Nas asas da poesia…

A PEDRA

O distraído, nela tropeçou,

O bruto a usou como projétil,

O empreendedor, usando-a construiu.

O campónio, cansado da lida,

Dela fez assento.

Para meninos, foi brinquedo.

Drummond a poetizou,

Já Davi matou Golias…

Por fim,

O artista concebeu a mais bela escultura.

E em todos esses casos,

A diferença não esteve na pedra.

Mas, no Homem.

 António Pereira

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: