Lendas comemoradas

 

O magusto

Todos os anos por volta do onze de novembro as pessoas fazem magustos. Mas porquê? Pois o onze de novembro  é dia de São Martinho.

A lenda do dia de São Martinho consiste em que um soldado romano chamado Martinho estava numa viagem e que estava a chover e a fazer muito frio, pelo caminho Martinho encontra um mendigo ao qual ele dá metade da sua capa depois de a ter cortado com a sua espada. Depois disso Martinho continuou o seu caminho nesse instante a chuva parou e começou a fazer sol repentinamente. De ai em diante esse dia ficou conhecido como dia de São Martinho.

 

Para celebrarmos este evento fazemos o magusto onde se assa castanhas e os adultos provam o vinho.

Tomás Dias, 10ºA

Mulheres com Valor – Dia da Mulher – Clube Europeu

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos de Sílvia Ramadas

Lembrámos o Dia da Mulher de 2017 com a Exposição “Mulheres com Valor”, numa homenagem àquelas que nas mais diversas áreas se destacam pelas suas iniciativas solidárias.

A exposição esteve patente no átrio do bloco B e contou com imagens destas mulheres nacionais e internacionais e entre outras curiosidades com uma galeria de trajes da mulher ao logo dos tempos na era moderna.

A Equipa do Clube Europeu

A Treasure Chest of Letters

IPF-TCL.png
Terminou, no passado dia 14, a atividade “A Treasure Chest of Letters”, dos International Pen Friends, que consistia na escrita e envio de uma carta para a Autrália, em Inglês, por todos aqueles que desejassem participar na iniciativa.
Esta atividade foi lançada por aquela organização com o objetivo de, simbolicamente, comemorar os 50 anos de existência dos International Pen Friends; 50 anos a aproximar povos e a derrubar fronteiras, a criar amizades através da escrita de cartas.
As cartas, depois de cuidadosamente abertas para a sua apreciação e participação num concurso, serão fechadas e guardadas num baú durante os próximos 50 anos! Nessa altura, esse baú será aberto e as cartas poderão, finalmente, cumprir o seu propósito: comunicar com alguém num futuro ainda distante!
Quem as irá ler? Onde serão encontradas? Seremos contactados de volta? Não sabemos… Vamos ficar à espera! Daqui por 50 anos veremos!
Os alunos das turmas do 8ºA, 9ºA, 9ºB, 10ºA, 10ºC, 11ºA, 11B e do 12ºA mostraram elevado interesse e dinamismo ao participar na atividade com a elaboração de 80 cartas inéditas e criativas para esta original cápsula do tempo.
Mais  ou menos extensas, mais simples ou mais elaboradas, mais ou menos coloridas, com fotografias ou desenhos, as cartas demonstram a capacidade dos nossos alunos partilharem as suas preocupações com o mundo atual e a possibilidade de especularem sobre um futuro que desconhecem.
Resta-nos aguardar, porque o futuro será, um dia, presente!
Professores Sílvia Ramadas e João Pinheiro

Exposição – Natural Disasters

Este slideshow necessita de JavaScript.

Está patente no espaço da Biblioteca Escolar da Escola Sede uma exposição sobre desastres naturais com trabalhos de grupo elaborados pelas alunas do Curso Vocacional de Estética e Cosmetologia, 11º D, na disciplina de Comunicar em Inglês.

Esta exposição pretende mostrar os enormes danos que podem ser causados por fenómenos naturais como os tufões, tsunamis, tremores de terra, furacões ou secas extremas. A exposição tem ainda como objetivo chamar a atenção para as dimensões e consequências destas manifestações da natureza. Podes ficar a saber porque são atribuídos a estes fenómenos nomes femininos e onde e quando ocorreram os mais devastadores desastres naturais da história da humanidade.

Fica aqui o exemplo de que a tua Biblioteca  é um espaço de aprendizagem, por excelência, onde encontras variadíssimas formas de veicular o conhecimento. Boa visita!

Comunicar em Inglês, alunas do 11º D

Fotos de Sílvia Ramadas

Comemoração do centenário de Vergílio Ferreira

convite-vergilio-ferreira-lisboa

No âmbito da comemoração do centenário de Vergílio Ferreira (1916-2016), o Arquivo Nacional da Torre do Tombo  e a Câmara Municipal de Gouveia, promovem a exposição VERGÍLIO FERREIRA: Espaço do (In)visível, patente de 6 de dezembro a 31 de janeiro de 2017.

Horário: segunda a sexta feira, 9h30 – 19h30 ; sábado, 9h30 – 12H30

Entrada livre.

Contribuição: professor António Bento

Agrupamento de Inglês – Dia de Ação de Graças

IMG_8378

Dia de Ação de Graças

         No âmbito da disciplina de Inglês, no dia 26 de novembro, na Escola Básica 2,3/Secundária de Mação foram realizadas várias atividades para celebrar o dia de Ação de Graças, tradição americana.

            É um feriado nacional celebrado na quarta quinta-feira do mês de novembro para agradecer todos os bons acontecimentos que ocorreram durante o ano. Tem como principal objectivo juntar todos os membros da família em torno de uma mesa recheada de pratos típicos deste dia, tais como, peru assado, puré de batata e tarte de abóbora.

            As atividades acima mencionadas basearam-se na confeção de cupcakes pelos alunos com decorações alusivas a este dia e uma exposição no átrio junto à secretaria com inúmeros cartazes, folhetos e power points elaborados pelos alunos para informar a comunidade escolar.

Foto de Prof. José Gonçalves

Texto de Inês Pereirinha e Leonor Bento

11º A

 

Divulgação – Exposição ”A TERCEIRA IMAGEM. A FOTOGRAFIA ESTEREOSCÓPICA EM PORTUGAL E O DESEJO DO 3D’

image007

Na Torre do Tombo estará  patente, até ao próximo dia 16 de Janeiro de 2016 a Exposição ”A TERCEIRA IMAGEM. A FOTOGRAFIA ESTEREOSCÓPICA EM PORTUGAL E O DESEJO DO 3D’.

A entrada é livre para visitantes individuais ou em grupo.

Para grupos em visita de estudo este é o formulário de marcação de visitas.

http://dglab.gov.pt/servicos/visita-a-tt/

TEXTO DE DIVULGAÇÂO

Sabia que:

  • A visão humana normal é em 3D?
  • Estereoscopia’ é o nome científico da visão tridimensional?
  • A imagem com aspeto tridimensional que a estereoscopia oferece não coincide com nenhuma das duas imagens recebidas pelos olhos, uma vez que é uma sua síntese, ou seja, uma Terceira Imagem.
  • As imagens 3D são tão antigas como a fotografia e que foram extremamente populares ainda antes do cinema ser inventado?
  • A sua primeira aplicação à fotografia teve lugar em 1850 como uma solução para adequar as imagens ao funcionamento da visão humana.
  • Apesar de estas imagens serem muito antigas, os seus efeitos são ainda surpreendentes: os objetos ganham volume, o espaço ganha profundidade e temos a sensação de poder tocar no que vemos.

Esta exposição partiu de um estudo das coleções e dos fundos de museus e arquivos públicos nacionais efetuado pelo projeto de investigação Stereo Visual Culture do Centro de Investigação CICANT da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

Em parceria com o m|i|mo, Museu da Imagem em Movimento, com o Arquivo Municipal de Lisboa – Fotográfico e com o Museu de Lisboa, pretende-se  mostrar a fotografia estereoscópica em Portugal, nomeadamente o modo como produziu um novo olhar sobre temas, géneros e composições fotográficas.

Informação partilhada pelo professor António Bento