My International Pen Friends

Foto de thediaryofasquaretoothedgirl.blogspot.com

Foto de thediaryofasquaretoothedgirl.blogspot.com

O fim deste primeiro período e o início das férias de Natal ficou marcado por um momento especial para os 86 participantes na atividade My International Pen Friends: a tão aguardada chegada das listagens dos seus correspondentes! A alegria só não foi total porque as listas de correspondentes dos alunos da professora Sílvia Ramadas só chegaram à escola no primeiro dia de férias e, por isso, não puderam ser entregues aos alunos. Porém, assim que as aulas forem retomadas, em janeiro, a professora Sílvia Ramadas terá o prazer de lhes fazer chegar os nomes dos seus colegas que, ao redor do mundo, aguardam as suas cartas.

A atividade está a envolver alunos de países tão distantes como a Austrália, o Canadá, os Estados Unidos da América, a República da China, Suíça, Áustria (de onde um aluno do 12.º ano já recebeu uma carta, mais especificamente da região de Tirol), França, Alemanha, Itália, Espanha, Argentina, etc…

Cada aluno poderá corresponder-se com um total de 14 colegas de vários países, o que será bastante enriquecedor para todos os participantes.

A sua participação é gerida, ao longo de um ano, pela organização International Pen Friends, entidade responsável pelo cruzamento dos dados, atribuição de correspondentes aos participantes e fiscalização e, depois disso, os alunos são completamente livres de continuarem a corresponder-se com os seus amigos se assim o desejarem.

Incentivamos, neste momento, os alunos que já têm as listagens de pen friends consigo a  aproveitarem estes dias de férias para elaborarem as cartas, seguindo as instruções contidas neste documento para a sua correta escrita.

Partilhamos convosco este este artigo no jornal The Guardian, que destaca a importância da escrita como veículo de transmissão da nossa própria personalidade. Tomamos mesmo a liberdade de citar esta parte: “Writing has always been seen as expressing our personality. In his books the historian Philippe Artières explained how doctors and detectives, in the late 19th and early 20th century, found signs of deviance among lunatics and delinquents, simply by examining the way they formed their letters. “With handwriting we come closer to the intimacy of the author,” Jouvent explains. “That’s why we are more powerfully moved by the manuscript of a poem by Verlaine than by the same work simply printed in a book. Each person’s hand is different: the gesture is charged with emotion, lending it a special charm.”

Desejamos que estas férias estejam, para todos, carregadas de momentos de alegria e que a participação nesta atividade vos traga muitas cartas cheias de palavras bonitas e de emoções novas.

Divirtam-se!

Texto: professor João Pinheiro

Anúncios

Uma resposta

  1. Pois é, …Chegaram, finalmente, os tão aguardados e tão criteriosamente escolhidos Pen Friends dos nossos alunos. Agora, resta-nos esperar mais um pouco, porque saber esperar faz parte do processo, …e assim que o novo ano chegar, começar a escrever e a comunicar com quem também anseia por receber uma carta e que pode até estar no outro lado do mundo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: