A Minha Terra

Mação é uma vila muito bonita e onde eu gosto muito de viver. Tanto os monumentos como as paisagens são lindas, as paisagens em si já foram mais exuberantes, mas acredito que voltarão a ser robustas e verdes, tal como antes, quem sabe ainda mais que antes.
 Em Mação existem áreas de florestas e áreas urbanas, eu vivo no campo onde existem vários animais e diferentes tipos de plantas. 
Existe um museu, onde pessoas de todo o mundo vêm estudar achados arqueológicos. Entusiasma-me a ideia de um dia poder saber mais sobre eles. Existem também uma igreja e várias capelas antigas que inspiram lendas de tempos antigos. Recentemente foram criadas rotas de percursos pedestres que permitem descobrir a beleza natural da terra e que têm atraído vários visitantes e turistas. O lago dos peixinhos, o labirinto, o caracol, tal como outros lugares são sítios populares entre os moradores de Mação. O concelho é atravessado por várias ribeiras e foram construídas praias fluviais no Carvoeiro
e em Cardigos; ambas aldeias do concelho. O Rio Tejo passa na aldeia de Ortiga e existem várias atividades que se podem realizar no rio e zona envolvente.
Todas estas são razões para visitar o glorioso concelho de Mação, em qualquer época do ano.


Leonor Rodrigues, 8ºA

Concurso Nacional de Leitura

14º Concurso Nacional de Leitura
Ano letivo 2020 /2021


Decorreu ontem, dia 3 de março, por videochamada, a fase municipal deste concurso.

Publicitamos a lista enviada pela BECRE do nosso Agrupamento:

Lista dos alunos apurados para a Fase Intermunicipal

1º ciclo


Benedita Alves Raimundo;
Francisco Gueifão Brito;
Francisca Cardoso Vitor;

2º ciclo


Beatriz Margarida Barreta; 6ºB
Miguel Piçarreira Fernandes; 5ºA
Ana Rita Claro; 6ºB

3º Ciclo


Jéssica Maria Moucho; 8ºA
Martim Carvalho Estrela; 8ºA
Gustavo Alexandre Santos. 9ºB

Secundário

Margarida Lopes Saramago; 10º A
Saúl Filipe Jesus Santos; 11º A LH
Beatriz Silva Aparício; 11º A CT


Agradecemos ao júri do concurso e à Biblioteca Municipal.

Dia Internacional da Língua Materna – 21 de Fevereiro

Como atividade comemorativa do dia da nossa língua, considerou-se ouro sobre azul a publicação de textos escritos pelos nossos jovens dando mostras do nosso património linguístico e enaltecendo o que é o nosso património ao nível do território para também o valorizar.

Assim, apresentamos pequenos textos elaborados por alunos das turmas A e B do 8º ano.

Continuem a escrever!

Boas leituras!

Professora: Anabela Ferreira

Turismo em Abrantes

Apresento-vos brevemente a bela região de Abrantes.

Nesta região temos bastantes atividades para a população juvenil e convido todos a virem à nossa cidade.

Podemos começar pelo rio onde é possível fazer canoagem, devido ao curso ser bastante plano e ter um caudal elevado e tem umas paisagens bastante bonitas com duas pontes e, nas margens, tem parques bastante interessantes, naturais e também campos de padel onde podemos exercitar o desporto com raquetas.

Quando começamos a subir mais para o topo da cidade, temos o tribunal junto ao mercado municipal que tem todo o tipo de produtos (hortícolas, de produção animal) tudo regional. Também perto do mercado conseguimos encontrar a biblioteca municipal onde já passei muitas tardes com leituras. Fazendo mais um tempo a pé chegamos à zona das escolas de Abrantes, escolas que com bastante empenho formam os seus alunos e, mais acima, a minha parte favorita; o campo de ténis onde podemos praticar a modalidade bastante consagrada e com excelentes treinadores.

Para outro tipo de desportistas temos também o campo de futebol junto das piscinas, um espaço com excelentes condições para todo o tipo de desportos.

Assim, temos a cidade apresentada, convido todos a passarem algum tempo nesta cidade, assim que a situação o permita.

Lucas Pita, 8ºB

Leituras Partilhadas

 

Todos os dias são dias de esperança, dias em que podemos encontrar a bondade, a amizade nas intenções, nos atos, nos gestos.

No dia 03 de dezembro, quinta-feira, comemorou-se o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência e, neste âmbito, a turma do 7º B realizou a leitura expressiva de algumas narrativas da literatura tradicional e popular.

Esta atividade foi desenvolvida através da plataforma zoom, no auditório da Escola Sede, em articulação com o Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA) as disciplinas de português, educação especial e serviços de psicologia do Agrupamento. As narrativas apresentadas foram selecionadas pelos alunos.

Alguns utentes do CRIA puderam assistir, em tempo real, aos trabalhos apresentados, aplaudindo todas as leituras. Por outro lado, os alunos do Agrupamento de Mação estavam orgulhosos pelo momento de partilha, de interação proporcionado. Para eles, foi também um momento de protagonismo, de compromisso!

Nestes tempos tão difíceis que atravessamos, é importante refletir como simples atos e pequenos gestos podem fazer uma tão grande diferença!

Professoras: Olga Pereira e Rufina Costa

Psicóloga: Sílvia Matela

 

Exposição “AMOR NÃO É DOR”

No dia 25 de novembro assinala-se o “Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres”.

Num ano em que os números se mostram assombrosos, as alunas do Curso Profissional de Estética deram literalmente a cara por um projeto, intitulado “Amor não é Dor”. Este foi um trabalho desenvolvido no âmbito da disciplina “Cidadania e Desenvolvimento”, dando ênfase aos Direitos Humanos, nomeadamente os Direitos da Mulher, em articulação com o projeto “Educar para a Sexualidade e Afetos”.

Este projeto iniciou-se no ano letivo transato e culminou neste dia 25 de novembro com uma exposição que se destacou pelo impacto causado através de fotografias das alunas do Curso Profissional de Estética, as quais deram a “alma” para retratar situações de violência doméstica contra a mulher. Esta exposição fotográfica fez-se acompanhar por gravações feitas pelas alunas e por alunos da Escola, tendo como finalidade despertar consciências e expor além da violência física, a violência verbal, psicológica, sexual e emocional.

No cartaz de apresentação, tornou-se evidente a deterioração de uma relação abusiva que começa aparentemente feliz e culmina na degradação física e psicológica da mulher.

As alunas do 12ºC, Curso Profissional de Estética

Desporto Escolar em tempo de Covid

A nova realidade que nos é apresentada faz-nos realizar ajustamentos diariamente. Todos os dias nos temos de adaptar a novos pormenores em todas as áreas da nossa vida. A nossa vida escolar não foge a essa realidade, todos os dias temos novas regras, novos rituais, pequenas, grandes alterações que fazem a diferença nesta luta contra a Pandemia Covid-19, encontrando assim novos meios para chegar ao objetivo principal: Ensinar.

Em especial a disciplina de Educação Física e o Desporto Escolar, sofreram alterações profundas na sua organização, para que a atividade física seja realizada de forma segura, fácil, fluída e feliz. É deste modo que o Desporto Escolar continua a trabalhar na nossa escola e em grande força.

Com as limitações necessárias, todos os grupos equipa (Badminton, Futsal Feminino e Masculino e as Atividades Rítmicas Expressivas), já iniciaram os seus treinos e todos estão em funcionamento com os alunos motivados e empenhados para que, quando for possível, possam representar a nossa escola.

Os treinos estão a ser faseados por turmas/anos de ensino, para que tudo seja realizado em segurança.

Neste ano tão atípico, o principal objetivo do Desporto Escolar é manter a prática da atividade física e o gosto pelas modalidades existentes, visto que a competição externa é uma realidade ainda longínqua.

Relembro que os treinos estão abertos a todos os alunos que gostem da prática de atividade física, é só contactar o professor responsável por cada modalidade e aparecer… para que todos possam fazer parte deste grande Clube que é o DESPORTO ESCOLAR.

dav

Professores Responsáveis pelos Grupos- Equipa:

Badminton – Maria Gorete Melo

Futsal Feminino – David Facucho

Futsal Masculino – Cláudia Olhicas

Atividades Rítmicas Expressivas – Eva Patrício

(Elementar e Avançado)

                                                                       A coordenadora do Desporto Escolar

                                                                                              Eva Patrício

Desafio: Baú do Tesouro

Foi lançado o desafio que consistiu em escrever um texto narrativo onde estivessem incluídas pelo menos três palavras relativas a objetos que foram retirados de um baú apresentado pela professora em aula.

Os alunos deveriam dar asas à sua imaginação…

Um tesouro que mudou uma vida

Era uma vez um casal que vivia muito feliz. Eles tinham bastante tempo de relação e gostavam imenso um do outro.

A rapariga olhou para as conchas que tinha no seu quarto e disse ao namorado que teriam que ir viajar. O namorado a partir dessas palavras, pensou no assunto, começou a revelar muito interesse. Depois de algum tempo resolveu aceitar mesmo a viagem e lá foram eles para uma ilha distante de tudo onde eles só seriam felizes um com o outro, nada os perturbaria.

 O namorado, para comemoração, comprou um colar e partiram para a sua viagem. Quando chegaram à ilha, o rapaz deu o colar à namorada. Ela percebeu que não era um colar qualquer por ter um ás de copas. Investigou e percebeu que na parte de trás existia um mapa. Ela foi perguntar ao namorado sobre tudo aquilo e ele ficou muito impressionado, pois o coração que estava no colar transformou-se num ás de copas.

Decidiram ir dar um mergulho na praia próxima do seu resort, mas quando a rapariga tirou o seu anel percebeu que também ele se tinha  transformado num ás de copas.

Tudo naquela viagem estava a tornar-se bastante estranho. O namorado desconfiado pediu aos donos do resort um baralho de cartas para ele investigar. Quando ele abriu o baralho, percebeu que era formado apenas por ás de copas, exceto os jokers. O rapaz pegou nos dois jokers, adicionou o colar e percebeu que juntos formavam um mapa que tinha um X no centro.

 Nesse momento o rapaz foi falar com a namorada para irem resolver aquele enigma. Meteram-se a caminho seguindo as direções indicadas no mapa. Foram dar a uma zona na costa onde estava o tal X . Repararam que era um tesouro com um pergaminho no topo, mas o que eles quiseram saber era obviamente do tesouro. Abriram-no e perceberam que aquilo valeria uma vida de trabalho para eles, mas, magicamente, o tesouro só continha ás de copas. Entretanto, leram o pergaminho e ficaram a saber, se queriam aquela fortuna, não podiam abandonar aquela ilha.

Assim o fizeram e foram felizes para sempre.

Lucas Pita, 8ºB

A Terra Treme!





No próximo dia 05 de novembro, às 11:05 horas,  teremos a 8ª edição da iniciativa A TERRA TREME.
Se participarmos, cumprindo as normas de segurança, será mais um excelente exercício formativo/educativo para todos.  
Com os melhores cumprimentos,


O Diretor do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte
José António Almeida