Campeonato SuperTmatik de História de Portugal

No dia 18 de dezembro foram entregues os prémios aos três primeiros classificados do Campeonato SuperTmatik de História de Portugal referente ao ano letivo 2019/2020.

A final online não se realizou em abril como vem sendo hábito por causa da pandemia, mas apenas no mês de novembro do corrente ano letivo.

A cerimónia teve a presença dos três professores dinamizadores António Bento, Augusta Estrela e Lígia Silva, para além do Diretor do Agrupamento.

Após onze anos a implementar esta atividade conseguimos que doze dos quinze alunos participantes no SuperTmatik ocupassem o Top 10.

Ao longo das últimas semanas do corrente ano letivo também foram entregues os certificados de participação aos restantes alunos.

Agradeço a todos os intervenientes nesta atividade que visa fomentar o interesse pela aprendizagem; contribuir para a aquisição, consolidação e ampliação de competências e conhecimentos; reforçar a componente lúdica no processo de ensino-aprendizagem; promover o convívio entre alunos, professores e restante comunidade escolar.

Texto e fotografias de Lígia Silva

10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos

O Clube Europeu comemorou o 72.º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos no dia 10 de dezembro. Contudo para que essa comemoração tivesse lugar foram implementadas diversas atividades envolvendo professores e alunos.

Solicitou-se a todos os professores da escola sede, no total de sessenta e dois, que desenhassem uma das mãos em cartolinas coloridas onde foi registada uma palavra- chave que resumisse cada um dos trinta artigos incluídos na Declaração Universal dos Direitos Humanos

As mãos dos Direitos Humanos foram colocadas numa árvore e foi pedido que cada docente a retirasse e lesse o QR Code constante no verso.

As palavras-chave alusivas a cada um dos trinta artigos foram transformadas em QR Code por alunos do 8.ºB. 

Posteriormente foram enviados, via email, a todos os professores do Agrupamento (oitenta e quatro docentes) dois links de vídeos para recordar os seus 30 artigos, https://youtu.be/-KwVkLn7e08, bem como a sua origem  https://youtu.be/SJy1M4iYiMo  para que todos recordassem quão importante é preciso não esquecer os Direitos Humanos e a nossa função como educadores numa sociedade cada vez mais individualista e egoísta. 

Foi encaminhado um email às  Diretoras de Turma do Ensino Secundário (oito turmas) com a proposta de visionamento do vídeo/canção “A música que todos deveriam saber a letra” https://youtu.be/ikqY9H7QNmM da responsabilidade do Conselho Nacional do Ministério Público e a realização de um Debate sobre a importância de relembrar os Direitos Humanos e a nossa atitude face aos mesmos.

A ementa do dia dez de dezembro também foi adaptada para que fossem incluídos alguns dos Direitos Humanos na descrição da sopa, prato principal e sobremesa.

Os alunos de várias turmas também participaram na comemoração deste dia tão importante desenhando uma das mãos, escrevendo uma palavra-chave e ilustrando-a.

As palavras-chave foram escritas em Português por duas turmas (6.ºA/B), em Francês (7.ºA), em Espanhol (7.ºB) e em Inglês (8.ºB) num total de cento e dez alunos.

Mãos dos Direitos Humanos

Numa aula de Cidadania e Desenvolvimento falámos sobre os Direitos Humanos.

A professora Lígia Silva mostrou-nos um vídeo que apresentava os 30 direitos fundamentais que deveriam regular todas as relações humanas.

Há várias abordagens à Declaração Universal dos Direitos Humanos que focam mais uns ou outros desses direitos. A que aqui analisámos surpreendeu-me pela positiva, pois não imaginava que tínhamos direito a tanta coisa!

Todos os Direitos devem ser protegidos, especialmente aqueles que mais falta nos fazem no dia a dia, como o direito a uma casa, uma nacionalidade, uma família, o direito à segurança própria, e muitos outros.

A seguir ao visionamento deste vídeo foi realizada uma atividade que consistiu em desenhar a nossa mão, escrever no seu interior o direito atribuído a cada um e, em seguida, fazer ilustrações alusivas a esse direito.

A mim calhou-me o direito à Liberdade: desenhei uma pessoa com algemas partidas, como quem acaba de sair da prisão em liberdade; desenhei também uma pomba e alguns cravos vermelhos.

Depois de pintado e recortado, só faltava guardar aquela mão dentro do coração, porque é nele que se armazenam as recordações bonitas.

Ana Claro  N.°1 do 6.°B 

Após a visualização do vídeo sobre os 30 artigos da Declaração dos Direitos Humanos, realizámos um trabalho.

O trabalho consistia no desenho do contorno da nossa mão, onde colocámos o nosso nome e o nome de um dos Direitos Humanos.

Todos nós efetuámos um desenho, relacionado com o respetivo Direito Humano, dentro dos contornos do desenho da própria mão.

A mim coube-me o direito à Igualdade. O desenho que eu fiz foi o Planeta Terra, com pessoas de diferentes nacionalidades e género.

O Direito Humano da Igualdade indica que todas as pessoas têm os mesmos direitos e deveres, independentemente do género, raça ou nacionalidade.

Beatriz Barreta  N.º3 do 6.ºB

                    

Estudante OK

Numa aula de Organização Geral e Método foi lido o texto intitulado “Estudante OK” na turma do 6.º A.

Aqui fica um poema escrito pela aluna Iara Dias alusivo ao tema.

É aquele que gosta de conhecer

Aquele que se esforça a valer

Não importa onde estiver

Há sempre lugar para aprender!

Esforça-se para boas notas tirar

Está sempre a estudar

De ano vai passar

Para os seus sonhos poder alcançar !

Halloween 2020 – Menos pavoroso, mas mais saboroso!

No dia trinta de outubro comemorámos o Halloween!

 Os alunos do Curso Profissional Técnico de Cozinha/Pastelaria e os alunos da turma B do décimo ano do Curso Profissional Técnico de Turismo confecionaram bolinhos “assustadores”, mas deliciosos que foram distribuídos no refeitório da nossa Escola.

Foi entregue, a cada aluno e aos professores, um saquinho com um brigadeiro em forma de aranha, uma bolacha fantasmagórica e um mini queque enfeitado com um fantasma de chocolate.

Uma memória feliz e simpática para nos acompanhar neste ano letivo tão diferente!

Alunos do 10.º B

Alunos solidários participam no Dia Mundial da Gentileza

Na passada sexta-feira, dia 13 de novembro, os alunos do 9.ºAno da Turma C, da Escola Básica 2/3 e Secundária de Mação contribuíram para o Dia Mundial da Gentileza promovendo a recolha de lixo no espaço escolar e na vila de Mação sob coordenação das professoras de Educação Física (Cláudia Olhicas) e de Ciências Naturais (Helena Antunes).

Os alunos partiram da escola, e durante duas horas, recolheram lixo que se encontrava espalhado pela vila de Mação: pontas de cigarro, papéis, garrafas de plástico e máscaras, entre outros.

 Esta atividade proporcionou aos alunos uma pequena noção da quantidade de lixo que não é colocada no sítio certo (ecopontos ou caixotes do lixo) por quem habita ou passa o dia em Mação, pois a quantidade de lixo recolhida foi preocupante.

Apelamos a todos os habitantes do concelho de Mação que nos ajudem a manter as nossas ruas limpas, não deitem lixo no chão, usem os contentores adequados.

É mais fácil evitar sujar que limpar! Quantos mais ajudarmos mais bonito fica o nosso concelho.

Temos de começar a ter um cuidado acrescido com o nosso planeta, caso contrário corremos um sério risco de não podermos desfrutar da nossa vida com qualidade.

Um dos problemas que nos apercebemos foi a grande quantidade de plástico que recolhemos, por isso apelamos a que respeitem o Mundo! Vamos tentar fazer dele um mundo mais saudável para também nós sermos saudáveis!

Os estudantes maçaenses dizem querer repetir atividades do género, pois a Solidariedade perante os habitantes da vila contagiou-os.

 

Professora Helena Antunes

Estudante Ok

Numa aula de Organização Geral e Método foi lido o texto intitulado “Estudante OK” na turma do 6.º B.

Aqui fica um poema escrito pelas alunas Ana Rita Claro, Beatriz Barreta e Izilda Maseko alusivo ao tema.

                                    Estudante OK

Acordar de manhã

Vestir e calçar

Lavar os dentes…

E toca a andar!

Chego à escola,

E encontro os amigos,

É uma alegria

Estamos todos divertidos!

Começamos a escrever

Na Língua Portuguesa,

E logo em seguida,

O país e a sua beleza.

Já treinámos a História,

A seguir a Matemática,

Mas não se vão embora,

Ainda falta a parte prática!

Acabámos a corrida,

E a barriga já se queixa,

Vamos para o refeitório,

Comer uma ameixa.

Já de barrida cheia,

A tarde a aproximar,

Agora a Cidadania

Para o dia acabar!

Chego a casa

Cansada de trabalhar. 

Vou dormir uma sesta

Para no dia seguinte continuar!

Ana Rita Claro N.º 1, Beatriz Barreta N.º 3 e Izilda Maseko N.º 9  do 6. ºB

De uma Sala de Aula para um Agrupamento

Tudo se iniciou com uma proposta da Professora Luísa Morgado, no âmbito da disciplina de Direito, proposta esta, que passou pelo debate com todos os membros da turma de Línguas e Humanidades do 12.º Ano, relativamente à temática da Tauromaquia.

E porquê o alargamento ao resto dos alunos constituintes do Secundário? Os pontos de vista divergiram bastante entre nós e isso suscitou a nossa curiosidade de conhecer os pontos de vista de outros jovens. 

É aqui, que reunidos e articulando todas as opiniões expressas com as benesses tecnológicas criámos um questionário online de respostas fechadas, onde os restantes alunos, de forma anónima, após uma breve intervenção em cada turma, responderam consoante aquilo que pensavam.

Assim, e numa fase posterior, os resultados assumem-se mergulhados numa panóplia de posições que a seguir são apresentadas.Cada aluno podia canalizar a sua ótica para três opções: ser a favor, contra ou adotar uma posição neutra. 

Após a saída dos resultados, a posição contra foi aquela na qual a percentagem se registou mais elevada: 70,8%, equivalente a 75 pessoas. No seguimento, a posição a favor registou a segunda mais elevada, com uma percentagem de 15,1%, correspondente a 16 votos. Por último, a posição neutra foi a que registou uma menor percentagem: 14,2%, isto é, espelhada por 15 pessoas.

Desta forma, os votos regeram-se por 4 argumentos que fomentavam a posição a favor – “Consideras que as touradas são cultura?” com 19 votos (73,1%); “Acreditas que os touros não sofrem?” com 5 votos (19,2%); “ Os touros estão fisiologicamente preparados?” com 2 votos (7,7%) e, por fim “Acreditas que as touradas são um meio de tradição?” com 7 votos (26,9%).

As posições contra guiaram-se, igualmente, por 4 argumentos – “Consideras que os touros sofrem durante o “espetáculo?” com 53 votos (67,9%); “Zelas pelos direitos dos animais?” com 44 votos (56,4%); “É desrespeito para com os touros?” com 33 votos (42,3%) e “Não achas legítimo o sofrimento de um animal?” com 68 votos (87,2%). Como última opção, os alunos poderiam assumir uma posição neutra, com 2 argumentos possíveis – “Tens desinteresse pelo assunto?” com 8 votos (47,1%) e “Nunca pensaste no assunto?” com 9 votos (52,9%).

Por último e, em fase de término, com o alargamento à comunidade escolar, de forma mais concisa às restantes turmas do Ensino Secundário, verifica-se que o forte está na posição contra, tal como se registara em aula. No entanto, apesar do resultado ter sido semelhante ao do debate em sala de aula, foi importante e benéfico para nós, na medida em que, foi mais uma forma de nos envolvermos na disciplina e avaliarmos o ponto de vista da maioria dos jovens maçaenses relativamente à temática tão sensível que é a Tauromaquia. 

Os alunos de Direito do 12.º Ano

X Campeonato SuperTmatik de História de Portugal -2019

Os alunos do 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 9.º Anos participaram no X Campeonato SuperTmatik de História de Portugal respeitante ao ano letivo 2019/2020.

Este campeonato tem como principais objetivos fomentar o gosto pela aprendizagem da História de Portugal; contribuir para a aquisição, consolidação e ampliação de conhecimentos sobre a História; reforçar a componente lúdica na aprendizagem da História de Portugal e ainda promover o convívio entre alunos, professores e restante comunidade escolar.

A final nacional online decorreu de 23 a 30 de outubro e os alunos tiveram três tentativas para realizar o melhor tempo no SuperTmatik.

Apenas o melhor resultado de cada aluno foi contabilizado para efeitos de posicionamento no Ranking Nacional do SuperTmatik 2019.

Dos quinze alunos que participaram neste campeonato doze ficaram no Top 10 e irão receber diversos prémios que a organização do mesmo enviará para a Escola pela sua excelente prestação!

Participei no SuperTmatik de História

Foi preciso treinar para saber jogar

Para mim o terceiro lugar foi uma glória!

Mas vou continuar a estudar para melhorar!

Se eu, no próximo ano, participar

Também vou querer dar o meu melhor!

Mas primeiro tenho de ter boas notas este ano.

Mãos à obra, porque é preciso saber muito e ao pormenor!

Beatriz Barreta N.º 3 do 6.ºB (terceiro lugar no Campeonato correspondente ao 5.ºAno)

 

Foi com grande prazer que participei no SuperTmatik!

História e Geografia de Portugal é uma disciplina de que gosto bastante, mas nem todos os alunos são da minha opinião, porque é preciso estudar um pouco.

Eu pratiquei bastante o SuperTmatik, principalmente na aplicação para os telemóveis.

Diverti-me muito e fiquei em segundo lugar com o mesmo tempo do primeiro, mas devo ter tido uma penalização por errar alguma pergunta! Mesmo assim foi um bom resultado!

Rita Carreira N.º 18 do 6.ºB (segundo lugar no Campeonato correspondente ao 5.ºAno)