A viagem … na primeira pessoa -6.ºB

A professora Lígia Silva reportou à turma uma atividade do Clube Europeu que consistia numa exposição de trabalhos sobre as locomotivas a vapor/comboios e tudo o que estivesse relacionado.

Passámos algumas aulas a formar grupos, dividir tarefas… após estes procedimentos em grupo começámos a trabalhar.

Para os trabalhos que realizei tive que fazer pesquisas na Internet, em jornais e fiz também perguntas aos “mais velhos” e a pessoas que trabalhavam nos locais abordados.

Comecei individualmente e depois em grupo a montar o trabalho. Concluído este “passo” enviei para a professora para que esta pudesse fazer as correções necessárias.

Quando a professora terminou a correção dos trabalhos, emoldurou todos e colocou-os numa exposição, para que os colegas da escola os pudessem ler e entrar na nossa viagem! Esperemos que gostem!

Ana Rita Claro, Beatriz Marques e Rita Carreira

Primeiro comecei por pesquisar um pouco sobre o meu personagem e retirar as informações mais importantes. Após essa seleção de informação escrevi um texto ao qual adicionei uma imagem de D. Pedro V. Depois de todos os meus colegas terem enviado os trabalhos e a professora os ter corrigido foram colocados em dois painéis e expostos no átrio ao pé da Secretaria.

Maria Loio

A exposição “ A viagem…” tem como objetivo proporcionar uma perspetiva histórica da evolução do transporte ferroviário desde o aparecimento da máquina a vapor até à atualidade.

Os trabalhos que eu fiz foram a biografia de James Watt e a fala da guarda de passagem de nível. A biografia de James Watt foi feita através de pesquisa de informação com recurso à Internet e a seleção dos acontecimentos mais importantes da sua vida.

A fala da guarda de passagem de nível foi baseada na pesquisa que fiz sobre a importância da sua atividade.

Beatriz Barreta

O Alfa Pendular faz a ligação entre muitas cidades! Fui à Internet e pesquisei fotos, escolhi uma para o trabalho e também escrevi um pequeno que enviei para a Classroom.

Eu falei sobre o Alfa Pendular e fiquei a saber que a sua velocidade máxima é de 220Km/h!

Rodrigo Silva

Eu falei sobre o Comboio Bala e tive de fazer várias pesquisas na Internet e descobri que é o comboio mais rápido do Mundo! Com a informação selecionada escrevi um pequeno texto que enviei pela Classroom para a professora corrigir. Também escolhi algumas fotos desse comboio que é super rápido!

Martim Matos

Eu fiz o trabalho sobre Thomas Newcomen e precisei de fazer uma pesquisa com recurso ao Google. Li a informação sobre a sua biografia e tive de selecionar a mais importante para depois passar a limpo. Com o trabalho que fiz aprendi como foi importante a invenção da máquina a vapor e como revolucionou os transportes! Agora posso mostrar o meu trabalho a outras pessoas para dar a conhecer aquilo que eu aprendi!

Francisca Barreira

Eu desenhei um comboio que fez uma longa viagem desde o século XIX até ao século XXI. Pesquisei várias imagens de comboios para ver como eram construídos e, como gosto de desenhar fiz um usando lápis de carvão para fazer lembrar os primeiros comboios do século XIX.

Simão Lourenço

A Viagem… Pelas linhas ferroviárias de Portugal – Mapa 3D

No âmbito do tema do Ano Europeu 2021 “O transporte ferroviário e a mobilidade sustentável”, os elementos do Clube Europeu do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte foram viajar por várias “linhas ferroviárias”.

A nossa viagem começou com a construção do mapa de Portugal, onde foram assinaladas todas as linhas ferroviárias em serviço. Foram criados, em 3D, vários elementos elucidativos do tema.

Onze comboios coloridos constituídos por locomotiva, carruagem e atrelado; vinte e um edifícios de estações devidamente identificados com o nome e ainda outros elementos de sinalética que informavam do nome das linhas, fizeram as delícias dos alunos da nossa escola.

Neste mapa 3D, nem o oceano Atlântico, nem a Espanha foram esquecidos!

Depois de ser pintado o oceano, pelos mais jovens elementos do clube, ganhou cor e vida 3D com barquinhos de pesca, peixinhos e outros animais marinhos como tartarugas, baleias, polvos, raias, cavalos-marinhos e caranguejos.

O território espanhol foi enfeitado com pequenas árvores construídas pelos elementos do clube, a partir de rolhas de garrafa.

A viagem continuou a pensar na brincadeira! Desenhos para colorir, sopas de letras com motivos ferroviários organizados num pequeno livrinho que foi oferecido aos visitantes da exposição. Por linhas horizontais, verticais e diagonais de palavras, os nossos alunos aprenderam.

Todas as viagens são possibilitadoras de conhecimento. Cartazes ilustrativos das linhas ferroviárias em serviço completaram a exposição.

Senhores passageiros, é favor apanhar o próximo comboio com destino a qualquer cidade da Europa!

… E boa viagem!

Texto de Graça Dias e Sílvia Ramadas

Exposição “A viagem …”

O tema do ano 2021 dos Clubes Europeus é “Pacto Ecológico Europeu – O Transporte Ferroviário promove a mobilidade sustentável” e os membros do Clube Europeu AEVH decidiram realizar diversas atividades com o objetivo de valorizar o património ferroviário nacional, com vista a que os alunos conheçam e compreendam o funcionamento das principais linhas de circulação ferroviária em Portugal; alertar para a necessidade de adotar comportamentos amigos do Ambiente e contribuir para a sustentabilidade do planeta.

Com vista a conhecer e a compreender o funcionamento das principais linhas de circulação ferroviária em Portugal o Clube Europeu mobilizou os seus membros da turma B, do sexto ano, na disciplina de História e Geografia de Portugal, no âmbito do tema “Portugal na segunda metade do século XIX – modernização dos transportes” para a pesquisa de informação sobre a origem da máquina a vapor, os seus inventores, a sua aplicação nos meios de transporte e as várias profissões ligadas ao transporte ferroviário.

Os alunos selecionaram informação sobre personalidades relevantes para a implementação da rede ferroviária, bem como a evolução do transporte ferroviário desde o século XIX até à atualidade.

Após o trabalho de pesquisa e seleção de informação, foram redigidos textos sobre os inventores James Watt, Thomas Newcomen e Robert Stephenson, bem como as profissões diretamente ligadas ao transporte ferroviário, mas sempre na primeira pessoa. “Eu sou… construtor de linhas férreas, maquinista, guarda-freio, fogueiro, bagageiro, revisor e guarda de passagem de nível. 

Os alunos também pesquisaram dados biográficos sobre os monarcas D. Pedro V e D. Luís, bem como do ministro Fontes Pereira de Melo que foi o grande impulsionador da construção de estradas, pontes, viadutos e de uma rede de caminhos-de-ferro, tornando o comboio o meio de transporte mais importante da época.

Foram ainda redigidos textos descritivos das estações de caminho-de-ferro emblemáticas do período em estudo, tais como Santa Apolónia e Central do Rossio, bem como dos equipamentos existentes nessas estações como o relógio e o sino.

Imaginem só que até um mapa e um bilhete de comboio também falaram, mas sempre na primeira pessoa!

Na exposição estiveram patentes os trabalhos sobre o Sud-Express, o Alfa Pendular, o Train à Grande Vitesse (TGV), o Maglev e o comboio Bala, tendo a viagem efetuada sido bastante longa.

Um dos alunos trouxe a farda usada pelo seu avô, que trabalhou na Estação de Alvega-Ortiga,  que esteve sempre vigilante para não haver descarrilamentos!

Foi uma longa viagem, mas todos chegaram ao seu destino…mais enriquecidos!

Texto e fotografias de Lígia Silva

Laço Azul

Serei o que me deres… que seja amor

No dia 20 de abril dois elementos da CPCJ – Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Mação estiveram na nossa sala para falar sobre a história do Laço Azul.

Em 1989, na Virgínia, E.U.A., Bonnie W.Finney, amarrou uma fita azul à antena do seu carro para fazer com que as pessoas se questionassem sobre o seu significado.

A história que Bonnie Finney contou aos elementos da comunidade que se revelaram “curiosos” foi trágica e relatava os maus tratos à sua neta, os quais já tinham morto o seu neto de forma brutal. E porquê azul? Porque apesar do azul ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos batidos e cheios de nódoas negras dos seus dois netos. O azul servir-lhe-ia como um lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças contra os maus tratos.

Depois falamos um pouco sobre os Direitos da Criança e pediram-nos para preenchermos um questionário sobre a família e a escola.

Beatriz Santos N.º5 do 6.ºB

No dia 20 de março dois elementos da CPCJ vieram à minha sala para falar sobre os maus tratos infantis e contaram a história do Laço Azul. Também falaram sobre a violência doméstica e o bullying. Falaram ainda sobre a necessidade de todos termos direito à Felicidade e ao Amor.

No final respondemos a um questionário sobre a nossa vida e aspetos da casa onde vivemos entre outras coisas.

Nesse dia aprendi uma frase que recordarei para sempre “Serei o que me deres… que seja amor.”

Francisca Barreira N.º8   do 6.ºB

                                                         Crianças

As crianças têm direito a viver
A explorar o Mundo e a aprender!
Mês de abril veio ensinar
Que devemos amar!

Laço azul vem ajudar 
Das crianças cuidar.
As crianças têm deveres e direitos
Mas sem haver desrespeitos! 

Beatriz Barreta N.º3  e Rita Carreira N.º 18  do 6.ºB
Laço azul!

Dois laços azuis
Pelo ar a voar
Entraram na sala
E vieram-nos ensinar!

Os nossos direitos
Eles vieram relembrar!
Para que ninguém
Os possa contrariar!

À Liberdade temos direito 
E por ela vamos lutar!
Não deixar que nos a tirem
Nós não vamos vacilar!

Jovens somos
E pequenos também.
Isso não quer dizer
Que não somos ninguém!

Ana Rita Claro N.º 1 e  Izilda Maseko  N.º 9 do  6.ºB

E@D – Cidadania e Desenvolvimento – 6.ºB

Durante o E@D foram propostas diversas atividades, no âmbito do tema “Desenvolvimento Sustentável”, e os alunos enviaram, através da Classroom, os trabalhos realizados individualmente e /ou em grupo sob a forma de textos em prosa/verso, desenhos e vídeos.

Nem tudo o que sobra é lixo!

Plástico e latas

São para Reciclar!

Fazer novos brinquedos

E com eles jogar!

Mães, pais e avós

Oiçam com atenção!

Proteger a Natureza

Está nas vossas mãos!

Matilde Fernandes  N.º17 do 6.ºB

Nem tudo é para deitar fora!

Por isso a partir de agora

Nós vamos reutilizar

Para o Mundo não estragar!

Maria Loio N.º 14 do 6.ºB 

O planeta precisa de ajuda

E é por aí que vamos entrar!

Reduzir, Reutilizar e Reciclar

São algumas das formas de começar!

Para Reduzir

Só o necessário devemos adquirir.

Para Reutilizar

Só é preciso imaginar!

Por fim para Reciclar

O Ecoponto certo devemos utilizar.

E se cada um ajudar

O planeta Terra vai beneficiar!

Beatriz Lopes N.º4 do 6.ºB

O primeiro passo a dar

É Reciclar!

Portanto toca a pensar!

De um pedaço de papel

Um avião se pode formar

Para o mundo vir encantar!

Uma espada tu queres comprar?

Dinheiro vais ter de gastar.

Espada de papelão

Não te vai magoar a mão!

Rita Carreira N.º 18 do 6.ºB

O futuro que queremos


Rodrigo Silva
Beatriz Santos
Ana Rita Claro
Simão Lourenço
Rute Rafael
Beatriz Barreta

                         Reduzir o lixo na ficção e no mundo real!

Na ficção o lixo não tem mal.

Faz parte da diversão normal.

Mas na vida real,

É muito prejudicial.

Se não mudarmos

Piores vão ser os castigos.

Mortes de seres vivos

E animais com doenças atraídos.

Na vida real não existem super heróis,

Por isso somos nós que temos de salvar o mundo.

Não é preciso muito.

Apenas estas regras seguir:

Reduzir, Reutilizar e Reciclar

E pomos o mundo a sorrir!

Beatriz Lopes N.º4 do 6.ºB

Quando nós vimos, nos desenhos animados, muito lixo conseguimos ver que é diversão.

No mundo real já não é assim. Precisamos de olhar à nossa volta e mudar alguns comportamentos do ser humano.

Quando o lixo não é descartado adequadamente pode contaminar os solos, as águas, e muitas mais coisas.

Com esta poluição toda, os animais apanham doenças e as espécies podem ficar em risco.

Precisamos de mudar isto!

Nós é que somos os super-heróis do mundo real!

Temos de passar esta ideia.

E temos a ajuda dos 3R’s: Reduzir, Reutilizar e Reciclar.

Beatriz Barreta N.º3 do 6.ºB

No vídeo que vi, foi abordado o mundo da ficção onde quase todo o lixo fazia parte da brincadeira, mas atrás dessa bagunça havia sempre um herói a resolver os problemas.

Ainda assim, além do mundo da fantasia, existe também o mundo real onde as ações que temos com o lixo já não são tão semelhantes às do mundo da ficção.

Estes atos têm consequências tais como a destruição do solo (devido à construção de aterros que são criados devido à irresponsabilidade de muitas pessoas), o aparecimento de doenças e de mortes animais porque estes comem o lixo produzido pelas pessoas e também o entupimento de esgotos, rios…

O vídeo também destacou a importância de começar pela sociedade a mudança de alguns comportamentos/ações, podendo assim mudar o mundo e torná-lo melhor.

Ana Rita Claro N.º 1 do 6.ºB

Ana Rita Claro, Eduarda Nunes e José Matos

Campeonato SuperTmatik de História de Portugal

No dia 18 de dezembro foram entregues os prémios aos três primeiros classificados do Campeonato SuperTmatik de História de Portugal referente ao ano letivo 2019/2020.

A final online não se realizou em abril como vem sendo hábito por causa da pandemia, mas apenas no mês de novembro do corrente ano letivo.

A cerimónia teve a presença dos três professores dinamizadores António Bento, Augusta Estrela e Lígia Silva, para além do Diretor do Agrupamento.

Após onze anos a implementar esta atividade conseguimos que doze dos quinze alunos participantes no SuperTmatik ocupassem o Top 10.

Ao longo das últimas semanas do corrente ano letivo também foram entregues os certificados de participação aos restantes alunos.

Agradeço a todos os intervenientes nesta atividade que visa fomentar o interesse pela aprendizagem; contribuir para a aquisição, consolidação e ampliação de competências e conhecimentos; reforçar a componente lúdica no processo de ensino-aprendizagem; promover o convívio entre alunos, professores e restante comunidade escolar.

Texto e fotografias de Lígia Silva

10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos

O Clube Europeu comemorou o 72.º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos no dia 10 de dezembro. Contudo para que essa comemoração tivesse lugar foram implementadas diversas atividades envolvendo professores e alunos.

Solicitou-se a todos os professores da escola sede, no total de sessenta e dois, que desenhassem uma das mãos em cartolinas coloridas onde foi registada uma palavra- chave que resumisse cada um dos trinta artigos incluídos na Declaração Universal dos Direitos Humanos

As mãos dos Direitos Humanos foram colocadas numa árvore e foi pedido que cada docente a retirasse e lesse o QR Code constante no verso.

As palavras-chave alusivas a cada um dos trinta artigos foram transformadas em QR Code por alunos do 8.ºB. 

Posteriormente foram enviados, via email, a todos os professores do Agrupamento (oitenta e quatro docentes) dois links de vídeos para recordar os seus 30 artigos, https://youtu.be/-KwVkLn7e08, bem como a sua origem  https://youtu.be/SJy1M4iYiMo  para que todos recordassem quão importante é preciso não esquecer os Direitos Humanos e a nossa função como educadores numa sociedade cada vez mais individualista e egoísta. 

Foi encaminhado um email às  Diretoras de Turma do Ensino Secundário (oito turmas) com a proposta de visionamento do vídeo/canção “A música que todos deveriam saber a letra” https://youtu.be/ikqY9H7QNmM da responsabilidade do Conselho Nacional do Ministério Público e a realização de um Debate sobre a importância de relembrar os Direitos Humanos e a nossa atitude face aos mesmos.

A ementa do dia dez de dezembro também foi adaptada para que fossem incluídos alguns dos Direitos Humanos na descrição da sopa, prato principal e sobremesa.

Os alunos de várias turmas também participaram na comemoração deste dia tão importante desenhando uma das mãos, escrevendo uma palavra-chave e ilustrando-a.

As palavras-chave foram escritas em Português por duas turmas (6.ºA/B), em Francês (7.ºA), em Espanhol (7.ºB) e em Inglês (8.ºB) num total de cento e dez alunos.

Mãos dos Direitos Humanos

Numa aula de Cidadania e Desenvolvimento falámos sobre os Direitos Humanos.

A professora Lígia Silva mostrou-nos um vídeo que apresentava os 30 direitos fundamentais que deveriam regular todas as relações humanas.

Há várias abordagens à Declaração Universal dos Direitos Humanos que focam mais uns ou outros desses direitos. A que aqui analisámos surpreendeu-me pela positiva, pois não imaginava que tínhamos direito a tanta coisa!

Todos os Direitos devem ser protegidos, especialmente aqueles que mais falta nos fazem no dia a dia, como o direito a uma casa, uma nacionalidade, uma família, o direito à segurança própria, e muitos outros.

A seguir ao visionamento deste vídeo foi realizada uma atividade que consistiu em desenhar a nossa mão, escrever no seu interior o direito atribuído a cada um e, em seguida, fazer ilustrações alusivas a esse direito.

A mim calhou-me o direito à Liberdade: desenhei uma pessoa com algemas partidas, como quem acaba de sair da prisão em liberdade; desenhei também uma pomba e alguns cravos vermelhos.

Depois de pintado e recortado, só faltava guardar aquela mão dentro do coração, porque é nele que se armazenam as recordações bonitas.

Ana Claro  N.°1 do 6.°B 

Após a visualização do vídeo sobre os 30 artigos da Declaração dos Direitos Humanos, realizámos um trabalho.

O trabalho consistia no desenho do contorno da nossa mão, onde colocámos o nosso nome e o nome de um dos Direitos Humanos.

Todos nós efetuámos um desenho, relacionado com o respetivo Direito Humano, dentro dos contornos do desenho da própria mão.

A mim coube-me o direito à Igualdade. O desenho que eu fiz foi o Planeta Terra, com pessoas de diferentes nacionalidades e género.

O Direito Humano da Igualdade indica que todas as pessoas têm os mesmos direitos e deveres, independentemente do género, raça ou nacionalidade.

Beatriz Barreta  N.º3 do 6.ºB

                    

Estudante OK

Numa aula de Organização Geral e Método foi lido o texto intitulado “Estudante OK” na turma do 6.º A.

Aqui fica um poema escrito pela aluna Iara Dias alusivo ao tema.

É aquele que gosta de conhecer

Aquele que se esforça a valer

Não importa onde estiver

Há sempre lugar para aprender!

Esforça-se para boas notas tirar

Está sempre a estudar

De ano vai passar

Para os seus sonhos poder alcançar !

Halloween 2020 – Menos pavoroso, mas mais saboroso!

No dia trinta de outubro comemorámos o Halloween!

 Os alunos do Curso Profissional Técnico de Cozinha/Pastelaria e os alunos da turma B do décimo ano do Curso Profissional Técnico de Turismo confecionaram bolinhos “assustadores”, mas deliciosos que foram distribuídos no refeitório da nossa Escola.

Foi entregue, a cada aluno e aos professores, um saquinho com um brigadeiro em forma de aranha, uma bolacha fantasmagórica e um mini queque enfeitado com um fantasma de chocolate.

Uma memória feliz e simpática para nos acompanhar neste ano letivo tão diferente!

Alunos do 10.º B