Testemunho de Final de Ano Letivo

Coisas Simples

Erradamente continuo a ouvir dizer de forma repetida que os professores têm três meses de férias, visto os alunos que vão realizar provas de aferição e exames já terem terminado as suas atividades letivas e estarem em casa. Contudo, ainda não de férias, mas supostamente dedicados ao estudo para prestarem provas. Uns dizem-no por ignorância, outros com ironia, conhecedores da vida dos professores, outros espero que não seja pela simples maledicência.

Cada ano letivo, e o seu final, torna-se mais difícil, com mais e mais exigências. Há alunos ainda com aulas, há reuniões de avaliação a decorrerem e, para quem é diretor de turma, burocracia, a preparação da reunião de avaliação e a reunião final com os encarregados de educação, e mais burocracia…Depois hão de vir as vigilâncias, coadjuvâncias e correções de provas e exames que, no meu caso, este ano, tive a sorte de ser premiada com correções das provas de alunos em simultâneo com estas tarefas e outras inerentes a clubes, como jornais e outros projetos, como um texto dramático coletivo interciclos – “Os Oceanos Somos Nós!”, texto de defesa e intervenção ecológica, no âmbito do Clube Europeu, de que também integro a equipa, e do projeto Gandhi – que subiu à cena por estes dias no Auditório Elvino Pereira e que não poderia deixar aqui de referir, para poder, mais uma vez, reiterar aos meus alunos envolvidos que estiveram deslumbrantes e que são pessoas maravilhosas. Uma encenação que integrou a semana de atividades – “Escola Aberta” – do meu Agrupamento de escolas.

Partirão deixando saudade. Coisas simples. E não são estas as que importam?

Contudo, há algo simples e maravilhoso nos finais de ano letivo. Dos alunos que ficam despedimo-nos com um até breve, pois as férias passarão sem darmos por isso. Habitualmente, de três em três anos, ou de seis em seis anos, dependendo, se apanho os alunos no 7º ano ou no 10º ano e, se fazem comigo um ciclo de três anos ou um percurso de dois ciclos, com seis anos, para os alunos que partem com o diploma de 12º ano e se vão candidatar a um curso superior, ou simplesmente entrar no mundo do trabalho, despedimo-nos já com saudade. Já são mais que meus alunos, sem desmérito dos pais e nem querendo sequer comparar, mas sem fuga possível, associando os dois papéis, é como se fossem já um pouco seres do nosso ser…

Estes que partem vão seguir o seu caminho, progredir, “asa que se elançou”, como disse o poeta Mário de Sá-Carneiro, e voou.

Pode ser que nos cruzemos por aí, inesperadamente, sei que terei orgulho em vós. Já o tenho!

Também eu vou ter amigos que vão fazer “o pino a voar”!

Vivam e sejam muito felizes!

Texto adaptado da crónica publicada na revista mensal regional Abarca de junho 2022 – texto com supressões

A professora Anabela Ferreira

4ª Edição dos Prémios MILAGE APRENDER+

A VI Conferência Internacional de Aprendizagem Móvel no Projeto MILAGE, e a 4ª Edição dos Prémios MILAGE APRENDER+, no âmbito do projeto MILAGE APRENDER+, decorreram nos dias 14 e 15 de julho de 2022. Esta iniciativa, com residência no Convento de São Francisco, em Santarém, reuniu conceituados oradores num espaço de partilha e de reflexão  sobre as Escolas e a sua transformação e contou com, aproximadamente, 250 participantes incluindo alunos, professores e encarregados de educação.

Na 4ª Edição dos Prémios MILAGE APRENDER+, a  entrega dos prémios distinguiu as escolas pelo seu extraordinário desempenho e dedicação no processo de ensino-aprendizagem, com recurso à plataforma MILAGE APRENDER+; os professores, pelo seu contributo na produção de recursos inovadores para a plataforma MILAGE APRENDER+, assim como pelo seu empenho no processo de ensino-aprendizagem; e os alunos, pelo seu envolvimento excecional para aprender e pelo seu contributo na autoria de produção de recursos inovadores para a plataforma MILAGE APRENDER+.

No Prémio Classificação MILAGE APRENDER+ distinguiu-se ainda a nível nacional o melhor classificado na disciplina de Português, Luís Delgado, aluno da professora Lucília Nogueira, do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte.

Nas categorias Professor Autor Inovador MILAGE APRENDER+ e Prémio Aluno Autor MILAGE APRENDER+ foram distinguidos os professores e as equipas de alunos do ensino básico e secundário que, durante o ano letivo 2021/22, construíram recursos originais para serem disponibilizados na App MILAGE APRENDER+.

Deste modo, na categoria Aluno Autor de Português MILAGE APRENDER+, atribuiu-se o 1.º Prémio aos alunos Afonso Carvalho, Iara Silva, Miguel Gaspar e Ricardo Veríssimo orientados pela Professora Lucília Nogueira, do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte.

Na categoria de Professor Autor Inovador MILAGE APRENDER+, foi selecionado para apresentação no evento o recurso construído pela professora Lucília Nogueira. Foi ainda elemento da Mesa Redonda com a apresentação “Projetos de leitura e escrita num contexto de gamificação na plataforma MILAGE APRENDER+” e moderadora do evento.

 A professora Lucília Nogueira

Fotografias: Rafael Dias, CTec da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém

XIV Campeonato SuperTmatik de História de Portugal

SuperT cartaz

Este campeonato tem como principais objetivos fomentar o gosto pela aprendizagem da História de Portugal; contribuir para a aquisição, consolidação e ampliação de conhecimentos sobre a História; reforçar a componente lúdica na aprendizagem da História de Portugal e ainda promover o convívio entre alunos, professores e restante comunidade escolar.

A grande final Supertmatik online decorreu de 2 a 23 de maio.

Os alunos tiveram três tentativas de jogo. Em cada tentativa são apresentadas quinze questões e os alunos devem responder corretamente o mais depressa possível para poderem avançar para a próxima questão.

 

A cada resposta errada corresponde uma penalização em segundos. Para efeitos de classificação foi tida em conta a melhor das três tentativas, e em casos de empate poderão ser considerados os restantes tempos.

 

Apenas o melhor resultado de cada aluno foi contabilizado para efeitos de posicionamento no Ranking Nacional do SuperTmatik 2021.

Resultados obtidos pelos quinze alunos que participaram no XIV Campeonato SuperTmatik de História de Portugal:

O XIV campeonato SuperTmatik foi coordenado pelas professoras Lígia Silva (HGP do 2.º Ciclo) e Maria de Fátima Gonçalves (História do 3.º Ciclo).

Os alunos participantes obtiveram excelentes resultados no campeonato realizado no ano letivo 2021/2022!

A professora Lígia Silva

 

Clube de Ciência Viva

RUMO AO FUTURO

CLUBE DE CIÊNCIA VIVA

Horizontes de Ciência

O Agrupamento candidatou-se à Rede de Clubes de Ciência Viva, tendo o seu projeto sido aprovado, face ao mérito e pertinência do Plano de Ação. Na candidatura foram considerados os seguintes aspetos:

– o aluno crítico, analítico, questionador, investigador, mas também participativo;

– as parcerias estabelecidas/continuadas com o Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado no Vale do Tejo, a Câmara Municipal de Mação, o Instituto Terra e Memória   (ITM) e a Associação Amar Mação / Melbandos;

– a articulação com os projetos «Horizonte Solidário» e «Comunicar Saberes»;

– as áreas temáticas: Ambiente, Biologia, Ciências Naturais, Ciências Sociais e Humanas, Físico-Química, Geografia, Matemática, Sustentabilidade.

O projeto estabelece uma fortíssima ligação do clube à cultura local.

Mação é tradicionalmente referido como a terra dos três A, por ter «Bons Ares», «Bons Azeites» e «Boas Águas», por isso são temas igualmente a abordar numa metodologia «STEAM», valorizando também as dimensões criativa, artística e humanística.

As atividades planeadas desenvolver-se-ão ao longo dos próximos anos letivos.

A EQUIPA Clube de Ciência Viva

“Amar o mar” – revista Visão Júnior

Na revista Visão Júnior, de junho, foi publicado um artigo sobre a peça de fantoches “Amar o mar” criada a partir da obra de Jane Prado.

Os alunos da turma MAC5 do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação, membros do Clube Europeu, sob orientação da professora Olga Pereira, construíram vários fantoches, personagens intervenientes na peça que apela à proteção dos oceanos.

A professora Lígia Silva

Uma sociedade respeitadora

Hoje em dia, todos desejamos viver numa sociedade onde não sejamos julgados pelas nossas diferenças, desejamos viver numa sociedade na qual haja respeito pelas nossas diferenças étnicas, religiosas, políticas e sociais.

Eu considero muito importante haver respeito pelas diferenças de todos nós, pois, ninguém é igual a ninguém, e se queremos respeito, temos que o ter também, o que infelizmente falta a muitos de nós.

Penso que ter respeito pelas nossas diferenças é algo essencial, porque há liberdade de escolha, nós temos liberdade para escolhermos as nossas decisões e não deveremos ser julgados por elas, logo tem que haver respeito por nós e pelos outros, respeito mútuo.

Por isso é que é preciso haver respeito em cada um de nós, respeito pelas diferenças de cada um de nós. Devemos pensar em como as outras pessoas se sentem ao não serem desrespeitadas, pois não devemos fazer aos outros o que não gostávamos que nos fizessem a nós.

Beatriz Brites, 9ºB

Clube das Manualidades – Os oceanos

Os alunos que frequentaram o “Clube das Manualidades”, dinamizado pela professora Lina Dias, durante este ano letivo de 2021/2022, realizaram uma ilustração de uma história subordinada ao tema “Os Oceanos ” em parceria com o Clube Europeu.

Os intervenientes participaram com empenho e interesse em todas as atividades.

A professora Lina Dias

Has technology changed love?

That’s what we’re going to explain below.

Since the old times that

love letters have arrived out of deadline!

Nowadays people prefer staying online…

Post things on Facebook like they’re in love.

We must bring the tradition back,

that every single letter

Is like a gasp of magic!!

Collective Poem, 10ºA