Os Direitos Humanos na primeira pessoa II

(marcadores e cartazes)

Eu escolhi o Direito Humano “Lazer” , porque acho que todas as crianças têm direito a brincar com a família ou com os amigos, na escola, em casa ou noutros locais. Penso que o “Lazer” ajuda as crianças a serem felizes.

Martim Ferreira N.º13 do 5.ºB

Eu gostei da atividade que fizemos nas aulas de HGP. Fiz um marcador com a palavra “Vida” e escolhi esta palavra, porque algumas pessoas vivem na miséria ou seja não têm uma vida como deveriam ter. Eu gostei muito da atividade, porque além de nos divertimos, também aprendemos muito sobre os Direitos Humanos.

Leonor Assunção N.º 11 do 5.ºA

Os Direitos Humanos são os direitos básicos de todos os seres humanos. O Dia Internacional dos Direitos Humanos é comemorado no dia 10 de dezembro.

O Clube Europeu implementou duas atividades para comemorar esse dia e os professores de HGP, EV e ET pediram aos alunos para fazerem trabalhos que foram expostos na escola.

Numa aula de História e Geografia de Portugal a professora Lígia Silva distribuiu marcadores, em cartolina colorida, com animais marinhos desenhados e cada aluno escolheu o que mais gostou.

Depois a professora projetou algumas palavras alusivas aos Direitos Humanos para serem escolhidas pelos alunos e que iriam ser escritas no marcador. De seguida escreveram a respetiva palavra no marcador e pintaram a palavra selecionada.

Depois dos marcadores terminados, a professora tirou fotografias a cada aluno com o seu marcador, depois fez um vídeo em que aparecem os alunos a fazer o marcador e outro a mostrar o trabalho final. Também tirou uma fotografia com todos os marcadores da minha turma.

Nas disciplinas de Educação Visual e de Educação Tecnologia fizemos cartazes relativos aos seguintes Direitos Humanos: Liberdade, Nacionalidade, Democracia, Família, Religião, Igualdade, Cultura, Solidariedade, Integridade, Responsabilidade, Justiça, Trabalho, Educação, Proteção, Privacidade e Dignidade. Além de escrevermos um Direito Humano também fizemos um desenho que ilustrava esse mesmo direito.

Todos somos iguais, todos temos direitos e deveres! Devemos respeitar os nossos direitos, mas também os direitos dos outros!

Bárbara Pombo N.º 2 do 6.ºB

Nas disciplinas de História e Geografia de Portugal, Educação Visual e Educação Tecnológica fiz um marcador de livros e um cartaz sobre os Direitos Humanos.

As palavras que eu utilizei nos meus trabalhos foram “Igualdade”, “Cultura” e “Lazer.”

Foi muito divertido e ajudou-me a compreender melhor o que são os Direitos Humanos!

Ana Rita Rosa N.º 1 do 5.ºB

É muito divertido fazer atividades diferentes do vulgar para aprender de maneiras variadas!

Fazer  o trabalho dos marcadores foi muito interessante, porque cada palavra “mexe” com as pessoas de maneira diferente, por isso nem todos os alunos escolheram as mesmas palavras.

Eu escolhi a palavra” Vida”, porque acho que é algo a que todos devemos ter direito. Foi também engraçado ver como cada aluno representou a mesma palavra de formas diferentes.

O trabalho dos cartazes foi interessante ao permitir libertar a nossa criatividade no modo como colorimos as letras da palavra escolhida com padrões de que mais gostamos e no desenho associado à palavra dando origem a trabalhos muito giros!

Adorei fazer estes trabalhos!

Clara Cardoso N.º 3 do 6.ºB

A Liberdade é um direito

Dos Humanos e dos animais!

Vamos lutar para vencer

Porque somos todos Iguais!

Seja homem ou mulher

Golfinho ou tubarão

Os Direitos Humanos

Devem ser Universais!

No Mundo em todas as nações!

Lara Matos N.º do 6.ºB

Nas disciplinas de HGP e EV/ ET fizemos duas atividades sobre os Direitos Humanos (marcadores e cartazes).

Eu acho que estas atividades são importantes, porque não os conhecemos bem e porque apesar de se falar muito de Direitos Humanos, a verdade é que vemos muitas injustiças como é o que acontece com os migrantes e os refugiados que fogem do seu país à procura de uma vida melhor.

Lara Sequeira Craveiro N.º 9 do 6.ºB

No marcador dos Direitos Humanos eu escolhi a palavra “Proteção” e o animal marinho foi o golfinho. Porquê? Porque proteção é um direito! E todos os seres vivos têm direitos!

Para mim a proteção significa cuidar e proteger para mal não acontecer.

O meu marcador ficou colorido com algumas cores e o golfinho azul.

Catarina Silva N.º 1 do 6.ºA

Nas aulas de HGP e EV/ET foram realizados marcadores e cartazes sobre os Direitos Humanos.

Foram escritas palavras simples, mas com muito significado e palavras com muito valor!

Em HGP a professora projetou algumas palavras e fizemos marcadores escolhendo apenas uma delas.

O meu marcador foi feito com a palavra “Família”.

Os meus colegas escolheram as palavras Proteção, Dignidade, Vida, Saúde, Lazer, Justiça, Solidariedade e Liberdade.

Nas aulas de EV/ET fizemos cartazes com as palavras Privacidade, Religião, Liberdade, Lazer, Expressão, Justiça, Família, Dignidade, Trabalho, Educação, Proteção e Democracia.

Somos todos iguais em Dignidade e direitos

Temos Família e Religião.

Todos nós temos direito à Justiça e à Proteção

Liberdade e Privacidade.

Temos direito à Educação, à Saúde, a um Trabalho digno e pago.

Temos direito à Liberdade de opinião e de expressão.

Temos o dever de continuar a conquistar os nossos direitos!

O ser humano é tudo na Vida!

É capaz de realizar todos os seus sonhos

É livre!

Vitória Saramago N.º18 do 6.º A

Numa aula de OGM fiz um marcador com a imagem de um golfinho pequenino e azul da cor de mar, e escrevi a palavra “LAZER” com letras que parecem um balão. As letras estavam todas coloridas, de várias cores, para me lembrar como termina uma história de encantar. Fiz também mini corações e tentei desenhar um anjo, mas não correu bem… mas o que vale é tentar!

Em Educação Visual e Educação Tecnológica desenhei, atrás da palavra “JUSTIÇA”, uma balança pois os direitos são para todos, sem excluir ninguém!

A Justiça deve ser para todos!

Também desenhei um emoji a sorrir.

Todos temos direitos e deveres que devemos cumprir!

Martim Rei Marques N.º do 5.ºC

Os Direitos Humanos na primeira pessoa I

(marcadores e cartazes)

O Clube Europeu, para assinalar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, pediu para participarmos em algumas atividades. Este dia comemora-se a 10 de dezembro e é um dia muito importante, porque todos nós temos direitos, mas também deveres.

Na aula de História e Geografia de Portugal fizemos marcadores de livros. Para o meu marcador escolhi um pinguim como animal aquático, porque este ano o tema do Clube Europeu é “Os oceanos.” Também tivemos que escolher uma palavra da lista dos Direitos Humanos e escrevê-la no marcador. Eu escolhi “Proteção”, porque acho que todas as pessoas, quer sejam adultos ou crianças, e até os animais, têm o direito a ser protegidas. No fim decorei o marcador ao meu gosto.

Nas disciplinas de Educação Visual e de Educação Tecnológica fizemos cartazes com algumas palavras-chave relativas aos Direitos Humanos. O meu cartaz tinha escrito a palavra “Participação” que foi feita com a técnica do ponto, linha e cor. Primeiro selecionei as letras que precisava e depois desenhei linhas dentro das letras. As linhas que escolhi foram onduladas. Depois escolhi as cores vermelha, azul e amarelo e colori a palavra “Participação” de uma forma sequencial. De seguida, fiz um desenho sobre a palavra e colei numa cartolina.

Os marcadores fizeram parte de uma exposição e os cartazes foram expostos na sala dos professores e no corredor do bloco B.

Gostei muito de fazer estes trabalhos principalmente sobre este tema, porque faz-nos pensar de que forma podemos viver melhor uns com os outros.     

          Francisco Brito Nº 7 do 5.ºA   

Nas aulas de História e Geografia de Portugal, e nas aulas de Educação Visual e de Educação Tecnológica fizemos trabalhos em homenagem aos Direitos Humanos e neste texto vou falar como fiz esses trabalhos.

O trabalho de História e Geografia de Portugal era fazer um marcador sobre um dos direitos e eu escolhi o direito a ter uma Nacionalidade.

Cada marcador tinha um animal marinho. Eu escolhi um búzio e fiz um desenho sobre o Direito Humano.

                                                             

Nas aulas de Educação Visual e de Educação Tecnológica tínhamos que escolher um Direito Humano e fazer um cartaz. O direito que eu escolhi foi “Saúde“. No cartaz, para decorá-lo, tínhamos de colocar um emoji e o meu era de um coração pintado com lápis de cera.

Gostei muito de fazer os trabalhos, porque gosto de pintar e desenhar.

Gabriel Dias N.º7 do 5.ºB

Numa aula de História e Geografia de Portugal foi-nos dada uma lista de palavras sobre os Direitos Humanos e tínhamos de escolher uma. Eu escolhi a palavra “SAÚDE.”

Após escolhermos uma palavra associada aos Direitos Humanos escrevemos num marcador que tinha desenhos de animais marinhos e eu escolhi o de um peixe.

Nas aulas de Educação Visual e de Educação Tecnológica foi-nos apresentado o tema “Direitos Humanos.” O professor Rodrigo Goulão escolheu uma palavra para cada aluno e a minha foi “NACIONALIDADE.” Escolhida a palavra, tinha de fazer um cartaz utilizando papel cavalinho A3. Usei vários materiais, recortei as letras, pintei-as com lápis, colei e depois desenhei uma “bandeira sorriso” onde usei lápis de cera e giz.

Lucas Borges N.º11 do 6.ºB

O meu marcador era sobre o Asilo. Na parte de trás do marcador eu desenhei uma pessoa num rasto de destruição, lá no fundo havia uma linda aldeia para onde a pessoa foi viver (Asilo).

O meu cartaz era sobre a Igualdade e eu desenhei “1=1”.

Eu adorei estas atividades!


Dinis Rei N.º5 do 5.ºB

Com estes trabalhos deu para perceber e aprender mais sobre os Direitos Humanos, ou seja, todos os seres humanos, apesar de serem diferentes, devem ter os mesmos direitos.

A atividade dos marcadores, na disciplina de HGP, foi muito divertida e esclarecedora!

A atividade dos cartazes, em Educação Visual e Educação Tecnológica, foi igualmente divertida e agradável.

Eu gostei muito destas atividades, porque consegui aprender mais sobre os Direitos Humanos, percebi melhor que todo o ser humano tem direito à Igualdade, cuidados de Saúde, ter um Trabalho e à Liberdade, entre outros direitos.

O marcador que escolhi foi o do golfinho e a palavra que escolhi foi “Igualdade.”

A palavra que me foi atribuída para o cartaz foi “Dignidade.”

Diverti-me bastante com estas atividades e aprendi coisas que todas as pessoas deviam saber!

Ashley Mendes N.º 1 do 6.ºB

Eu escolhi a palavra “Liberdade”, porque acho que todos os seres vivos deveriam viver em liberdade sem sofrerem qualquer tipo de repressão ou perseguição.

Escolhi um marcador com o desenho de um polvo, por ser fisicamente diferente dos outros, mas também merecer ser livre.

No cartaz sobre os Direitos Humanos desenhei um homem recatado, ao pé da árvore a ler um livro, e a palavra escolhida foi “Privacidade”, pois a privacidade de cada pessoa deve ser respeitada garantindo deste modo a sua liberdade.

Matilde Pimenta N.º 14 do 6.ºB

A professora de HGP deu-nos a opção de escolher uma palavra que aparecia no quadro sobre os trinta Direitos Humanos e eu escolhi “LAZER”, e também nos apresentou diversos marcadores e eu escolhi o do golfinho.

Comecei por pensar em tipos de letra e então pensei no tipo de letra perfeito para o meu trabalho! Escrevi a palavra no marcador, a lápis, e depois quando achei que tinha feito bem contornei a caneta. A professora disse que, se nós quiséssemos ilustrar a parte de trás do marcador podíamos fazê-lo, então como a minha palavra era LAZER, desenhei uma criança a ver televisão.

Nas aulas de Educação Visual e de Educação Tecnológica deram-me uma palavra sobre os Direitos Humanos e as letras do alfabeto.

Em primeiro lugar fiz seis manchas em cada letra que precisava para escrever a palavra “Privacidade” e apliquei a técnica do ponto e linha dentro das manchas. De seguida colei as letras numa cartolina azul pois o professor Rodrigo Goulãodisse que, na minha palavra, ficava melhor e contornei com caneta de ponta fina.

Depois de ter contornado a palavra recortei-a e colei na cartolina.

Mostrei o meu trabalho ao professor Rodrigo Goulão que disse para fazer um emoji onde poderia aparecer um cadeado com uma chave pois a minha palavra era “Privacidade.”

Mafalda Silva N.º 5 do 6.ºA

Dentro do tema dos Direitos Humanos fiz, na aula de OGM, um marcador com um animal marinho e escolhi escrever a palavra “Saúde”, porque é algo essencial à vida humana.

Como o tema do marcador era “Os oceanos” escolhi a cor azul.

Nas aulas de Educação Visual e de Educação Tecnológica, desenhei meninos e meninas de várias cores, no meu cartaz, porque todos devem ter acesso à “Saúde“, independentemente da cor, do sexo, da religião e outros aspetos que possam ser diferenciadores.

Samuel Alves N.º17 do 5.ºC

Dia Internacional dos Direitos Humanos

O Clube Europeu do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação comemorou o 73.º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos com a dinamização de várias atividades que envolveram alunos do 1.º, 2.º e 3.º Ciclos.

Após o visionamento de vídeos e a leitura dos 30 artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, os alunos membros do clube, escolheram uma palavra-chave alusiva a um artigo e escreveram-na num marcador. Mas os marcadores de livros eram todos diferentes… e imaginem, tinham desenhos de animais marinhos, porque o tema dos Clubes Europeus para 2021/2022 é “Os oceanos” e fazia todo o sentido relacionar essa temática com a atividade proposta pelo Clube Europeu.

Cada aluno escolheu o marcador que mais gostou e coloriu-o dando-lhe um toque pessoal.

Os marcadores foram colocados, num total de 178 (5.º/6.º/7.ºAnos) e 14 (1.º Ciclo) num placard no 1.º piso em frente à sala de professores. Nesta exposição também colaboraram os alunos do 9.º Ano com a realização de marcadores e, na montagem da exposição, alunos do 12.ºA.

Nas aulas de Educação Visual, alguns alunos do 5.º Ano de escolaridade aplicaram a técnica do Ponto e Linha e criaram marcadores bastante originais.

Técnica do Ponto e Linha

Os alunos do 5.º e 6.ºAnos, nas aulas de Educação Visual e de Educação Tecnológica, coloriram letras para depois formar palavras associadas aos Direitos Humanos colando-as em cartazes que ficaram suspensos nos tetos da sala de professores, no átrio e corredor do Bloco B.

Os Direitos Humanos a esvoaçar para todos cativar!

O Clube Europeu do AEVH endereça um agradecimento especial aos professores Rita Santos e Rodrigo Goulão por terem colaborado na realização destas atividades incentivando os alunos a aplicar técnicas de Educação Visual e de Educação Tecnológica, mas também a refletirem sobre os Direitos Humanos.

A comemoração do Dia Internacional dos Direitos Humanos também incluiu uma exposição de livros e de filmes que abordam diretamente histórias com vista à reflexão sobre a importância do cumprimento desses direitos.

Numa vitrina, gentilmente cedida pelo Professor Bibliotecário António Bento, foram expostos cinco livros e sete filmes em DVD, da Biblioteca Escolar, contribuindo para um maior conhecimento da temática dos Direitos Humanos.

Na vitrina também foram colocados onze livros sobre algumas personalidades defensoras dos Direitos Humanos, tais como Nelson Mandela, Mahatma Gandhi, Martim Luther King, Aristides de Sousa Mendes e Malala.

A propósito de Defensores dos Direitos Humanos, foram selecionadas frases proferidas por doze personalidades e imagens dos mesmos: Mahatma Gandhi, Dalai Lama, Nelson Mandela, Malala Yousafrai, Aristides de Sousa Mendes, Muhammd Yunus, Óscar Arias Sánchez, César Chávez, Malcom X, Eleanor Roosevelt, Desmond Tutu e José Ramos-Horta.

É importante recordar pessoas que ao longo das suas vidas defenderam os Direitos Humanos e como algumas delas sofreram na pele a incompreensão e a violência de uma sociedade pouco igualitária e racista.

Para além destes livros e filmes, também faziam parte da exposição treze títulos de livros e catorze cartazes de filmes com o intuito de levar a comunidade escolar a refletir sobre os Direitos Humanos.

No dia 10 de Dezembro cada professor pôde escolher um marcador (fotocópia) feito pelos alunos membros do Clube Europeu do AEVH de modo a relembrar os Direitos Humanos sempre que lê um livro.

As professoras Anabela Ferreira e Lígia Silva

Organização do caderno diário

Na disciplina de Organização Geral e Método foi lido e analisado o texto “João Limpezas” com vista a alertar os alunos do 5.ºAno para a importância de terem um caderno diário organizado.

Posteriormente os alunos redigiram textos com o objetivo de ajudar o dono do caderno a alterar o seu comportamento e a transformá-lo novamente no João Limpezas.

“O que deve fazer o dono do caderno para que este se sinta mais feliz?”

Eu sou o João Trapalhão
Um caderno lá da Escola.
Em tempos fui novinho
Quando me meteram na sacola.

Peço-vos uma ajuda
Para me sentir feliz.
Alguns conselhos para o meu dono
Para tratar bem de mim. 

Agradeço esta ajuda
Com carinho e amizade
Na esperança que ele cumpra
Ficando amigos para a eternidade.

Para o caderno se sentir mais feliz, o seu dono deverá:

– Organizar bem o caderno;

– Manter as folhas limpas;

– Colocar com cuidado o caderno na mochila;

– Sempre que se engane deve apagar com cuidado e voltar a escrever;

– Não escrever com muita força;

– Manter as mãos limpas enquanto trabalha;

– Ter cuidado na sua utilização para não rasgar as folhas.

Francisco Brito N.º 7 do 5.ºA

– Olá, estou de volta, mas venho muito feliz, porque finalmente estou limpinho, organizado e lindo!

E vou contar como é que eu fiquei assim!

 O meu dono, um dia, queria fazer um poema para a sua professora, só que ele já não tinha mais folhas nos seus cadernos, porque só sabia fazer rabiscos.

No dia seguinte quando estava a entrar na escola, veio logo ter com ele a Carolina, que lhe disse:

– Nós vamos ter mais uma disciplina que é «Organização Geral e Método» que pelo que me disseram é muito fixe!

Desde que o meu dono começou a ter aquela disciplina ele começou a ser muito organizado!

Ana Rita Rosa N.º 1 do 5.ºB

O caderno deve estar,
Limpo e organizado.
Vai ser mais fácil estudar
Se o caderno tiveres utilizado.

Folhas dobradas não!
Rasgadas ainda pior
Olha com atenção
Não te aches o melhor!

O meu caderno,
É o meu ajudante
Seja de verão ou de inverno…
Ele é muito importante!

Se tiveres o teu caderno
Limpo e organizado
Tens muito a ganhar
E vais ser valorizado!

Mariana Moço N.º 13 do 5.ºA

O João Trapalhão só queria ser um caderno feliz.

O João pensou como é que o seu dono podia fazer para o deixar limpo, como usar a borracha, não fazer gatafunhos, não rasgar as folhas e escrever sem erros.

Um dia ele sentiu uma coisa diferente, pois o seu dono já não escrevia com erros ortográficos, usava a borracha e tinha parado de fazer gatafunhos.

Ele ficou muito surpreendido! Até pensou que o seu dono tinha começado a frequentar a aula de Organização Geral e Método!

Dinis Rei N.º 5 do 5.ºB

O dono do Caderno João Trapalhão
Deve ser cuidadoso ao manuseá-lo
Deve tratá-lo com dedicação
Para não voltar a magoá-lo!

As suas folhas devem ser tratadas
Com muito carinho e delicadeza
Para que o João Trapalhão
Se sinta novamente João Limpezas

No caderno João Trapalhão
Apenas devem ser escritas
Lindas histórias de emoção
E deixar para trás os rabiscos e a imperfeição!

Bernardo Matos N.º3 do 5.ºC

Se o meu caderno estimar
E as folhas desdobrar 
Os gatafunhos melhorar 
Os rabiscos apagar
A letra melhorar
E as folhas voltar a colar
Todos o voltarão a chamar
João Limpezas!

Martim Marques N.º 12 do 5.ºC

O meu local de estudo

As turmas do 5.ºAno, na disciplina de Organização Geral e Método, redigiram textos nos quais descreveram o seu local de estudo.

Através da observação de uma imagem e posterior diálogo foram mencionados os vários fatores que influenciam negativamente o estudo e as características que deve ter o local onde os alunos estudam.

Características que deve ter o local de estudo:

• calmo/silencioso

• arejado

• bem iluminado

• temperatura agradável

• ter uma mesa ampla com o material escolar necessário

• cadeira confortável

O meu local de estudo é no meu quarto. Aí tenho uma secretária ampla de cor branca e uma cadeira preta de rodinhas. Tenho ainda dossiês pequenos para as diferentes matérias.

Cada vez que vou estudar ou fazer um trabalho abro as janelas para ter luz natural, quando está sol, mas quando está a chover acendo a luz de secretária, na intensidade média ou então a luz do teto, e desligo todo o tipo de eletrodomésticos que me possam distrair ou que façam barulho.

O meu local de estudo é calmo, silencioso e muitas vezes oiço jazz para me concentrar ainda mais.

Diana Figueira Mateus N.º 4 do 5.ºB

Eu estudo no escritório da minha casa que tem uma secretária grande, mas às vezes está pouco arrumada por mim. Tem várias gavetas onde eu arrumo os estojos e os livros.

Não tenho televisão onde estudo, nem brinquedos e também não estou autorizada a comer ali. Normalmente tenho o computador desligado e só o ligo para fazer trabalhos na Classroom ou na Escola Virtual.

Tenho a iluminação natural e ainda tenho um candeeiro mais próximo com uma luz que posso apontar para os cadernos/livros.

Eu sento-me numa cadeira bastante confortável e sem rodinhas para não cair.

O local onde estudo é arejado, pois tem uma grande janela, que às vezes abro, também é bastante silencioso, porque peço para não me incomodarem quando estou a estudar.

Eu gosto muito de estudar no escritório da minha casa.

Mariana Mocho N.º 13 do 5.ºA

A sala onde estudo 
É muito acolhedora! 
Todos os dias estudo 
A matéria toda! 

Na sala me mantenho 
Depois de estudar 
Para com a minha família estar. 

Depois de falar com a minha família 
Para o quarto me vou retirar 
Para no dia seguinte ir para a escola estudar! 




Bernardo Matos do 5.ºC

O meu local de estudo pode ser no meu quarto, na sala ou na cozinha. Os três sítios têm ar condicionado para que possa estar confortável a trabalhar.

Tenho sempre a mesa arrumada sem nada que me distraia e assim posso ter espaço para trabalhar, e também um poio para pôr os livros em pé. As cadeiras são confortáveis para eu estar bem sentado a trabalhar, porque dão para subir ou descer conforme for necessário.

No meu quarto existem os horários, tanto o escolar, como da ocupação de espaços na disciplina de Educação Física. Na secretária do meu quarto, tenho um computador que uso quando preciso de pesquisar, para tirar dúvidas enquanto estou a fazer os trabalhos de casa ou a estudar para um teste.

Este é o meu sítio preferido para estudar, porque é lá que me sinto confortável e onde tenho todo o meu material escolar.

Francisco Brito N.º 7 do 5.ºA

O meu local de estudo é no meu quarto, mais especificamente na minha secretária. A minha secretária é ampla, encostada à parede, do lado direito estão os meus dossiês, no meio o meu candeeiro e do lado esquerdo ficam os meus livros escolares.

A minha cadeira é confortável e com apoio de braço. A minha, única, fonte de iluminação é o meu candeeiro, porque a lâmpada do quarto não é muito forte, então poucas vezes a uso.

E é assim o meu local de estudo. Eu adoro ser organizado!

Rúben Dias N.º15 do 5.ºB

Eu estudo no meu quarto e tenho uma mesa só para mim. A minha mesa está perto da janela e eu estou sentado numa cadeira confortável.

Enquanto estudo não tenho o telemóvel ao meu lado.

Eu tenho os meus livros arrumados e não há lixo na minha mesa. Só tenho o computador ao meu lado.

George Bolocan N.º 8 do 5.ºA

O meu local de estudo é o meu quarto e lá tenho tudo o que preciso como uma cadeira confortável, uma secretária e um candeeiro. Tenho uma mini gaveta onde guardo pertences, tenho um apoio que se puxa e permite ter livros, teclados e ratos.

Dinis Rei N.º5 do 5.ºB

O meu lugar de estudo é iluminado, tem boa temperatura, cadeiras confortáveis, é calmo, silencioso, arejado e tem uma mesa ampla.

A minha secretária está sempre arrumada.

O meu quarto é um bom local de estudo.

Benedita Raimundo N.º2 do 5.ºB

O meu local de estudo é no meu quarto que está bem arejado, é confortável, bem iluminado e tem uma mesa ampla.

Margarida Reis N.º 9 do 5.ºB

OGM – 6.ºAnos

As turmas do 6.ºAno realizaram, neste ano letivo, algumas atividades tendo como ponto de partida as aprendizagens adquiridas em 2020/2021.

A disciplina tem como objetivos:

  • Contribuir para a aquisição de competências que permitam a apropriação de métodos de estudo e de trabalho.
  • Proporcionar o desenvolvimento de atitudes e de capacidades que favoreçam uma maior autonomia na realização das Aprendizagens.

Aprender a estudar III

Na disciplina de Organização Geral e Método foi lido e analisado o poema “Aprender a estudar” de Ary dos Santos, nas turmas do 6.ºAno, e posteriormente redigidos textos em verso e/ou prosa.

Para mim aprender a estudar não é só ir à escola, é viver experiências novas, é conviver com as outras pessoas, é igualmente ter ideias e dar largas à imaginação! Também é saber repartir para depois poder multiplicar. Partilhar com os outros é uma das melhores formas de Aprender! Ouvir o que as outras pessoas têm para nos ensinar.

Estudar é ter a capacidade de aprender ao longo da vida, é crescer e evoluir!

Estudar é aprender a ler, a escrever, a viver, a sonhar, a pensar, a ouvir, a ver, a fazer, a observar e a ensinar!

Bárbara Pombo N.º2 do 6.ºB

Aprender a estudar é … uma maneira de aprender muitas coisas e também de responder às nossas perguntas, para no futuro abrir as portas aos nossos sonhos! E às vezes até se pode aprender enquanto nos estamos a divertir, por exemplo quando respondemos aos quizzes de História e Geografia de Portugal, de Matemática, de Português ou de Inglês.  

Eva Lartigue N.º2 do 6.ºA

Aprender a estudar é…

Estudar é aprender a ler 
E também saber escrever! 

Aprender 
É saber viver 
Mas também crescer! 

Erros emendar 
Para continuar a estudar! 

Estudar 
É saber sonhar! 
É pensar
E com mil livros viajar!

Estudar também é repartir 
Também é saber dividir! 

Saber somar e multiplicar 
E com os livros voar!

Sofia Gai N.º14 do 6.ºA
Aprender a estudar é ...

Saber sonhar
Aprender a crescer
Saber ler e escrever!

Saber viver com os erros
E fazer amigos!

Vitória Saramago N.º18 do 6.ºA



Aprender a ler 
Aprender a contar
Aprender a viver 
Aprender a amar!

Ouvir todos os barulhos
Observar o que nos rodeia. 
Oferecer grandes embrulhos
Aprender a ter uma ideia.

Se seguirmos todos os passos 
Chegaremos à reta final
Fechar a porta aos fracassos 
Fazer um texto original!

Estudar não é só ler 
Nem tão pouco copiar 
Estudar é sorrir a valer!
E brincar e explorar!

Nós devemos viver
Devemos ser felizes! 
Aprender a conviver 
Com as nossas raízes!

Clara Cardoso N.º 3 do 6.ºB

Vamos estudar e enfrentar os desafios, porque uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida!  

Sócrates (filósofo grego)

Aprender a estudar II

Na disciplina de Organização Geral e Método foi lido e analisado o poema “Aprender a estudar” de Ary dos Santos, nas turmas do 6.ºAno, e posteriormente redigidos textos em verso e/ou prosa.

Aprender a estudar é…

Estudar é ler
Estudar é saber 
Estudar é fazer pesquisas
E selecionar informação.

Para estudar 
É preciso saber imaginar
 É preciso saber escrever!

Mas estudar também é conviver 
Com as pessoas à nossa volta
E Aprender com os colegas!

Mafalda Silva N.º 5 do 6.ºA
Saber contar
As pétalas que caem das rosas.
Saber estudar através da Natureza.

Estudar não significa apenas
Ler livros e fazer esquemas.

Estudar é a vida! 
E se não soubermos o que significa estudar 
Não temos futuro.
Estudar é TUDO!

Lara Matos N.º 8 do 6.ºB
Aprender
Ler
Escrever
Conhecer
Relembrar

È muito importante estudar
Para um futuro melhor alcançar!

Tomás Lopes N.º 16 do 6.ºA

Aprender a estudar é muito importante! E não é só a ler e a escrever, mas também imaginar e ser livre! Ler um livro é muito importante, não só para estudar, criar novas ideias e para sonhar! Aprender a estudar também ajuda em coisas que não têm a ver com a escola, ajuda-nos também a aprender a crescer e a ajudarmos os outros. Quando estudamos aprendemos e podemos também ajudar os outros a estudar. Estudar também tem a ver com Música, Matemática e muitas outras matérias!

Sofia Matias N.º16 do 6.ºB

Estudar é viver
Viver é pensar
É imaginar
É felicidade!

Estudar não é só viver
Também é ler 
E Aprender!

Ler 
É criar um Mundo na cabeça
É recriar e 
Alcançar!

Lourenço António N.º3 do 6.ºA

Vamos estudar e enfrentar os desafios, porque uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida!  

Sócrates (filósofo grego)

Aprender a estudar

Na disciplina de Organização Geral e Método foi lido e analisado o poema “Aprender a estudar” de Ary dos Santos, nas turmas do 6.ºAno, e posteriormente redigidos textos em verso e/ou prosa.

Aprender a estudar é ...

É aprender a crescer.
É ler e reler, ver e rever a matéria.
Estudar não é passar horas e horas só a ler e a ver 
Mas sim a perceber!

Não é só estudar… 
É também brincar!
Descontrair e relaxar 
Mas não esquecendo o dever de estudar!

Estudar é importante
Mas Aprender é radiante!

Matéria para perceber
Para testes conseguir fazer.

Escrever bem
E textos ler !

Para mais tarde brincar
E poder relaxar!

Catarina Silva N.º 1 do 6.ºA
Aprender a estudar é…
Ler, pensar e fazer!

Estudar é muito importante
Se quisermos ser gente!

Estudar é uma palavra comum
Mas aprender é uma palavra sem comparação!

Ashley Mendes N.º1 do 6.ºB

Abrir uma porta para o conhecimento
Aprender a fazer cimento
É também Aprender a estudar
Sem medo de errar.

Uma maneira de Aprender
É ler com uma luz a aparecer.
Podes aprender no frio ou no calor
Apenas te digo, não estudes com rancor!

Estudar
É ter asas de livros e voar!
Aprender
É trabalhar até anoitecer!

Miguel Fernandes N.º 8 do 6.ºA

Aprender a estudar não é só decorar o que está nos livros, é também aprender a ser livres. Estudar é crescer, saber ler, saber escrever, emendar os erros. Mas não é só isto, estudar é pensar e pensar é tudo!

Lara Craveiro N.º 9 do 6.ºB

Vamos estudar e enfrentar os desafios, porque uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida!  

Sócrates (filósofo grego)

XIII Campeonato SuperTmatik de História de Portugal

Os alunos do 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 9.º Anos participaram no XIII Campeonato SuperTmatik de História de Portugal respeitante ao ano letivo 2020/2021.

Este campeonato tem como principais objetivos fomentar o gosto pela aprendizagem da História de Portugal; contribuir para a aquisição, consolidação e ampliação de conhecimentos sobre a História; reforçar a componente lúdica na aprendizagem da História de Portugal e ainda promover o convívio entre alunos, professores e restante comunidade escolar.

A final nacional online decorreu de 14 a 28 de maio e os alunos responderam a quinze questões tendo três tentativas para realizar o melhor tempo no SuperTmatik. A cada resposta errada corresponde uma penalização em segundos e para efeitos de classificação apenas será tida em conta a melhor das três tentativas. 

Apenas o melhor resultado de cada aluno foi contabilizado para efeitos de posicionamento no Ranking Nacional do SuperTmatik 2021.

Dos quinze alunos que participaram neste campeonato 4 ficaram no Top 10 e têm direito a vales de desconto de 10€ (4.º a 6.º lugar) e de 5€ (5.º ao 10.º lugar) na aquisição de material (cartas de jogar, puzzles e livros), na loja online do sítio Eudactica, bem como um e-diploma oficial.