Amnistia Internacional

 

 

 

Os alunos do 10ºC, turma do Curso Profissional Técnico de Turismo, em conjunto com alguns dos seus professores, estão a dinamizar a atividade Maratona de Cartas no âmbito da área curricular de Cidadania e Desenvolvimento, inserida no Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular que visa dar a conhecer, sensibilizar e alertar para casos de violação dos Direitos Humanos. Estes alunos irão junto dos seus pares, solicitar a sua participação nesta atividade, e exortar a comunidade escolar a fazer o mesmo. O grande objetivo é chegar a um número cada vez maior de pessoas, e consequentemente recolher mais assinaturas.

 

  1. O que é a Maratona de Cartas?

É o maior evento de ativismo da Amnistia Internacional e decorre todos os anos perto do último trimestre. Com a Maratona de Cartas pretendemos sensibilizar para um conjunto de casos selecionados e para os quais mobilizamos milhares de pessoas através da escrita de cartas e assinatura de apelos. Ações simples, mas poderosas, e que tendem a resultar numa melhoria das condições de vida para os defensores de direitos humanos em risco.

 

  1. Quais as datas da Maratona de Cartas 2018/19?

Começa a 1 de novembro de 2019 e termina a 31 de janeiro de 2020.

 

  1. Como participar?

Para participar na Maratona é muito simples. Basta:

Assinar os casos da Maratona de Cartas em www.amnistia.pt/maratona

Divulgar a maratona de cartas a toda a sua rede de amigos e familiares!

Participar no nosso concurso de ativismo online!

Podem ainda:

Escrever cartas de solidariedade para os casos selecionados. Sugerimos que as entreguem aos diretores de turma, e que estes as façam chegar à Professora Augusta Estrela ou aos alunos do 10ºC. Serão posteriormente enviadas para a sede da Amnistia, que garante que as mesmas chegarão ao seu destino.

 

  1. Quem pode participar? Qualquer pessoa pode participar na Maratona de Cartas, tendo em consideração:

Qualquer pessoa poderá assinar em www.amnistia.pt/maratona

 

A assinatura dos apelos em papel, disponíveis apenas junto das estruturas da Amnistia Internacional, pode ser feita por qualquer pessoa com idade igual ou superior a 14 anos (com conhecimento prévio dos seus representantes legais quando menor de idade). É essa a idade mínima estabelecida nos Estatutos da Amnistia Internacional para um apoiante, ativista e membro juvenil da organização. Somam-se ainda as boas práticas e sugestões que nos chegam, aconselhando os 14 anos como idade mínima para a participação.

 

  1. Jogo do Ativismo online

A dinâmica de jogo foi criada para incentivar os ativistas mais jovens a tornarem-se verdadeiros agentes de mudança, capazes de envolverem ainda mais pessoas dentro e fora da comunidade escolar

Link de acesso:  www.amnistia.pt/concursomaratona

 

  1. Código de Escola

Código atribuído à nossa escola: CC43

Todas as participações que forem feitas com esse código contarão para a contagem da sua recolha de assinaturas.

(Sugestão: podem fotografá-lo para tê-lo sempre consigo.)

Quantas mais participações fizermos usando este código, maior será a probabilidade de trazermos um evento da Amnistia à nossa escola.

 

  1. Dia 10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos – os alunos do 10ºC irão recolher assinaturas junto da comunidade escolar.

 

  1. Dia 13 de dezembro – os alunos do 10ºC irão recolher assinaturas junto da comunidade escolar na Noite de Excelência.

 Professoras Augusta Estrela (Diretora de Turma) e Ana Lúcia Pina (Coordenadora de Curso)

“In the classroom” – Mrs. Matos and Miriam

Ms Matos-Hello! I’m Maria Matos. You can call me Ms Matos.

Miriam- Hello, Ms Matos.

Ms Matos- Let’s put your personal information in my computer.

Miriam- Right.

Ms Matos-What’s your name?

Miriam- My name’s Miriam Neves.

Ms Matos- Where are you from?

Miriam- I’m from Portugal and now I live in Mação.

Ms Matos- How old are you?

Miriam- I’m eleven.

Ms Matos- When were you born?

Miriam- I was born on 9th October.

Ms Matos- Where do you live?

Miriam- 3, Rua Padre António Pereira de Figueiredo, Mação.

Ms Matos- What’s your phone number?

Miriam-927770022

Ms Matos- Have you got any brothers or sisters?

Miriam- I have got two little brothers.

Ms Matos- What are your favourite subjects?

Miriam- My favourite subjects are English and Maths.

Ms Matos- What do you like doing in your free time?

Miriam- In my free time I like dancing and studying.

Ms Matos- Well.That’s all.Thank you, Miriam.

Miriam- You’re welcome.

Miriam Neves e Maria Carolina Matos, 7ºB

Texto Escrito e dramatizado nas aulas de aperfeiçoamento da escrita e da oralidade
Disciplina de Inglês

Mirrors

My name is Lucas Pita, I’m Portuguese and I was born in Lisbon.

I’m tall for my age and slim. I have got a round face and I have got a scar! I have got short, brown hair and brown eyes.

I’m intelligent, friendly and happy.

I love playing football, tennis and computer games. I like walking with my dog. My favourite colour is red and my favourite singer is Juice Wrld.

Lucas Pita, 7º B

Disciplina de Inglês

Mirrors

My name is António Mendes and I’m 11 years old. I was born in November, on the 12th in 2007. I am medium-sized and thin. I have got pale skin and my face is oval. My eyes are brown and small. I have got a small nose and  a small mouth. I’ve got short straight brown hair. I am Portuguese. I am funny, amusing, friendly, curious, and nosy.

António Mendes, 7º B

Disciplina de Inglês

Notícias da L.E.C.A.

 

A viagem que mudou uma vida

Ontem de manhã, estava eu a fazer o almoço, quando me lembrei da história do meu filho, que partiu numa viagem para descobrir a sua vocação.

Tudo começou há três anos atrás, quando ele foi gozado por ser careca e pescador. A partir daquele momento, ele percebeu que queria deixar de ser aquilo que era. Então, ele decidiu fazer uma viagem para descobrir a sua vocação e a cura para o seu problema (calvície). Antes de ele partir, eu entreguei-lhe uns selos mágicos. Estes selos tinham a magia de, quando ele tivesse um problema, escrever-me-ia uma carta que viria a voar até mim.

O meu filho, ainda careca, viajou por vários países, mas os seus favoritos foram: Portugal ,onde provou as melhores doçarias; a Espanha, onde apreciou as melhores danças; a França, onde viu os melhores monumentos; a Itália, país em que comeu as melhores pizzas. Foi lá que encontrou um cartaz que anunciava um torneio de tiro ao arco no deserto do Egito.

Então, pôs-se a caminho, para conhecer outro país e relembrar a sua infância quando jogava tiro ao arco comigo. Quando chegou, já estava a decorrer o torneio de tiro ao arco. Enquanto ele estava a apreciar o torneio, viu uma velhinha a ser mordida por uma cobra venenosa . No meio do pânico, a cadelinha da senhora idosa desapareceu. O meu filho foi ajudá-la e ouviu os médicos dizer-lhe que só tinha cinco dias de vida. A velhinha,  desesperada , viu que um homem careca queria ajudá-la e pediu-lhe para encontrar a sua cadela, que se chamava Lacy , porque queria vê-la antes de morrer .

Então ele seguiu o seu instinto para realizar o último desejo daquela pobre velhinha . Já estava à procura há dois dias e não encontrava nada. Com aquele desespero, o meu filho mandou-me uma carta, onde me pedia um conselho . Eu disse-lhe para ter calma e para procurar nas pirâmides, onde havia muitas armadilhas, mas ele seria capaz de ultrapassá-las.

Ele pensou no que eu tinha dito e foi até às pirâmides. Lá, o meu filho passou por vários enigmas. Até parecia que a pirâmide tinha sido construída como se fosse um labirinto. No fim de dez enigmas, ele conseguiu encontrar a assustada cadela Lacy. Como só faltavam doze horas, ele apressou-se a ir ter com a velhinha. Ao longo do caminho, cresceu uma grande amizade entre ele e a cadelita desprotegida. Quando eles chegaram junto da velhinha , ela viu que eles estavam muito amigos, então deu um último abraço à cadela e entregou-a ao meu filho. Ele aceitou-a e prometeu que ia cuidar muito bem dela.

Já estava a regressar, quando se apercebeu que não consegui a viver sem aquela cadela, começou a gostar cada vez mais de animais e decidiu que ia deixar de ser pescador e que ia ser veterinário. No dia seguinte, já perto da sua terra natal, ele notou que já tinha cabelo. Não percebeu como é que aquilo tinha acontecido, mas pensou que tinha sido por causa da sua boa ação.

Ainda hoje não se sabe como aconteceu aquele milagre.

 

Beatriz Rodrigues e Inês Delgado, 7ºB

VIAGEM A FRANÇA/PROJETO ETWINNING

A aprendizagem de um idioma é uma preciosa ferramenta, uma ponte que permite atravessar fronteiras rumo à descoberta de outros povos e culturas, uma chave que abre a porta do conhecimento e do sucesso…
No presente ano letivo, os alunos de Francês do 3º Ciclo e Curso Profissional de Cozinha e Pastelaria – 11ºB – vão ter a oportunidade de participar num projeto inovador que promove uma inovadora e profícua interação entre escolas nacionais e internacionais: o Etwinning. O seu nome é “Atravessar fronteiras, alargar horizontes!”
Esta iniciativa nasceu do desejo de realizar uma viagem a França, promovendo, deste modo, a prática, o gosto pela descoberta da língua francesa e o conhecimento de novas culturas.
Para além da partilha de experiências, pesquisas e conhecimentos, o principal objetivo deste projeto é alargar horizontes, num ambiente comunicativo que, decerto, promoverá, de forma divertida e criativa, o desenvolvimento de competências no domínio da língua e cultura francesas, através de um trabalho colaborativo em intercâmbio com jovens de outros estabelecimentos escolares, nacionais e estrangeiros. De momento, o projeto irá desenvolver-se em parceria com a Escola Secundária Manuel Fernandes de Abrantes e também com alunos de Francês, Língua Estrangeira, de uma escola de Itália.
Esta iniciativa nasceu do desejo manifestado pelos nossos alunos de realizar mais uma viagem a França. Deste modo, embarcaremos, em conjunto com outras escolas, numa viagem real e/ou virtual com destino a Paris, “la Ville Lumière”, entre outras divertidas paragens.
Se o entusiasmo é grande, o resultado será, certamente, inesquecível!

As professoras: Clara Neves e Ana Gameiro

Notícias da L.E.C.A.

 

Uma história inesperada

         Olá, eu sou o Cristiano, e tenho um amigo chamado Felizberto Tintim, ele era de uma família pobre, que passava dificuldades. Ele foi trabalhar para um bosque, mas muitos senhores mais velhos diziam que o bosque era encantado. Era mais conhecido por bosque encantado, mas ele não tinha medo, pois ia fazer aquilo pela família. Fez as malas e lá foi.

Quando lá chegou, ficou surpreendido com a quantidade de crianças que havia. Ele também ficou impressionado com a beleza do lugar, as árvores brilhavam, ouviam-se os pássaros a cantar. Passaram algumas semanas e ele cada vez mais contente com aquele trabalho.

Na noite de Natal, quando os alunos estavam a ler livros, ele reparou que apareceu um animal pequeno, era uma gata, que começou a miar sem parar e virou costas em direção a um caminho de terra batida. Felisberto, curioso, foi atrás da gata, até que ela finalmente parou num lugar maravilhoso, um laguinho azulado a refletir o céu estrelado. Num banco, a gata virou-se para ele e disse:

-Eu não sou um animal pequeno, sou uma gata mágica, que pode fazer tudo o que bem entender, e eu posso-te ajudar!

Ele respondeu :

– Como assim, podes-me ajudar?

– Posso-te dar o dinheiro que precisas para tirar a tua família da dificuldade em que se encontra.- respondeu a gata num tom convincente.

– A sério? Dá-me ! – pediu ele curioso.

A gata olhou meio torto para Felizberto e disse :

– Só se conseguires levar o David, o teu belo gato do acampamento, até mim!

Felizberto exclamou:

– Claro, eu posso tudo!

Então levou o David até à gata e ela deu-lhe o dinheiro.

Felizmente, acabou tudo bem, o Felizberto conseguiu tirar a família das dificuldades e a gata mágica casou com o gatão David.

 

 

Denisa e Eva, 7ºB

Notícias da L.E.C.A.

 

Em Ler, Escrever e Contar com Arte, as turmas do 7º ano desenvolveram, entre outras, a atividade que partiu da realização de cubos e das suas planificações e culminou na elaboração de textos, passando pela revisão das categorias e estrutura do texto narrativo.

Aliando as competências de Matemática e de Português, tentando colmatar dificuldades manifestadas pelos alunos, complementando competências de socialização (trabalho de grupo), passando pelo uso das novas tecnologias e sempre numa perspetiva lúdica, chegou-se a vários textos que aqui se divulgam.

Regista-se o ambiente de trabalho saudável e o empenho dos alunos.

 

As professoras Glória Afonso e Anabela Ferreira

Poesia… a arte das palavras tocadas pelos poetas

A nossa história é longa

E cheia de trambolhões,

Mas o que nunca entre nós houve

Foram grandes discussões.

 

Olho para ti

E fico preso ao chão,

Pois

A curva dos teus olhos abraça o meu coração!

 

Eu quero-te muito e sei que

Somos apaixonados doentes…

Quando nos abraçamos

Traço sinais sobre os teus olhos ausentes.

 

É algo grande

Que não dá para descrever.

Eu espero e desespero

Só para te poder ver.

 

Quando falamos, eu paro de pensar

A tua voz é suave como um beijo…

Quando percebo, pareces um anjo a voar

És tudo o que eu mais desejo.

 

Rafael Lobo, 9.º B

Selos Europeus de Qualidade eTwinning

 

Recentemente os projetos eTwinning The People in Our History, You Can Be a Hero, too! e We Wear What We Sing, coordenados e desenvolvidos pela professora Ana Sofia Pereira com as turmas dos 7º e 9º anos, respetivamente, foram galardoados com Selos Europeus de Qualidade eTwinning.

“Este prémio é concedido pelo Serviço Central de Apoio (CSS), sediado em Bruxelas, a professores em projetos que tenham sido indicados para Selo Europeu de Qualidade por, pelo menos, um Serviço Nacional de Apoio, após um processo de seleção. Cada Serviço Nacional de Apoio propõe um terço dos melhores projetos que tenham recebido um Selo Nacional de Qualidade com base na sua classificação. Os projetos devem ainda incluir pelo menos dois parceiros que tenham recebido o Selo Nacional de Qualidade.”

Aqui podem encontrar a lista de premiados. https://www.etwinning.pt/site/node/208

A todos os envolvidos neste processo, os mais sinceros Parabéns pelo trabalho desenvolvido!!