Desporto Escolar em tempo de Covid

A nova realidade que nos é apresentada faz-nos realizar ajustamentos diariamente. Todos os dias nos temos de adaptar a novos pormenores em todas as áreas da nossa vida. A nossa vida escolar não foge a essa realidade, todos os dias temos novas regras, novos rituais, pequenas, grandes alterações que fazem a diferença nesta luta contra a Pandemia Covid-19, encontrando assim novos meios para chegar ao objetivo principal: Ensinar.

Em especial a disciplina de Educação Física e o Desporto Escolar, sofreram alterações profundas na sua organização, para que a atividade física seja realizada de forma segura, fácil, fluída e feliz. É deste modo que o Desporto Escolar continua a trabalhar na nossa escola e em grande força.

Com as limitações necessárias, todos os grupos equipa (Badminton, Futsal Feminino e Masculino e as Atividades Rítmicas Expressivas), já iniciaram os seus treinos e todos estão em funcionamento com os alunos motivados e empenhados para que, quando for possível, possam representar a nossa escola.

Os treinos estão a ser faseados por turmas/anos de ensino, para que tudo seja realizado em segurança.

Neste ano tão atípico, o principal objetivo do Desporto Escolar é manter a prática da atividade física e o gosto pelas modalidades existentes, visto que a competição externa é uma realidade ainda longínqua.

Relembro que os treinos estão abertos a todos os alunos que gostem da prática de atividade física, é só contactar o professor responsável por cada modalidade e aparecer… para que todos possam fazer parte deste grande Clube que é o DESPORTO ESCOLAR.

dav

Professores Responsáveis pelos Grupos- Equipa:

Badminton – Maria Gorete Melo

Futsal Feminino – David Facucho

Futsal Masculino – Cláudia Olhicas

Atividades Rítmicas Expressivas – Eva Patrício

(Elementar e Avançado)

                                                                       A coordenadora do Desporto Escolar

                                                                                              Eva Patrício

Desafio: Baú do Tesouro

Foi lançado o desafio que consistiu em escrever um texto narrativo onde estivessem incluídas pelo menos três palavras relativas a objetos que foram retirados de um baú apresentado pela professora em aula.

Os alunos deveriam dar asas à sua imaginação…

Um tesouro que mudou uma vida

Era uma vez um casal que vivia muito feliz. Eles tinham bastante tempo de relação e gostavam imenso um do outro.

A rapariga olhou para as conchas que tinha no seu quarto e disse ao namorado que teriam que ir viajar. O namorado a partir dessas palavras, pensou no assunto, começou a revelar muito interesse. Depois de algum tempo resolveu aceitar mesmo a viagem e lá foram eles para uma ilha distante de tudo onde eles só seriam felizes um com o outro, nada os perturbaria.

 O namorado, para comemoração, comprou um colar e partiram para a sua viagem. Quando chegaram à ilha, o rapaz deu o colar à namorada. Ela percebeu que não era um colar qualquer por ter um ás de copas. Investigou e percebeu que na parte de trás existia um mapa. Ela foi perguntar ao namorado sobre tudo aquilo e ele ficou muito impressionado, pois o coração que estava no colar transformou-se num ás de copas.

Decidiram ir dar um mergulho na praia próxima do seu resort, mas quando a rapariga tirou o seu anel percebeu que também ele se tinha  transformado num ás de copas.

Tudo naquela viagem estava a tornar-se bastante estranho. O namorado desconfiado pediu aos donos do resort um baralho de cartas para ele investigar. Quando ele abriu o baralho, percebeu que era formado apenas por ás de copas, exceto os jokers. O rapaz pegou nos dois jokers, adicionou o colar e percebeu que juntos formavam um mapa que tinha um X no centro.

 Nesse momento o rapaz foi falar com a namorada para irem resolver aquele enigma. Meteram-se a caminho seguindo as direções indicadas no mapa. Foram dar a uma zona na costa onde estava o tal X . Repararam que era um tesouro com um pergaminho no topo, mas o que eles quiseram saber era obviamente do tesouro. Abriram-no e perceberam que aquilo valeria uma vida de trabalho para eles, mas, magicamente, o tesouro só continha ás de copas. Entretanto, leram o pergaminho e ficaram a saber, se queriam aquela fortuna, não podiam abandonar aquela ilha.

Assim o fizeram e foram felizes para sempre.

Lucas Pita, 8ºB

A Terra Treme!





No próximo dia 05 de novembro, às 11:05 horas,  teremos a 8ª edição da iniciativa A TERRA TREME.
Se participarmos, cumprindo as normas de segurança, será mais um excelente exercício formativo/educativo para todos.  
Com os melhores cumprimentos,


O Diretor do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte
José António Almeida

Horizonte Solidário – “Feira on-line” – 25 de novembro 2020

         A equipa do Horizonte Solidário informa que, no dia 25 de novembro de 2020, irá decorrer uma Feira Solidária on-line, entre as 16 h e as 19 horas.

          Todos os interessados, alunos, pessoal docente e não docente, poderão contribuir com a entrega de um bem, em estado novo, que será vendido no decorrer da feira. A entrega desse bem (material escolar, adereços, acessórios, utensílios de cozinha, louças, objetos decorativos, entre outros) deverá ser feita de 2 a 20 de novembro, no pavilhão gimnodesportivo, junto das assistentes técnicas operacionais.

         No dia da feira compra(e) o que te(lhe) fizer falta! Este gesto, duplamente solidário (doar e comprar) fará sorrir uma criança! 

         As receitas angariadas irão reverter a favor de alunos do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação.

“Promover a cidadania ativa e solidária é um dever de todos,

ajude-nos a ajudar!”

Obrigada.

https://sites.google.com/verdehorizonte.net/horizontesolidario/horizonte-solidario?authuser=0#h.68ec23od5mab

A Coordenadora do Horizonte Solidário

Professora Cláudia Olhicas                                                                           

7º ano em ação

Este ano letivo, foram concretizados vários DAC nas duas turmas do 7º ano.

Quanto ao tema “As Origens do Universo e a Poesia” (que englobou as disciplinas de Português, EMR, Ciências Naturais e Físico-Química) a abordagem deste DAC teria continuidade com a realização de uma visita de estudo a Constância no final do segundo período (dez de março) no âmbito das disciplinas de Físico-Química, Português e Ciências Naturais. Contudo, ocorreu a anulação da mesma, por motivo das medidas de prevenção face à Covid-19, devido à pandemia. As atividades de Português – declamação de poemas de Camões no anfiteatro do jardim de Constância, visita ao horto de Camões e lanche partilhado – foram substituídas por declamação numa aula ao ar livre no pátio da escola e lanche partilhado ainda antes de as atividades letivas presenciais terem sido suspensas.

Este DAC foi alargado e relacionado com o tema “Sistema Solar” que incluiu a criação de textos sobre os diferentes planetas para colocação numa página WEB (disciplinas de Físico-Química, Português, Inglês (7ºB), Matemática e TIC), as suas representações gráficas (disciplina de Educação Visual), criação de QR Codes para exposição nos corredores das salas de aula.  Foram elaborados em Físico-Química e revistos em Português todos os textos acerca dos planetas para a exposição. A Físico-Química desenvolveram-se as atividades do sistema solar. Foram elaboradas as maquetas em Educação Visual. Realizou-se a publicação em página WEB na disciplina de TIC. A disciplina de Matemática cooperou com a disciplina de Físico-Química na realização da atividade sobre o sistema solar, tendo efetuado o cálculo das distâncias planetárias à escala do corredor do bloco B, mas a suspensão das aulas suspendeu também esta atividade. Foi criada uma página WEB e anulada uma exposição no terceiro período, devido ao evoluir da situação, por forma a dar conhecimento deste trabalho à comunidade escolar, com as maquetas elaboradas pelos alunos acompanhadas com os QR Codes.

Os trabalhos estão no site (envolvência da disciplina de TIC) e os QRC gerados sendo presentemente divulgados para os alunos e demais comunidade acederem neste jornal.

 

QR Code 7ºA

 

QR Code 7ºB

A room with a view I

A room with a view  trata-se de uma atividade proposta pela docente de Inglês aos alunos da turma B, do 7ºano. Inserida na unidade 5 – My World, pretende-se que esta atividade lúdico-pedagógica motive os alunos para que tirem uma fotografia da janela do seu quarto. A foto deve apresentar uma legenda em Inglês e indicar o local que ilustra.

Aqui tens a primeira. Enjoy it!

Nature in bloom after a cold winter!

Cardigos, May 2020

Inês Delgado, 7º B

Texto expositivo

 

 

Animais em cativeiro em debate

Existem vários animais em cativeiro, pois o ser humano não consegue distinguir animais domésticos, de animais silvestres. Um animal doméstico é aquele animal que se consegue reproduzir e fazer as suas atividades ao lado do ser humano. Já os animais silvestres são aqueles animais que foram retirados da natureza e aos quais a presença do ser humano incomoda, pois eles não se conseguem reproduzir nem realizar outra atividade qualquer, ou dificilmente o conseguem. Alguns exemplos de animais domésticos são o cão, o gato, a galinha, o porco. O papagaio, a arara, o mico e o jabuti são alguns exemplos de animais silvestres.

Alguns argumentos a favor dos animais em cativeiro são os seguintes:

Os animais devem estar em cativeiro para se reproduzir mais, para a espécie não ficar em perigo de extinção, mas também para não serem caçados pelos animais mais fortes, pelos seus predadores ou até pelos caçadores humanos.

Os animais devem estar presos pois eles matam pessoas ou deixam-nas feridas.

Os animais devem estar aprisionados pois eles são treinados para ajudarem pessoas com doenças.

Os animais não devem estar em liberdade, pois a ciência tem a ver com os animais e no zoológico conseguem um estudo mais de perto.

Como argumentos contra referiram-se os seguintes:

Os animais têm direitos, e nós, seres humanos, não temos o direito de tirar os animais do seu habitat, nem que seja para se reproduzirem só para não acabar com a espécie.

Os filhotes de muitos animais trazem visitantes e dinheiro, mas este incentivo leva a produzir novos animais, que leva à superpopulação. Os animais excedentes são vendidos não só para outros zoológicos, mas também para circos, para a caça e até mesmo para abate. No zoológico ensinam muita coisa às crianças, então não devíamos ensinar-lhes a aprisionar animais para nosso próprio entretenimento.

Os animais têm de ser livres, pois, como os seres humanos, eles também são seres vivos, por isso não podem ser fechados em jaulas. Há estudos que demostram que os elefantes ao serem mantidos em cativeiro em zoológicos, não vivem tanto tempo como os elefantes que vivem na selva.

Alguns zoológicos apenas matam alguns animais excedentes. A remoção de indivíduos da natureza possivelmente prejudica ainda mais a população selvagem, porque os indivíduos restantes terão menos diversidade genética e terão mais dificuldade de encontrar companheiros.

Os santuários também reabilitam a vida selvagem e abrigam animais de estimação exóticos, indesejados, sem criação, compra e venda de animais, como os jardins zoológicos fazem. Por vezes, os animais escapam dos seus recintos, colocando em risco a si mesmos, bem como às pessoas. Houve mesmo casos de animais do zoológico que atacaram e comeram outros animais do zoológico.

Os animais não deviam estar em cativeiro, pois ninguém se devia sentir preso. Há um argumento que se deve comentar mais um pouco, dada a sua importância, que é o facto de que os animais ficam em cativeiro para se poder fazer um estudo mais de perto e melhor. Mas porquê tirar os animais da sua casa só para os biólogos estudarem? Porque não vão os biólogos ter com os animais?…pois ninguém gosta de sair da sua casa. Os animais são como os humanos, também têm direitos.

Este assunto ainda tem muito por discutir.

Inês Martins Delgado, 7ºB

Texto de opinião

 

Cativeiro de animais em discussão

Na aula de Português foi realizado um debate no qual o assunto a debater era “Os animais em cativeiro”.

A turma foi dividida em dois grupos que debateram entre si se os animais deveriam ou não estar em cativeiro.

A meu ver, o debate foi muito renhido, e ambos os grupos apresentaram argumentos que levaram ao objetivo de um debate que é “discutir” e apresentar argumentos e contra-argumentos.

Na minha opinião, quer os argumentos de um grupo, quer os do outro estavam corretos e aceitáveis, mas a minha conclusão foi que os animais só devem ficar em cativeiro em casos excecionais, por exemplo se estiverem em vias de extinção e precisarem de condições melhores para se poderem reproduzir, nos outros casos os animais merecem e devem ter uma vida normal no seu habitat natural junto dos seus, pois, se esses animais forem habituados a fazerem-lhes tudo, vão perder as suas capacidades de caça, e instinto selvagem, por exemplo.

                                          Jéssica Moucho, 7ºA

 

 

Faróis

Os alunos da MAC 6 abraçaram mais um desafio lançado pelo professor José Sequeira. Desta vez, dedicaram-se à definição e posterior construção ou ilustração de faróis.

E que bonitas que ficaram as suas construções! Que talentosos pequenos-grandes artistas, não acham? Diria mesmo uns verdadeiros arquitetos! Outros fizeram desenhos. E que bonitos que ficaram também!
Apreciemos, pois, os fantásticos trabalhos destes “arquitetos” ou “ilustradores” de mão-cheia!

E o que é um farol?

Um farol é uma estrutura elevada, normalmente uma torre, equipada com um potente aparelho ótico, fontes de luz e espelhos refletores. A sua luz é visível a longas distâncias. Estão instalados junto ao mar, na costa ou em ilhas próximas, tendo como objetivo orientar os navios durante a noite.

Os faróis desempenharam um papel importante na cultura portuguesa e são, hoje, monumentos nacionais muito acarinhados, embora alguns já se encontrem muito degradados. Os faróis foram concebidos para avisar os navegadores que se estavam a aproximar da terra, ou de porções de terra que irrompiam pelo mar adentro.

Quando estudámos a costa portuguesa, os seus aspetos e a sua sinalização, o nosso professor desafiou-nos a construir ou a desenhar um farol.

Espero que tenham apreciado os nossos trabalhos, que foram feitos com muita dedicação!

 Alunos do 4º ano da MAC6 da Escola Básica de Mação

Professor: José Manuel Sequeira