antes da Ordem do Dia.

Foram realizadas várias intervenções com questões e ou sugestões de propostas, quer referindo-se à escola, quer ao município e às suas infraestruturas, foi veiculada a notícia do JN que divulga que as câmaras ganham mais um ano para o termo do prazo de assunção das responsabilidades das autarquias relativas à educação – 1º trimestre de 2022, facto com o qual na globalidade vários elementos se congratularam.

O Senhor Deputado Duarte Marques, além de parabentear o Agrupamento pela prática desta reunião neste espaço, devidamente enquadrado nas práticas da flexibilidade oficializada, salientou que a mesma se pratica há muito, sendo um dos sinais de se tratar de uma escola de excelência. Evocou ainda o Relatório do Observatório Independente que veio confirmar as críticas realizadas pela C.M.M. aquando dos últimos incêndios que flagelaram esta comunidade.

A Senhora Deputada Carla Loureiro abordou um assunto de interesse para os jovens, utilizadores prioritários, ao referir-se à cobertura das redes de telecomunicações (telemóveis e internet).

Foram ainda referidas intervenções da C.M.M. em algumas aldeias, com investimento feito, apesar da fraca densidade populacional, bem como questões relativas à gestão das águas que passará a ser gerida por uma empresa.

Os trabalhos prosseguiram tendo ainda o Diretor do Agrupamento veiculado a informação de que nos dias 25, 26 e 27 de março decorrerá a Escola Aberta 2020 para mostrar o que de melhor se faz no Agrupamento, salientando a sua abertura com palestras de alunos do Projeto “Comunicar Saberes” e a exposição “Ancorados na Memória II” que estará patente na escola-sede.

Fotos: Margarida Cardoso

Animação e texto: Anabela Ferreira

 

Poesia

As palavras

São azuis como o céu e as águas brilhantes dos rios, dos lagos e do mar

Voam como as aves que rasgam o céu indo para Sul

Planam como os papagaios de papel dourado

Sopram como o vento nas tempestades

Flutuam como os dentes de leão

Aquecem todos os que as ouvem, como o Sol e a fogueira

Com elas escrevo saúde, amor, família, planeta e sonhos

A minha história num poema…

 

 

Texto poético coletivo, 7ºA

Receitas do 12ºB

Croissant

 

ingrédients

300g de farine sans levure;

140 ml d’eau;

140 ml de lait demi-écrémé;

55 g de sucre en poudre;

40g de beurre non salé;

11 g de levure de boulanger;

12 g de sel;

280 g de beurre non salé;

1 jaune d’oeuf M.

 

Les procédures

MASSE:

  • 1 : sur un large et lisse banc, mettre la farine en tas puis faire une tombe au milieu. Ajouter le lait lentement.
  • 2 : Ajouter le beurre et la levure et le crumble, ajouter tous les ingrédients progressivement.
  • 3 : Engager des mouvements concentriques.
  • 4 : Commencer à travailler la pâte à deux mains jusqu’à ce qu’elle soit homogène.
  • 5: Former une boule et placer-la dans un bol large et profond. Couvrir avec du film alimentaire. Laisser le bol à la température ambiante et laisser-le lever pendant 15 à 30 minutes.
  • 6: Couper le beurre en tranches et les placer alignées entre deux feuilles de papier sulfurisé.
  • 7: Rouler la pâte jusqu’à former un rectangle de 1 mm de hauteur.
  • 8: Réserver le beurre entre des feuilles de papier sulfurisé (dans un endroit frais).
  • 9: Étendre sur un comptoir fariné.
  • 10. Mettre le beurre sur la pâte et retirer la feuille de papier sulfurisé.
  • 11. Plier la pâte en quatre parties.
  • 12. Étendre et plier la pâte 5 à 6 fois pour créer de fines couches dans la pâte. Sacher que la pâte ne doit pas rétrécir et que le beurre ne doit pas fondre. Si cela se produit, remettre la pâte au réfrigérateur (maximum 30 minutes).
  • 13. Jeter les côtés de la pâte et observer les fines couches – le succès de la pâte réside dans la fusion parfaite de la pâte avec le beurre.
  • 14. Étaler la pâte parfaite en forme de rectangle. Faire une coupe longitudinale.
  • 15. Couper les triangles le long de la masse comme dans l’image.
  • 16. Rouler le croissant:
  • (1.) Étendre légèrement la pointe du triangle.
  • (2. )Couper la base du triangle
  • (3. )Rouler jusqu’à former un croissant
  • (4.) Tourner légèrement les pointes des croissants vers l’intérieur.
  • 17. Placer les croissants sur une plaque à pâtisserie recouverte de papier sulfurisé et laisser reposer 30 à 40 minutes. Badigeonner de jaune d’oeuf et cuire à 180 ° C pendant 20 minutes ou jusqu’à coloration dorée.
  • 18. Les croissants sont prêts à manger. Accompagner de confitures ou de pâte à tartiner.

 

 

Trabalho realizado por:

Daniel e Diana, Disciplina de Comunicar em Francês